sexta-feira, 2 de maio de 2008


Ponte Pedra Lavrada
(ou Ponte de Zé de Bastos),
no município de Jardim do Seridó,
sobre o Rio Seridó,
inaugurada em
13/03/1927,
ano de
Aurora (Murnau)
A General (Keaton & Bruckman)
Outubro (Eisenstein)
O fim de São Petersburgo (Pudóvkin)
Napoleão (Gance)
O lobo da estepe (Hesse)
Livro de poemas (Jorge Fernandes)

Foto de
Novinha de Chico Assis


BALAIO PORRETA 1986
n° 2302
Rio, 2 de maio de 2008


VOCABULÁRIO SERIDOENSE
[ Fonte: Palavreado cá de nós,
de Max Antonio Azevedo de Medeiros ]

Abestado : Desatinado; Bobo
Abudegado : Afobado; Nervoso
Acatruzar : Aborrecer; Importunar
Boi : Menstruação
Cubar : Observar; Avaliar

Cu-de burro : Encrenca; Confusão
Cu-de-cana : Bêbado; Cachaceiro
Embuaceiro : Briguento
Embuchar : Engravidar
Empiriquitado : Enfeitado; Elegante
Enrabichado : Apaixonado; Enamorado
Entupigaitar : Atrapalhar-se; Desorientar-se
Estrupício : Coisa esquisita; Coisa complicada
Farinheiro : Ânus
Foba : Ânus
Fresco : Homossexual
Frucudo : Folgado; Divertido
Fuanga : Prostituta
Furunfar : Manter relações sexuais
Impofento : Antipático
Lambisgóia : Indivíduo magro
Mangar : Caçoar; Zombar
Marafaia : Prostituta
Papudinho : Cachaceiro
Pei-bufo : De imediato; Nesse momento
Perseguida : Vagina
Porta-jóia : Vagina
Prativai : Pênis
Trozoba : Pênis
Truviscado : Embriagado
Vuco-vuco : Loja que vende quinquilharias
Xirimbaba : Adulador; Puxa-saco
Xiringar : Dar uma esguichada; Jogar um jato d'água
Zurupenga : Sonolento; Embriagado; Adoidado

Nota:
Algumas dessas expressões são
usadas em todo o Rio Grande do Norte,
ou mesmo em Estados vizinhos.

5 comentários:

Carito disse...

Moacy: morei 08 anos em Ponta do Mel, na região de fronteira do RN com o Ceará, e é muito interessante vivenciar o linguajar peculiar da fronteira do oeste potiguar. Por exemplo - a expressão "botar boneco" não se fala em Natal, mas é muito comum por lá, porque é bem do Ceará que exerce total influência na região. Existe até uma tese de mestrado em Mossoró que se chama: "Mossoró Capital Fortaleza". Adorei o post. Como sempre. Abraços!

Mulher na Janela disse...

Adorei o vocabulário cá da gente, menino! Falo um bucado deles...

Um xero!

Iara

Dilberto disse...

Rapaz, que bela ponte (e que foto!) nessa região linda que deve ser o Seridó (pelo que você e Glória me contam...)! E adorei os ditos regionalismos e te digo que, com pouquíssimas exceções, os maranhenses as usamos todas!

Mestre Moacy: os Morcegos retornaram; não deixe de dar um pulinho por lá e deixar suas impressões! Grande abraço, meu caro!

Jens disse...

Oi Moacy.
Estou meio abudegado hoje muito trabalho e decisão do campeonato no domingo. Mas queria mesmo era estar enrabichado por um rabo de saia.
Um abraço. Bom findi.

Ane Brasil disse...

rapá, vou te dizer um negócio: mesmo tendo sido cuspida e criada aqui no sul(porto alegre), muitas dessas expressões semrpe estiveram presentes na minha família. ´só uma coisa: aqui, "lambisgóia" significa mulher oferecida, galinha. e a gente fala cu de boi, no lugar de cu de burro, qdo quer designar confusão.
Sorte e saúde pra todos!