segunda-feira, 11 de junho de 2007

Sim, a partir de Álbum de família, a minha vida teatral tem sido uma batalha entre um autor e seus admiradores. É uma fúria recíproca e total. Os admiradores querem me destruir, com a sua incompreensão apoteótica e homicida; e eu reagindo, como um possesso. (Nelson RODRIGUES. A menina sem estrela; memórias. São Paulo: Companhia das Letras, 1993, p.216)


BALAIO PORRETA 1986
nº 2034
Natal, 11 de junho de 2007


NELSON RODRIGUES EM NATAL

O Armazém Companhia de Teatro, do Rio, encenou em Natal, sábado e ontem, no Alberto Maranhão, um espetáculo (quase) irretocável: a montagem de Toda nudez será castigada.
Premiada em 2005, a confecção da peça de Nelson Rodrigues, uma "obsessão em três atos", por ousada e recriadora, mostrou ser, nas palavras & ações de seu diretor (Paulo de Moraes), com seu "material dramatúrgico extremamente belo e sólido", um painel cênico trabalhado com tintas fortes, de feitura expressionista, entre o pornográfico puritanismo e a mais deslavada sexualidade.

Neste sentido, louve-se o desempenho luminoso de Patrícia Selonk, como a puta Geni. E mais a presença e a garra nelsonrodriguesiana de Thales Coutinho, Ricardo Martins, Sérgio Medeiros, Simone Mazzer, Verônica Rocha, Isabel Pacheco, Simone Vianna, Raquel Karro, Marcelo Guerra. Louve-se também a iluminação de Maneco Quinderé, a cenografia de Paulo de Moraes e Carla Berri, os figurinos de Rita Murtinho, a música de Arrigo Barnabé. E, claro, a direção de Paulo de Moraes: uma direção com sustança e criatividade. Enfim, entre a tragédia e a comédia, um espetáculo inesquecível. Um espetáculo que nos diz: entender Nelson Rodrigues é o primeiro passo para que possamos mergulhar numa obsessão chamada Brasil.


SENSO COMUM
Poema de Sandra Camurça (PE)
[ in O Refúgio ]

amo em você
aquilo que é inacabado
em mim

4 comentários:

Francisco Sobreira disse...

Moacy,
Nelson foi, talvez, o nosso maior dramaturgo. E sua prosa é deliciosa de ler, com um humor que nos faz dar risadas, apesar da sua posição política. E vejo que ainda estás em Natal. Se fosses demorar umas 3 semanas, poderíamos nos encontrar. Por enquanto não dá, pois, embora esteja quase recuperado da cirurgia, estarei fazendo fisioterapia por essas próximas duas semanas. Um abraço.

Manoel Carlos disse...

Caro Moacir, eu visitava dois outros endereços não atualizados:
http://www.balaiovermelho.blogger.com.br/ e
http://www.balaioporreta2006.blogger.com.br/
Agora redescobri o caminho.

Manoel Carlos disse...

Em tempo: mantenho a indicação. Ah! Parabéns pelo tricolor. Hoje será o lançamento, na Livraria do Museu do Catete do novo romance de Moacir Lopes. Vá la beber um vinho conosco.

sandra camurça disse...

Oi, antecipei-me...

Mas que negócio é esse de editar poema meu sem me avisar, hein, mocinho? Só porque eu disse que meu nome é Copiléfiti? (risos).

Grata, Moacy, sempre.

Beijos.

Ah, gostei um bocado: o Nense derrotou a Coisa. Valeu!