segunda-feira, 27 de agosto de 2007


A mulher. O olhar. A poesia.
E a foto de Carlos Manuel Pereira
[ in 1000 Imagens ]


BALAIO PORRETA 1986
nº 2104
Rio, 27 de agosto de 2007


RECOMEÇO
de Moacy Cirne
[ in Qualquer tudo, 1993 ]

Sei do sonho:
procuro tua sombra na
penumbra
da memória líquida
e nada encontro.
A lua não é vermelha
não é violeta
não é verdecoisa
mas
os loucos da madrugada
anunciam as primeiras águas da manhã.
Sei do sonho?
Tua sombra pagã
é um corpo que me foge
das mãos cansadas de espantos
e abismos.
A árvore sonolenta
anoitece os meus delírios.
Não te vejo na claridade
do silêncio.
O sol é um pássaro ferido
na solidão
de meus gestos de meus gritos
e a hora cruviana
é uma graviola
grávida
de aromas e carnes
pronta para ser saboreada.
Sei.
Não foi um sonho.
Como encontrar,
então,
na arquitetura fluvial
de meus quereres
as linhas
e as curvas
de teu corpo barrento-canela?
Ah, não! Ah, sim!
Existe
um
grande sertão
nas veredas da minha paixão.
E eu sei do sonho.
Procuro tua sombra líquida
e nada encontro.
A lua não é verdeluã
mas
tua sombra pagã
anoitece os meus delírios.
Como encontrar,
sol e solidão,
a arquitetura colonial
de teu corpo fluvial?
Como encontrar,
no silêncio de meus gritos,
tua sombra teus aromas tuas carnes?
Sim,
não.
Tua memória vermelha
é uma sombra grávida
de morenezas e reentrâncias
azuis.
Docemente azuis.
Barrentas e azuis.

||||||||||||||||||||||||||||||||

Esta nação é mesmo linda. Quem poderia imaginar que por aqui nascesse um movimento chamado "Cansei"? Principalmente, porque os que se dizem cansados, acredito, jamais cansaram do que quer que seja. ... Quem nunca se cansa é o povo brasileiro, mesmo tendo de enfrentar fila do INSS, falta de leito em hospital, falta de comida na mesa, de creches para seus filhos e muito mais. Tudo isso geralmente por culpa dos que hoje se dizem cansados. (SÓCRATES. Cansei!, in CartaCapital, São Paulo, 29 de agosto de 2007, p.56)

16 comentários:

Felipe, SM disse...

Moacy(saudades),

O Balaio torna-se ainda mais rico, mais vibrante e mais Porreta, quando nos presenteia com alguns dos seus belíssimos poemas.
Grande abraço. Felipe, SM

isabella benicio disse...

Teu poema fez a beleza do dia de hoje. Belo "Recomeço".
Ótima semana pra ti. Beijo.

Milton Ribeiro disse...

Maravilhosa a mulher, bela poesia, mas - quer saber? - gostei mesmo foi da citação da CartaCapital.

Eu não posso cansar nem fingir de cansado. Aliás, nem posso ficar em casa lendo teu blog. Uma pena, tanta coisa para ler. Vou trabalhar.

Grande abraço e uma saudação aos descansados que falam, falam, falam.

Fernanda Passos disse...

A fot´e lindíssima, sensual e se relaciona à tua poesia perfeitamente(penso eu). Nossa Moacy, as metáforas correm a esmo nessa poesia. Lindíssima meu caro. Como as reentrâncias da alma de um poeta inspirado.
E a palavra do Sócrates?! Rsrsrs. Cansei! De certa forma ele tem razão. Só deixaria de ter se no movimento dos cansados, tivesse exaustos da longa batalha por uma vida mais justa. Caso contrário, ele está coberto de razão.
Só coisa boa por aqui hoje. Aliás, sempre.
Muito obrigada pelas visitas constantes ao meu blog. Ando meia sumida por conta dos trabalhos que estão me consumindo. Mas nunca deixarei de aparecer.
Um bj no coração.

Francisco Sobreira disse...

Moacy,
Primeiro, a foto. Bela mulher, plena de sensualidade. Depois, o poema. Um dos melhores que você já fez. Olhe, ontem escrevi um comentário, mas não houve jeito de ser visualizado, depois de umas 3, 4 tentativas. Esses mistérios da blogosfera. Um grande abraço.

vais disse...

OLÁ Moacy,
um bom dia, uma ótima semana, e quem é os mal dizeres da segundona braba depois de de te fazer uma visita, que venha a semana inteira.
Abração

Benno Assmann disse...

não podemos cansar jamais de ler belos poemas, isso não!
um abraço
Benno

mario cezar disse...

sim.
futuquei
futuquei (mudei um pouco)

Benno Assmann disse...

eu moro em Natal já faz bastante tempo... às vezes preciso dar um tempo na poesia por falta de tempo. agradeço sua visita amigo, já andei visitando o balaio em outros tempos. abraço.

cris cirne fernandes disse...

Olá Moacy!
Sim, o blog livre expressão é um clipping de acontecimentos que acompanho... as vezes fica um pouco picante... as vezes mau humorado (risos) Esses ultimos dias com essa turma do "Cansei" por exemplo, ficou ainda mais irritado com a mídia de massa. Onde tinham menos de mil pessoas no dia 17 na frente da Igreja, o UOL noticiava mais de 4 mil pessoas... o fotógrafo com uma grande angular... Nossa esse dia me deu ânsia... Fiquei acompanhando com o Rovai que estava lá na praça (Blog da Revista Forum) e nada do que a mídia de massa dizia era o que estava acontecendo...

O Mino Carta é um editor que respeito demais. A Carta Capital é jornalismo puro!

beijo grande
Cris

Jeanne Araujo disse...

Lindo poema, Moacy. Nos dar vontade de atravessar portas, pular muros, saltar abismos. Um dos melhores poemas seus. um bjo.

vais disse...

MOACY gente finíssima, como bem disse a Sandrinha,
entusiasmo é aquele negócio, a gente mete os pés pelas mãos, troca letras, repete e tal e tal, num repara nessas coisas, não?
abração

Natália Nunes disse...

Moacyr, q poema lindo!
Adorei a retomada de palavras com sutis mudanças, as intertextualidades, o lirismo.

Muito bom!
Mulheres...

Alfredo Samon disse...

Mestre Moacy,

Entre 1996 e 1999 vivi uma aventura iacsiana. A experiencia foi foda do ponto de vista existencial, mas do ponto academico foi uma merda. O mundo girou, e só voltei a frequentar a academia em 2002. Mais maduro, fiz filosofia, e hj sou um proto-filósofo, mestrando em educação em ciencias e dando aula pra meninada desassistida das favelas da penha. É uma honra encontrar o grande mestre aqui nas blogosfera, tenho muitos balaios de doce lembrança guardados nas caixinhas dos meus armários.

Douglas disse...

Passei por aqui.
Abraços.

Moacy disse...

Caro Alfredo: Tentei comentar no seu blogue e não foi possível de jeito nenhum. Grato pela visita, de qualquer maneira. Gostei de saber que você guarda alguns Balaios xerografados, pré-internet, hoje uma raridade. Um abraço.