sexta-feira, 15 de agosto de 2008


Casablanca.
Casablanca?

(Versão/recriação: Moacy Cirne)
Clique na imagem

para ver o trêiler do filme


BALAIO PORRETA 1986
n° 2400
15 de agosto de 2008

A vida na sua totalidade me ensinou como grande lição que é impossível assumi-la sem risco. E é assim que eu vivo.
(Paulo FREIRE, citado por Marcius Cortez,
in O golpe na alma, 2008)


CASABLANCA
Adriano de Sousa
[ in Poesia. Natal, 2008 ]

play, sam
play as time goes by
porra, estou farto de ouvir esses velhos escrotos
citando-me em falas que não são minhas
e que eles rolam entre os dedos
como ranho de nostalgia impotente
por uma nuvem de vestido azul
um mcguffin sentimental de merda
para fazê-la engolir sem engulhos
a porra da propaganda de guerra
a porra da aliança dos babacas franceses
com os babacas do meu país
play, sam
play as time goes by
se ela pode eu também posso, caralho
A COPA
Carmen Vasconcelos
[ in Substantivo Plural ]

Não se fala de boca cheia!
E é com molho de pimenta
que um prato se tempera,
não com assuntos desagradáveis.

Às vezes, uma folha de bananeira
e um camaleão
achavam de espiar pela janela da copa.

No depois,
as bananeiras foram cortadas.
O camaleão, que habitava o pomar
e as fantasias da menina brumosa,
sumiu do mapa
da minha casa.

6 comentários:

Francisco Sobreira disse...

Ah, Casablanca. Um dos maiores exemplos, se não o maior, de como o cinema americano fazia filmes comerciais com dignidade. Você está em Natal? Um abraço.

samuel disse...

Bela "recriação"!
Grandes textos!

Abraço

adelaide amorim disse...

Nem sei quantas vezes vi Casablanca, e nunca perde o charme.
Bons poemas, Moacy.
Um ótimo fim de semana, um beijo.

Tati Viana disse...

Oi seu moço!
Nossa, faz tempo que não vejo seus blogs... Me desculpa mesmo.

Bom, queria aproveitar e já tocar no assunto... Eu leio feeds, e não acho links pra adicionar à minha lista de blogs, nem consigo botar seus sites.... Por acaso você desativou seus feeds?
Poderia reativá-los? Seria mais bacana pra mim :).

Um abraço
Tati

Mme. S. disse...

belas aquisições de poemas no Balaio. besos, S.

Jens disse...

Porra, Sam, mais uma vez. Pelos velhos tempos.
Abração.