domingo, 24 de agosto de 2008


Foto de
Luís Diogo


BALAIO PORRETA 1986
n° 2408
Rio, 24 de agosto de 2008

Nasce o Sol, e não dura mais que um dia,
depois da Luz, se segue a noite escura,
em tristes sombras morre a formosura,
em contínuas tristezas e alegria.
(Gregório de MATOS. A instabilidade das cousas no mundo)


FEIRA DE PROVÉRBIOS ESPORRENTOS

Ele me prometeu brincos,
mas apenas furou minhas orelhas.

(Árabe)
Os homens são como tapetes:
às vezes precisam ser sacudidos.

(Árabe)
Se os filhos da puta voassem,
nunca veríamos o sol.

(Argentino)
Aqueles que não sonham estão perdidos.
(Australiano)
A língua suave é a árvore da vida,
a língua perversa quebra o coração.

(Bíblico)
A tinta mais fraca é melhor que a melhor memória.
(Chinês)
Falar sem pensar é atirar sem mirar.
(Espanhol)
Três espanhóis, quatro opiniões.
(Espanhol)
A partir de uma certa idade,
o único afrodisíaco é a variedade.

(Francês)
Dinheiro público é como água benta:
todos põem a mão.

(Italiano)

[ Fonte: Duailibi das citações, de Roberto Duailibi ]


O TRANSITÓRIO DEFINITIVO
Aníbal Machado
[ in Cadernos de João. Rio de Janeiro: José Olympio, 1957 ]

O meu fim é Santa Maria, castelo de passarinhos...
Me casaram várias vezes. Aos homens que feri em brigas pelo caminho, eu dizia: - Não há de ser nada; estou de passagem para Santa Maria.
E às mulheres que abracei: - Fiquem com os filhos. Eu levo a lembrança. Estou indo para Santa Maria, castelo de passarinhos.
Entre as muitas aldeias de pouso, numa acordei com banda de música e gente debaixo da sacada: - Senhor, sabemos que estais de passagem. Aqui ninguém presta. Aceitai ser o nosso chefe.
- Eu também não presto, respondi. E estou de passagem. Deixai-me dormir...
E bati-lhe a veneziana.
Fiquei. Armei pontes, retifiquei o rio. Construí piscinas e um auditório onde preguei a centenas de ouvintes.
Falaram-me de algumas precisões: um chafariz, uma igeja, uma escola, talvez uma nova seita. Que eu poderia etc...
Abri jardim para os namorados, horrorizei-me de meu próprio busto erguido entre as flores do canteiro principal.
E quando a moça mais linda que eu estreitara nos braços gemia: "Ó tu que para sempre será meu!", logo eu atalhava: "Não pode ser, minha filha, não pode ser... Estou seguindo para Santa Maria, castelo de passarinhos...".

Mais adiante, me condenaram. Respondi aos juízes:
- Para quê, se estou de passagem para Santa Maria? Mais vale, em vez da pena, um banho delicioso no rio.
E segui caminho.
Há mais de cinqüenta anos que estou indo para Santa Maria. O que não é sacrifício para quem sabe que há de chegar.
E enquanto não chego, vou-me distraindo à minha maneira, ora rindo, ora gemendo.
Os pequenos acontecimentos avultam aos meus olhos, os grandes se amesquinham.

Tomo parte na vida das cidades, nos negócios dos homens. E se acaso tropeço, não é contra as pedras, é contra a minha sombra.
Prendo-me aos seres e objetos com o fervor de quem vai perdê-los para sempre. Porque afinal este mundo, tal como está, se eu gosto dele um bocadinho, é no momento mesmo em que penso largá-lo. Mas isso eu nunca digo.
E vou andando...
Se alguém pergunta quem sou, respondem todos: - Não se sabe. Vive dizendo que está indo para um castelo de passarinhos...
Sempre assim.
Quando a vida me aborrece, largo tudo de repente, apanho a trouxa, e vou tocando devagarinho para Santa Maria, castelo de passarinhos...

[ Aníbal Machado ]


COMO SE FOSSE A PRIMAVERA
Márcia Maia
[ in Mudança de Ventos ]

Às seis da tarde, a lua nascia cheia despertando jasmins em meu vestido. Girassóis brotavam nas calçadas. E o mar floria de estrelas nossos pés.

5 comentários:

Francisco Sobreira disse...

Belo texto esse de Aníbal, extraído de Cadernos de João, que tenho tanta vontade de conhecer. Essa Santa Maria me parece uma Pasárgada do personagem-autor, não? Um abraço.

Lívio Oliveira disse...

Gosto dos aforismos e dos provérbios. Interessantes os que estão no post.
Abs.

Sandra Leite disse...

Gregório de Barros, perfeito!!!

Caríssimo, ainda com problemas junto ao firefox. Chato isso não é?

Vamos à luta!

bjs

Sandra Leite disse...

Moacy, querido,

Novamente aqui e feliz: vim dizer que o calçadão já está esperando. Problema solucionado. UFAAAAA

bjo

Jens disse...

Oi Moacy.
Supimpas os provérbios.