quinta-feira, 9 de julho de 2009


A francesinha da foto,
clicada por Denis Saint-Clair,
manifestou o desejo de conhecer
a Festa de Sant'Ana, de Caicó,
e já mandou perguntar:
"Vale mesmo a pena conhecer o Bar de Ferreirinha?"


BALAIO PORRETA 1986
n° 2717
Rio, 9 de julho de 2009

Atualização às 9:36h:
O Balaio acaba de atingir a
marca de 100.000 visitantes,
com 142.270 páginas vistas,
tomando como referência inicial a data de
30 de janeiro de 2007.


Se o horário oficial é o de Brasília, por que a gente tem que trabalhar na segunda e na sexta?
(De um frequentador do Bar de Ferreirinha, em Caicó)


SEM PALAVRAS
Sônia Brandão
[ in Pássaro Impossível ]

Desprezo as palavras inúteis.
Quero o poema como um grito no escuro.
Mais nada.


AUTO-RETRATO
Mirse
[ in Meu Lampejo ]

Sou a lágrima furtiva,
o engano em forma de vida
Da fotografia, sou o negativo
Na natureza, sou o desvio,
Não sou sombra, sequer o abrigo
Do destro, sou a mão esquerda
Na companhia, sou a ausência
Das palavras, sou o silêncio
Sou o ápice da dor
Sou o espinho que feriu
em forma de coroa,o Criador
Sou a mãe que não vingou
Borboleta sem cor
Perdida num mundo
Imundo de Amor?
Sou a obra inacabada
De Mondrian,
Sou o que ele não acabou.


DIA DE JOGO DO FLAMENGO
Elianne Diz de Abreu
[ in Caminhar ]

Pediu:

- Por favor, pare de arrastar este chinelo, veja o jogo sentado!

Ele fingiu não ouvir, continuou andando de um lado para o outro falando sozinho, xingando os jogadores do time adversário.

Ela, em desespero, se ajoelhou no chão e arrancou os chinelos daqueles pés imundos. Jogou-os pela janela, agarrou seus próprios cabelos, batendo a cabeça na parede.

Ele fingiu não ver.

Ela saiu da sala em direção ao quarto. Abriu as persianas velhas com dificuldade.

Ele ouviu o estrondo do corpo no chão, levou um susto, foi até a janela.

"A esta hora e ela ainda veste roupa de dormir" - pensou.


OS PRIMEIROS POEMAS de
CHICO DOIDO DE CAICÓ (1922-1991)
publicados no Balaio
[ in n° 263, de 11 de março de 1991 ]

Sangria sangrando sangrar
O Itans é o nosso mar
Sangrando sangrar sangria
O Itans é a nossa alegria
Sangrar sangria sangrando
O Itans é o nosso chão sagrado.

[][][]

Alguns gostam de fi-o-fó
Outros de suco de mangaba.
Eu, mais modesto,
Gosto mesmo é de uma
Xiranha em noite de luar.

[][][]

Meu compadre
Minha comadre
O Rio Seridó hoje tá uma beleeeeeeeza.

[][][]

- Compadrim meu,
Existe coisa melhor do que farinha com rapadura?
- Existe, hômi!: mulher nova, borogodosa e cheia de quentura.

EIS O FAMOSO FERREIRINHA
entre algumas das mulheres
(as Benévolo e as Cosmim)
dos frequentadores de seu bar, em Caicó
Fotos extraídas
do blogue de
Roberto Fontes & Pituleira

20 comentários:

Diz disse...

Oh! Cirne, obrigadíssimo. Eu estou chorando aqui- ando mto triste, minha gatinha de estimação sumiu do nadano domingo- deve ter sido roubada- era castrada e moramos em cond fechado de casas. :(
pelo menos vc me dá uma alegria hj, bjão Elianne

líria porto disse...

ufa - enfim vejo que há mulheres no bar de ferreirinha - achei que era o clube do bolinha, já fui lá e não consegui entrar!!!

o chico doido é um poetaço!

sônia brandão, mirse, elianne - oba!

besos

Mirse disse...

Moacy,

Fico honrada, ao mesmo tempo que curiosa em saber seus critérios de sensibilidade ao escolher poemas para o Balaio! Agradeço!

Não sabia que flamenguista sofria tanto assim.

Adorei o Chico Doido, e conhecer o Bar e o povo que frequenta o Ferreirinha!

Beijos

Mirse

BAR DO BARDO disse...

esse chico precisava de escrever um conto, sugiro o nome "O alienista"...

vou destacar o poema da Mirse. pronto, destaquei!

- à menina da foto... favor, há também o bar do bardo... -

Pedrita disse...

sangrar, sangrando. beijos, pedrita

Mme. S. disse...

Parabéns pelos cem mil acessos. Ficarei aqui até que cheguemos à marca dos um milhão e depois e depois e depois. um cheiro de saudade. S.

nina rizzi disse...

"eu não sei porque razão
A gente fala mal delas (as mulheres),
Na verdade a gente quer
É ter um balaio delas.
Vocês querem um balaio?
E nós queremos todos[...]"
Nalva POeta, cordelista dessa terrinha boa, cordelista dessa terra que me parece tão boa, e que hoje vive nessa minha tão bela.

eu gostei da estrutura de madeira ao fundo da primeira foto... rsrsrs...

beijo :)

Dilberto L. Rosa disse...

Oui! Se esse peitinho à francesa dá as caras no bar do Ferreirinha, que beleza de bar este não deve ser?! Quando em Caicó, não deixe de me levar lá! E Chico Doido é quem sabe mesmo das coisas... Abração, meu velho!

Tahiane disse...

Roberto bem bebinho ja...
hahaha
aposto = )

Adriana disse...

Essa bar di /ferreirinha parece dar o que falar...rs

Anônimo disse...

Eita que poeta do cacete esse Chico Doido.Moacy meu irmao a leitura diaria do Balaio tá me fazendo um bem danado.Seus leitores também são otimos. Foram selecionados?Mande a Princesa o mais rápido possivel. Pituleira.

Marcelo Novaes disse...

Moacy,


Esse bar inspirou o Chico Doido, sem falar das ariranhas e outros bichos bem acochambrados e ajambrados. E a veia poética de Chico Doido sangra pra daná. E o time feminino de escritoras de hoje está muito bom: Mirze, Sônia e Elianne.

:)






Abraços,








Marcelo.

Anônimo disse...

Só mesmo o Balaio pra fazer Pituleira ficar diante de um computador.O cara é talentoso mais é mais preguiçoso do que a propria Preguiça.Bibica.

Francisco Sobreira disse...

Puxa , velho, cem mil visitas! Parabéns! Dos 2 poemas, me agradou mais o de Mirse. Agora, Moacy, no poema da Sônia, estranhei a palavra "geuto". Fui ao Aurélio e não a encontrei. Não seria "gesto"? Um grande abraço.

Cosmunicando disse...

Moa, já estou numa fissura de conhecer o tal Bar do Ferreirinha, que nem queira saber.
Parabéns pela marca de 100.000 visitantes, você merece isso e muito mais!
Os poemas, como sempre, escolhidos com esmero.
beijo

Anônimo disse...

Cosmunicando, venha.Será um prazer.Galera de Ferreirinha.

Cosmunicando disse...

opa! que maravilha!!
me aguardem =)

Sônia Brandão disse...

Parabéns, Moacy, pelo marco atingido.
Obrigada por mais uma vez colocar aqui o meu poema. A minha poesia se torna bem mais visível. É muito bom estar junto a tanta gente boa.
Um beijo.

Sergio Andrade disse...

Parabéns pelos 100.000 visitantes, meu caro!

Hercília Fernandes disse...

Mais um excelente número, Moacy.

Meus parabéns às vozes femininas em destaque. Abraço especial na Mirse, amei o seu poema. De fato somos inacabados, eis aí uma verdade...

Beijos em todos e todas.
H.F.