sexta-feira, 16 de novembro de 2007


Foto de
Narkau Hom
(China)
in
Open Photo


BALAIO PORRETA 1986
n° 2165
Rio, 16 de fevereiro de 2007



ÊXODOS
de Fabrício Marques (MG)
in Germina Literatura

vá para o ardor que te adense
vá para o salto que te sacuda
vá para o passado que te pertence
vá para o ruído que te restaure
vá para o frêmito que te festeje
vá para o vértice que te vasculhe
vá para o crepúsculo que te carregue


Cinema Rio
PRETENDO VER
[] Mutum, de Sandra Kogut, baseado em Guimarães Rosa.
No Espaço de Cinema/3. Ou no Estação Ipanema/1.
VALE A PENA (RE)VER
[] Jogo de cena, documentário de Eduardo Coutinho.
No Espaço de Cinema/2. Ou no Estação Laura Alvim.
[] Santiago, documentário de João Moreira Salles.
No Instituto Moreira Salles.


(RE)LEITURAS DO MOMENTO
[] Primeiro ato - Cadernos, depoimentos, entrevistas (1958-1974),
de Zé Celso Martinez Corrêa.
São Paulo : Ed. 34, 1998, 336p.
[] Às portas da Revolução - Escritos de Lênin de 1917,
de Slavoj Zizek.
São Paulo : Boitempo, 2005, 350p.
[] Sandman: Fim dos mundos [quadrinhos],
de Neil Gaiman & outros.
São Paulo : Conrad, 2007.
[] Caraíba [quadrinhos],
de Flavio Colin.
Rio de Janeiro : Desiderata, 2007, 126p.

|||||||||||||

A revolução cultural: a destruição de um Brasil de papelão, pré-americano, o reencontro da participação coletiva, o combate ao "espectador", a procura da Outra História do Brasil, da que vinha das resistências dos escravos, dos índios, dos imigrantes, dos seus auditórios loucos para participar. (Zé Celso Martinez CORRÊA. Longe do trópico despótico [1977], in Primeiro ato, p.126]

3 comentários:

ana de toledo disse...

Querido escrevedor de coisas bonitas! Que tal uma coisa bacana, tipo crônica, poesia pra eu colocar lá no blog??
Promete que pensa no assunto??
Beijão

Tácito disse...

Moacy,
Um lista que é provocação pura! Para dizer o mínimo. Só posso entender assim. Assino embaixo do seu comentário. Fitzgerald melhor colocado do que Márquez e Borges só pode ser brincadeira. O que dizer, então, da ausência de Graciliano e Guimarães? Até como referência (é assim que vejo as listas de um modo geral) essa da Bravo não deve ser levada muito a sério não. Outro problema, apontado por você, a mistura de gêneros literários, tornou a lista ainda mais disparatada. Quanto a Desonra, que conheci por indicação de Luís Carlos Guimarães, é um dos melhores livros que li nos últimos dez anos, senão o melhor mesmo.

Ane Brasil disse...

Cara, o Zé Celso é mesmo um cara que sabe das coisas!
Ainda não tive a oportunidade de ver esse cara em cena, acredita?
pois é, não tive.
Morando na província (Porto Alegre é uma província) fica complicado!
Sorte e saúde pra todos!