quarta-feira, 3 de outubro de 2007

É VERDADE, É VERDADE. COMPREENDER O BRASIL
passa pelas interpretações de Gilberto Freyre e Sérgio Buarque de Holanda, Caio Prado Jr. e Josué de Castro, Antonio Candido e Celso Furtado, Raymundo Faoro e Florestan Fernandes, Milton Santos e Darcy Ribeiro, Abdias Nascimento e Guerreiro Ramos. Mas passa também pela grandeza multicultural de Luís da Câmara Cascudo. Contudo, a Biblioteca EntreLivros: Retratos do Brasil (nas bancas) preferiu sair pela tangente de forma lamentável. Ao excluí-lo do "corpo canônico" na consolidação de uma possível Biblioteca Brasiliana Básica, os editores, em discutível autocrítica, anotaram: "É claro que o leitor mais especializado notará ausências - como deixar de fora Câmara Cascudo, por exemplo? -, as quais pretendemos solucionar numa próxima edição". Numa próxima edição? Francamente! Retratos do Brasil, uma leitura complementar? Uma edição sobre o folclore brasileiro? A obra de Cascudo não se esgota no campo folclórco. Vai além. Muito além. Ousarei dizer: uma Biblioteca Brasiliana Básica - mesmo que a formássemos, por exemplo, com livros de apenas 10 autores - não poderá ignorar o nome cristalino do potiguar Luís da Câmara Cascudo.




BALAIO PORRETA 1986
nº 2131
Natal, 3 de outubro de 2007


MIRAGEM
de Paulo Jorge Dumaresq (RN)

Sertão
Ser tao grande ócio
Do Seridó ao umbigo
Tal qual jazigo sonhado
Por macambiras e bichos-preguiça

Entre Caicó e o infinito
É tudo tão tamanha sina
Que alucina o errante argonauta

Da rasa caatinga
Brotam messiânicas esperanças
Sob um céu púrpura de lirismo

Sertão
Ser tao de grande vereda
Onde convivem humanas catervas
E rebanhos nutridos de indigência
Na vã esperança de escaparem ao abate.


MARCONI LEAL x FAUSTO WOLFF

Pois é, meus caros amigos, minhas doces amigas: o blogueiro Marconi Leal foi plagiado pelo conhecido jornalista Fausto Wolff, que pisou na bola no caso em questão. Vejam como tudo aconteceu visitando o ótimo blogue do Marconi.


DE VOLTA AO RIO
A partir da próxima segunda, o Balaio voltará a ser editado no Rio. Diariamente, como antes. Nossas visitas aos blogues amigos também voltarão a ser feitas com a freqüência habitual.


UM SÍTIO PORRETA

Substantivo Plural, de Tácito Costa.
Literatura, cinema, poesia. E música.
Artigos e entrevistas. Dicas culturais.
Crônicas e leituras múltiplas de
Nelson Patriota, Carmen Vasconcelos e Carlos de Souza.


UMA CITAÇÃO ESPORRENTA

A maior lição de vida é a de que, às vezes, até os tolos têm razão. (Winston CHURCHILL)

10 comentários:

Pedrita disse...

olha só, vou passar correndo pelo rj em outubro. bejios, pedrita

adelaide amorim disse...

Ent�o voc� vem pra mais perto... Que bom! Um beijo.

Fernanda Passos disse...

o jogo de palavras da poesia é excelente. o plágio do fausto, uma vergonha e a alegria de te ter de volta, imensa.
um beijo querido.

*Josy! disse...

Sertaneja, nordestina, pernambucana...
Seinti até orgulho agora!
Parabéns, beijo grande!

Tião disse...

Bom retorno, meu caro. A gente fica aqui esperando você tirar do bisaco uma a uma as observações que derrubou a golpes de balieira simbólica durante a temporada potiguar.

ACANTHA disse...

Olha que coisa boa sua volta.. Ainda longe, mas mais perto de São Paulo!!

Romário Gomes disse...

Ah! O Ser-tão das nossas almas: um caminho muito longo! Na Professora Flávia, o Sertão de dentro, o lado de dentro. E se "o sertão é o mundo", o que não somos nós? Em Rubem Alves, Uni-verso.
Saudades, Moacy.
Abraços são-josé-seridoenses.

ediney disse...

sertões, sertões e suas muitas razões...como não se-lo

Lívio Oliveira disse...

Concordo, Moacy, com o comentário sobre Cascudo.Impressionante, como a imprensa e alguns "estudiosos" do sul teimam em ignorá-lo!
Abraço de Lívio
p.s. Você já foi e nem batemos um bom papo, né? Parece que está ficando mais difícil?!

Marco disse...

Coincidentemente, escrevi um post baseado em uma tese do Sergio Buarque.
E esse plágio do Wolf, heim? Que coisa...
Carpe Diem.