quinta-feira, 10 de abril de 2008


Foto de
Henri Cartier-Bresson,
num café de Paris,
em 1969,
o ano de
Othon (Straub & Huillet)
A cor da romã (Paradjanov)
Sons britânicos (Godard)
Macunaíma (Joaquim Pedro de Andrade)
O Lobo Solitário (Koike & Kojima)
Bianca (Crepax)
A mão esquerda da escuridão (LeGuin)


BALAIO PORRETA 1986
n° 2280
Rio, 10 de abril de 2008


GOZO
Carlos Pessoa Rosa
[ in Germina ]

se deixo nos lábios o poema
é para morder de leve a rigidez de seus seios
se acrescento sabores ao poema
é para agitar com mel a chama de seu gozo


POEMA DE BOSCO LOPES (RN)

ESTÁ ACONTECENDO

estão vendendo
o amor
empacotado
engarrafado
tabelado
num armazém
de secos & molhados
a felicidade
tem preço marcado
e pelas ruas
encontramos
os vendedores ambulantes
do ar que respiramos
e no artigo do dia
a ternura tem abatimento
o carinho está pelo preço da vida
e o sexo é mercadoria de alta rotação

[ in Corpo de pedra. Natal: Clima, 1987 ]


O HUMOR SEGUNDO MAX NUNES
[ in Uma pulga na camisola, de Ruy Castro ]

[] O sonho de todo homem de 85 anos
é ser assassinado por um marido ciumento.
[] Jornalista independente é aquele
que tem a mesma opinião do dono do jornal.
[] Copacabana é uma extensa faixa de terra banhada
de um lado pelo oceano Atlântico e,
do outro, pelo uísque falsificado.
[] Lugar de bígamo não é na cadeia. É no hospício.
[] Era um sujeito muito calmo.
Mesmo depois de morto conservou o sangue-frio.
[] Não era uma mulher; era uma guilhotina:
cinco homens perderam a cabeça por sua causa.

Manchetes que abalaram o mundo:

*** TARADO COME MAÇÃ E ATACA DONZELA NO PARAÍSO.
*** DESFALCADA A SELEÇÃO DA GRÉCIA.
ACERTARAM O CALCANHAR DE AQUILES.
*** AINDA NÃO FORAM ENCONTRADOS OS RESTOS MORTAIS
DO CHINÊS QUE INVENTOU A PÓLVORA.
*** IMPERADOR INCENDEIA ROMA.
BOMBEIROS CHEGARAM A TEMPO MAS FALTOU ÁGUA.
*** NAVEGADOR PORTUGUÊS SEM RADAR DESCOBRE O BRASIL.
*** PAGARAM UM MILHÃO PELA PERUCA QUE
MARIA ANTONIETA PERDEU NA GUILHOTINA.

2 comentários:

Oliver Pickwick disse...

Bem, este post é uma pequena revista de ótimos assuntos. Desde o instantâneo de Cartier-Bresson (repare como o cachorro presta uma atenção danada), até as manchetes que abalaram o mundo, e os poemas - especialmente o primeiro.
Um abraço!

Espartilho de Eme disse...

Moacy, Paris ainda não me existe in loco, mas a imagino como se eu a tivesse em mim. Beijos, Maria Maria