quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Foto de
Yuri Bonder


BALAIO PORRETA 1986
n° 2750
Natal, 12 de agosto de 2009


Olhar uma árvore
é multiplicar o olhar.
(José Carlos BRANDÃO, in Poesia Crônica)


AMIGOS À PARTE
Henrique Pimenta
[ in Bar do Bardo ]

chega de simpatia
chega de melhores amigos
ouvidos para a psicanálise
caminhadas no parque
brincar de vôlei na areia
lentinhos contra lerdinhos
tirar um milhão de fotos ridículas e
o que é pior editá-las salvá-las no pecê e
colocá-las em destaque na disneylândia virtual
detonar uma garrafa de vodka com energético
fumar um baseado
recitar maiakovsk augusto dos anjos
rimbaud ginsberg e uma antologia com
os melhores poemas do mundo
oito seus quatro meus e três em parceria
manter o pacto do silêncio
mesmo depois do vomitório
falar de rock a tarde inteira
enfatizar a letra jota
falando nisso
sentir pena da ju grávida
dizer que o ameba é um tremendo de um sacana
ir ao sebo para curtir uma
ler um catatau de ciênciais sociais
odiar a burquesia
ainda que alguns dos inimigos
do operariado estejam no espelho do meu banheiro
gritar às armas
depois ir ao shopping
eu vou com o meu all star estiloso
e você com hidratação progressiva e corte de 800 pilas
sonhos açucarados com duas colheres de ilusão
coca e pipoca para assistir puta que o pariu
comédia romântica e chorar e chorar e chorar
chega
chega de simpatia
chega de melhores amigos
basta dessa porra toda
que mentira do caralho
eu disse chega
olha pra mim
eu quero trepar com você
Do Arquivo Nacional da Torre do Tombo
SENTENÇA PROFERIDA EM 1487
NO PROCESSO CONTRA O PRIOR DE TRANCOSO

(Autos arquivados na Torre do Tombo, Armário 5, Maço 7)

"Padre Francisco da Costa, prior de Trancoso, de idade de sessenta e dois anos, será degredado de suas ordens e arrastado pelas ruas públicas nos rabos dos cavalos, esquartejado o seu corpo e postos os quartos, cabeça e mãos em diferentes distritos, pelo crime que foi arguido e que ele mesmo não contrariou, sendo acusado de ter dormido com vinte e nove afilhadas e tendo delas noventa e sete filhas e trinta e sete filhos;
de cinco irmãs teve dezoito filhas;
de nove comadres trinta e oito filhos e dezoito filhas;
de sete amas teve vinte e nove filhos e cinco filhas;
de duas escravas teve vinte e um filhos e sete filhas;
dormiu com uma tia, chamada Ana da Cunha, de quem teve três filhas,
da própria mãe teve dois filhos.

Total:

duzentos e noventa e nove filhos, sendo duzentos e catorze do sexo feminino e oitenta e cinco do sexo masculino, tendo concebido em cinquenta e três mulheres".

Mas...

"El-Rei D. João II lhe perdoou a morte e o mandou pôr em liberdade aos dezassete dias do mês de Março de 1487, com o fundamento de ajudar a povoar aquela região da Beira Alta, tão despovoada ao tempo, e guardar no Real Arquivo esta sentença, devassa e mais papéis que formaram o processo".

20 comentários:

José Carlos Brandão disse...

Obrigado, Moacy.
Grande honra estar aqui.
É me multiplicar.

Abraços,
Brandão.

Mirse disse...

Bom dia Moacy!

Esse Henrique é mesmo PIMENTA! Mas é um grande poeta e sonetista de primeira.

Em Recalcitrante, caramba....nem sei o que dizer. Bem, é humano!

Beijos

Mirse

BAR DO BARDO disse...

Estar entre Mestre Brandão e Meg, mérito para poucos: obrigado!

Bom dia, Moa e seus leitores!

nina rizzi disse...

bom dia :)

eu estou completamente contemplada: beat-beach-niques... olhos e capas como num souvenir ou filme antigo onde nao sinto autopiedades.

poesia, história, tudo é balaiada!
beijo :)

Soninha disse...

Olá, Moacy!

Inciciou lindamente o post de hoje com a frase do Bandão. Adorei!
Não consegui sentir a mesma coisa ao ler Pimenta. Óbvio, não é?!
Em Recalcitrante, lembrei-me de nossa realidade brasileira sobre política, que arquiva-se os podres e se enaltece vilões.

Minha reverência a você!

Muita paz! Beijossssssssss

Marcos disse...

Caros amigos:

Considero comovente a experiência de Padre Francisco da Costa: viveu o desejo muito acima da culpa, espero que suas mulheres tenham experimentado sentimento e prazer semelhante ao transarem e gerarem novas vidas com ele. Pode parecer tolice, em nosso tempo pós-pílula, mas a força da preservação da espécie e a beleza do gozo são grandes energias. Prefiro encarar essa vida e sua capacidade de se compartilhar com tantas outras vidas como um exemplo de beleza nas relações entre homem e mulher.
Abraços:

Francisco Sobreira disse...

Me lembrava, Moacy, dessa história sobre o padre português, mas foi bom relê-la. Um abraço.

Lívio Oliveira disse...

Belíssima foto e sobre o poema de Pimenta, falar o quê? Obra de mestre!
Abraço.

Barbara disse...

O Rei foi sábio , pois como diz o Ziraldo, vai ter juízo final porque ninguém tem culpa sòzinho.
O Pe. Francisco pelo visto não foi pelas "beiras" mas mantinha seu instrumento sempre em "alta" e talvez o nome do povoado não seja Beira Alta em função de relêvo ou coisa assim...
Mas a foto que escolheram está lindíssima, de uma sensualidade recatada, dessas de que os homens sentem falta hoje em dia .
Uma foto a povoar sonhos.
Obrigada.

Nydia Bonetti disse...

Um balaio de amigos hoje: Meg, José Carlos, Henrique e Moacy - talentosos, sensíveis, raros. Bom demais ler (ver) vocês. beijos

Adriana Godoy disse...

Trazer o Pimenta para esse espaço foi uma boa jogada. Já comentei no blog dele a respeito desse poema e posso dizer, excelente!

Bar de Ferreirinha 50 anos, desde 1959 disse...

Tesão maior que a desse padre só a do milinário americano, de 84 anos, que casou com uma loura de 24, mas foi abandonado por ela três meses depois, porque a póbe não aguentava mais transar. O velhinho é o capeta, igual ao endiabrado padre Francisco da Costa, que era um fudedor clássico, sem o aditivo azul. O Bar de Ferreirinha vai tratar da fúria viagriana de hoje pra amanhã. E vamos fornicar!
Abraço,
Roberto

Jens disse...

Moacy: em sua defesa, o padre português poderia alegar que estava segundo ordens do Senhor das Alturas: crescei e multiplicai-vos.

Um abraço.

Dora disse...

Nossa! Um quer "trepar com a namorada", o outro faz 299 filhos!
Há um clima de sexo e fertilidade por aqui!! rs
E ainda a moça de uma beleza frágil e sensual, logo na abertura do blog.
Essa sua página aqui vai se multiplicar por muito tempo na blogosfera, Moacy!
Abraço forte!
Dora

Hercília Fernandes disse...

"Olhar uma árvore
é multiplicar o olhar".

O texto do Brandão abre, lindamente, o post, Moacy. Em seguida nos deparamos com a bela poesia "desbravadora" do Henrique Pimenta e as fecundas peripécias do Padre Português.

Uma delícia este número do Balaio. Parabéns!

Beijos :)
H.F.

Marco disse...

Caraco!
Não livrou nem a cara da própria mãe???? Passou o rodo nas irmãs, primas tias, escravas, vizinhas, afilhadas... mas quando ele tinha tempo para rezar missas, ouvir confissões, ministrar sacramentos... Acho que ele fazia isso tudo pelado, para dar tempo.
Tiro o meu chapéu para este padre... mas tiro o chapéu com a bunda escostada na parede, deixo claro. Com esse fauno não se podia brincar.
Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

pituleira disse...

Moacy,esse padre com certeza não tinha tempo pra rezar.

pituleira disse...

Moacy,esse padre com certeza não tinha tempo pra rezar.

pituleira disse...

Moacy,esse padre com certeza não tinha tempo pra rezar.

Bosco Sobreira disse...

Meu caro Moacy,
O mecanismo do blogspot que atualiza a "feira dos blogues" parece que deixou de lado os blogues de outras empresas, com o wordpress. Deve ser mais um caso de "reserva de mercado".
Minha preocupação, acredite, deve-se ao fato de ,além do meu (dispensável), você tem listado blogues que valem a pena serem visitados. Não d[a, infelizmente, para fiar-se na tal atualização,
Gostei muito do poema do Pimenta. Muito.
Forte abraço.