terça-feira, 22 de setembro de 2009

Praia do Amor, em Pipa (RN)

Foto:
Hugo Macedo


BALAIO PORRETA 1986
n° 2791
Rio, 22 de setembro de 2009

Nossa época, embora fale tanto de economia, é esbanjadora: esbanja o que é mais precioso, o espírito.
(Friedrich NIETZSCHE. Aurora, 1881)


POEMA
Cláudio Schuster
[ in Beba Poesia ]

não estranhe
se eu subir as paredes
como um sol
ou descer ao centro da terra
como uma ficção
ou sumir no silêncio
como um criminoso
como um criminoso
ensolarado e irreal
eu volto



O AVESSO DOS DIAS
Theo G. Alves
[ in Museu de Tudo ]

de que matérias
se constrói um dia?

quanto de
aço vidro concreto madeira
é necessário para
erguer
as paredes sólidas
de um dia?
- 24 horas
que descabem nos dedos.

não sei.

quero antes
a matéria negra de seu
avesso
as iluminuras de seu
avesso
- a palavra nenúfares
- as chuvas insólitas de janeiro
- a ausência dos carros na madrugada
- os céus isentos de aviões e impostos
- a lama
- o cadáver já frio dos relógios

de que matérias
se constrói um dia -
um mísero número
no calendário silencioso?

não sei:
só dos dias o
avesso
me comove.



GUARDADOS
Marcelo Novaes
[ in Prosas Poéticas ]

Diga onde eu guardei meus olhos que eu te digo o resto. Aponto para aquela árvore: o local da cessação do sofrimento. Diga onde eu guardei meu olhos que te prometo: nunca mais sonho. Aponto para um local distinto onde não encontrarás assento. Diga-me onde eu guardei meus olhos que eu te guardo, enquanto me ofereço.


MÁXIMAS & MÍNIMAS DO BARÃO DE ITARARÉ
[ in AlManhaque, n° 3 ]

Juramento é a mais solene e grave das mentiras.

Boate é uma gafieira metida a besta.

Quem tem saúde de ferro pode um dia enferrujar.

Este mundo não é mais mundo: é imundo!

Não há amor sem beijo nem goiabada sem queijo.

Os homens são sempre sinceros. O que acontece, porém, é que, às vezes, trocam de sinceridade.

Quem inventou o trabalho não tinha o que fazer.

Para este mundo ficar bom, é preciso fazer outro.

Anistia é um ato pelo qual o governo resolve perdoar generosamente as injustiças e crimes que ele mesmo cometeu.

Deus dá peneira a quem não tem farinha.

Deputado come o milho, papagaio leva a fama.

A televisão é a maior maravilha da ciência a serviço da imbecilidade humana.

Não há grandes papeis, mas grandes atores.

10 comentários:

Marisete Zanon disse...

Teu Balaio...sim senhor viu? Lindo com todos esses poemas que vc apresenta!
esmaques pra ti guri!

Mariana Botelho disse...

Moa, que praia é essa?! Isso existe? E pensar que minha mãe parte de Minas pra morar nesse paraíso semana que vem!

Adoro o humor do Barão de Itararé.

Belo texto o do Marcelo e do Theo.

beijo

Mulher na Janela disse...

poesia de théo. dá vontade de comer todo dia.

beijos...

Nydia Bonetti disse...

Tá lindo o balaio hoje, Moacy. beijos

Marco disse...

Eita... Saudades de Pipa... Praia maravilhosa!
Caro mestre Moacy, colocar máximas do Barão de Itararé e garantia de uma postagem de alta qualidade, que ainda tem os poemas ótimos que você, como poucos, sabe garimpar. Muito bom!
Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Marcelo Novaes disse...

Moa,



Bela a escalada luminosa do Cláudio e a perscrutação dos avessos de Théo. As máximas do Barão são de quem [muito] meditou sobre a vida. E juramentou o meditado.




Abração,








Marcelo.

Jens disse...

Dizem que a poesia é o pão do espírito.
Saio daqui empanturrado.

Um abraço.

nina rizzi disse...

grandes atores...

uau. que praio. e com um nome desses dá até vontade, pois não?

bebi no museu, moacy. dá até vertigem poesia assim. coisa mais linda.

beijo.

líria porto disse...

oi, moa - tanto mar! vai ver eu já fui... serei-a?

esse barão de itararé... "quem inventou o trabalho não tinha o que fazer" assino!!

beleza de poema o do théo - e afinal, de que matéria é feito o dia???

besosssssssss

Mirse Maria disse...

Boa tarde, Moacy!

Linda fotografia! E citação de Nietzsche!

Marcelo Novaes, lindo poema-prosa que comentei ontem. Vou lá depois ver se ele aceitou meu pensamento. Mas ele é sempre nota 1000.

Gostei muito do Cláudio Schuster. Sempre pense em subir paredes, mas não havia pensado em subir como sol. Lindo!

heo G Alves também dá um show com seu poema interrogatório-reflexivo.

Barçao de Itararé é o máximo nas máximas!

Parabéns, amigo!

Sei como deve dar trabalho o que fazes, mas para nós é prazeiroso e encantador esse BALAIO!

Beijos

Mirse