domingo, 19 de agosto de 2007


AS SETE MARAVILHAS DE PORTO ALEGRE
segundo
Milton Ribeiro
(no dia do seu 50º aniversário)

1. Theatro São Pedro
2. Mercado Público
3. Estádio Beira-Rio
4. Feira do Livro da Praça da Alfândega
5. Parque da Redenção (ou Parque Farroupilha)
6. Usina do Gasômetro
7. Pôr-do-sol no Guaíba

Nota:
A foto é do Parque da Redenção.


BALAIO PORRETA 1986
nº 2096
Rio, 19 de agosto de 2007



UM POEMA
de Torquato Neto (PI)
[ in Os últimos dias de Paupéria, 1982 ]

Quando eu nasci
Um anjo morto
Louco solto louco
Torto pouco morto
Veio ler a minha mão:
Não era um anjo barroco:
Era um anjo muito pouco,
Louco, louco, louco, louco
Com asas de avião;
E eis que o anjo me disse
Apertando a minha mão
Entre um sorriso de dentes:
Vai bicho:
desafinar o coro dos contentes.

(19/1/1972)

Posteriormente, ao ser musicado por Jards Macalé,
com o título de Let's play that, tomou a seguinte forma:

quando eu nasci
um anjo louco muito louco
veio ler a minha mão
não era um anjo barroco
era um anjo muito louco, torto
com asas de avião
eis que esse anjo me disse
apertando a minha mão
com um sorriso entre dentes
vai bicho desafinar
o coro dos contentes
vai bicho desafinar
o coro dos contentes
let's play that


|||||||||||||||||||||||||||||||||

Os verdadeiros crimes passionais são os sonetos de amor.
(Mário QUINTANA. Caderno H, in Prosa & verso. Rio de Janeiro : Globo, 1989, p.91)

12 comentários:

ana de toledo disse...

uau!! que esse Balaio tá tri legal! Tri porreta!

sandra camurça disse...

Bom dia, Moacy! Também não conheço Porto Alegre mas imagino que a seleção esteja ótima. E Feliz aniversário para o Milton.

O Poema do Torquato Neto é maravilhoso (homenagem a um Piauiense que fizeste em boa hora).
E a versão de Macalé tão boa quanto.

Quanto aos sonetos...bem, é por isso mesmo que evito lê-los e nunca aprendi a fazê-los: não sou sadomasoquista ;)

Beijos.

isabella benicio disse...

Parabéns pelo aniversário, Milton. Um ótimo novo ano pra ti.

O Rio Grande do Sul abriga cidades belíssimas e paisagens bem diversas. Porto Alegre eu conheço bem e assino embaixo da seleção de Milton.
Torquato Neto, um anjo louco genial.
Mario Quintana...uma das minhas grandes paixões.

Ótimo domingo! Beijo.

Amanda disse...

Moacy, seu balaio sempre cheio de coisas boas. Torquato, Quintana, gosto muitissimo... Um beijo.

Lívio Oliveira disse...

Que beleza!
Fantástico o poema de Torquato Neto! Excelente a postagem toda!
Abração!
Lívio

sergio andrade disse...

Meu caro, acabei de atualizar. Um abraço!

Amanda disse...

Moacy, Os Contos Japoneses é da Ediouro na série Clássicos de Bolso, a seleção é de Antônio Nojiri e Kikuo Furuno. São vários os tradutores, entre eles José Paulo Paes. Os contos são bem interessantes, tem os tradiocionais e os modernos, e nestes ultimos estão por ex. Junichiro Tanizaki e Yassunari Kawabata, para mim um dos melhores. É isso! Vale ler!
Um beijo.

célia musilli disse...

Uma pena..mas não conheço Porto Alegre. Em compensação, conheço os ótimos poetas que vc publicou aqui...muito bom!!! beijoss e uma boa semana

Dilberto disse...

Muitas coisas, muitas coisas... Como peciso urgentemente conhecer Porto Alegre... E Torquato? Sem comentários, calo-me feliz! E os clássicos de Western? Será que o caro Moacy esqueceu algum... Sim, na minha opinião: "Três homens em conflito" (O Bom, O Mal e O Feio), inesquecível! E o Piauí?! E o Maranhão, não fará falta tampouco?! Rs. Sim, meu caro, a Glória é ela, ela mesma, e só ela! E os Morcegos querem tua visita, porque dois geniais roqueiros resolveram literalmente baixar por lá! E te agradecem a visita e as palavras generosas! Abraço!

Pedrita disse...

sempre quis conhecer o theatro são pedro de porto alegre. gosto muito do são pedro de são paulo. nunca fui para porto alegre. beijos, pedrita

Márcia(clarinha) disse...

Não conheço Porto Alegre mas definitivamente um anjo nada torto olhou por mim quando nasci...[e ainda anda por aqui,rss]
semana boa
beijoss

Fernanda Passos disse...

Mário Quintana estava certíssimo. O amor nunca desce ao banco dos réus. Ele é pai da criação, da natalidade. Não habita sepulcros ou registros de óbitos.
Bjs.