segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Diana depois de seu banho (1742)
FRANÇOIS BOUCHER
"Aquela, a da esquerda, sou eu, Diana Lucrecia. Sim, eu, a deusa do carvalho e dos bosques, da fertilidade e dos partos. a deusa da caça. Os gregos me chamam de Artemisa. Tenho parentesco com a Lua e Apolo é meu irmão. Entre os meus adoradores predominam as mulheres e os plebeus. Há templos em minha homenagem espalhados por todas as selvas do Império. À minha direita, inclinada, olhando o meu pé, está Justiniana, minha favorita. Acabamos de tomar banho e vamos fazer amor". (Mario Vargas LLOSA. Elogio da madrasta [1988], trad, 2009 Ari Roitman & Paulina Wacht, p.55)


BALAIO PORRETA 1986
n° 2844
Natal, 16 de novembro de 2009

O personagem principal não está no quadro. Melhor dizendo, não se vê. Anda lá por trás, escondido no arvoredo, espiando-nos. Com seus belos olhos cor de amanhecer meridional bem abertos e o rosto redondo acalorado pela ânsia, deve estar lá, acocorado, em transe, me adorando.
(Mario Vargas LLOSA, obra citada)


UMA PALAVRA/ PEDRA
Theo G. Alves (Currais Novos, RN)
[ in Museu de Tudo ]

despida
entre aspas
a bruteza
de sua anatomia
me comove

crua
e pétrea
sua musculatura
e espinha
me enternecem

grossa
tessitura de pele
densa
pluma metálica
me toca

seu/ meu
o corpo rígido
o ventre mineral
da palavra
pedra


POEMA
Carito
[ in Os Poetas Elétricos ]

Vivi um tempo no deserto
Deserto geográfico-físico
Geográfico-humano
Deserto real e metafórico
De mirar miragens
De lirismo épico
De quietude inquieta
Certa vez um amigo geólogo me explicou que para ser deserto precisava ser uma área maior de não sei quantas dimensões
Os cubistas introduziram a quarta dimensão na pintura
Zé Ramalho disse que no tempo só tem espaço
O deserto nada disse e quando nada disse ainda assim se fez deserto mesmo num pequeno espaço
E num pequeno espaço de tempo
Era uma área grande?
Foi por pouco tempo?
Só sei que sonhei com imagens cinematográficas e as tive
Dirigi por areias escaldantes
Descobri o mar do sertão
Testemunhei o assoreamento do rio
Fui estrangeiro
Instalei pára-raios
Escutei histórias de realismo fantástico
Conheci o significado da palavra estirâncio
Conheci outros dicionários...
Fui embora?
À noite o vazio vem me visitar
Nem sempre é fácil respirar outros áridos.



POESIA
de José Lucas de Barros (RN)
[ in Caminhada. Natal, 1958]

Mote:
Não posso vencer a morte,
mas irei de má vontade.

Glosa:
Mesmo que eu pareça forte
como touro premiado,
serei um dia enterrado,
não posso vencer a morte;
do Rio Grande do Norte
levarei muita saudade...
Promessas de eternidade
me fazem crer noutra luz.
Eu sei que é pra ver Jesus,
mas irei de má vontade.



Mercedes Lorenzo
[ in Cosmunicando ]


há que inutilizar a palavra
reduzi=la ao murmúrio átono
do átomo vazio
há que desnudá-la
e destituí-la do seu
poder
até roer as cordas
do signi ficado
até que restem, sós
fragmentos do nada

até que sobrevenha
irreversível
o poema.


UVA E TRIGO
Henrique Pimenta
[ in Poivre ]

Teus véus, teus arabescos, teu perigo,
Eu quero o teu conjunto sem ciência.
Queremos uma forma de inocência,
Queremos tanto a uva quanto o trigo.

Abraços que se encaixam em abrigo
De gritos, de murmúrios, de indecência
De senso sem sentido, com essência.
Convença a teus silêncios do que digo.

Lencóis desarrumados sobre a cama...
A luz que vem dos olhos de Javé...
Teu colo, minha boca, tua chama,

Meu falo, tuas coxas... E este pé?!
Se queres que eu te seja quem te ama,
Insisto em ser aquele que já é!



FEIRA DE CITAÇÕES ESPORRENTAS
[ in O livro dos insultos de H.L Mencken,
editado pela Companhia das Letras, de São Paulo ]


|| Digam o que quiserem sobre os Dez Mandamentos, devemos nos dar por felizes por eles não passarem de dez.

|| Mostre-me um puritano e eu lhe mostrarei um filho da puta.

|| O principal conhecimento que se adquire lendo livros é o de que poucos livros merecem ser lidos.

|| O adultério é a democracia aplicada ao amor.

|| Imoralidade é a moralidade daqueles
que se divertem mais do que nós.

15 comentários:

líria porto disse...

da imagem aos versos (mercedes carito pimenta...)teu gesto - obrigada pelo balaio logo assim, no comecinho da semana!
besos

Henrique Pimenta disse...

Ri ri ri... >>>
É um prazer aportar no Balaio. >>>

Agradeço pela divulgação do meu blogue fescenino. >>>

>>> Parabéns, Mestre Moa!
>>> Parabéns, colaboradores!

Canto da Boca disse...

I-m-p-e-c-á-v-e-l!

Assim numa só palavra, o Balaio sempre Porreta!

Boa semana, Moacy, grande abraço!

nina rizzi disse...

moacy,

eu não consegui ler os poemas. eu não consegui. isso eu faço mais tarde, que agora, ellenía se esconde atrás de um carvalho... junta-se à alexandrina (mas uma alexandrina inventada, uma alexandrina de pedra que só serve como beta à Alfômegamento). ficarei bem queitinha atrás dos carvalhos e nas cavernas, inventando jogos pra agradar Anamarín, que agora não é mais Anamarín, mas o menino. o menino.

"a realidade nunca era tão perfeita quanto as ficções" (Mario Vargas Llosa)

Pedrita disse...

adoro essa tela. beijos, pedrita

Mirse Maria disse...

Boa tarde Moacy!


A tela, é realmente linda!

Carito, Lorenzo e Henrique Pimenta é dose! Maravilha de trio, não desmerecendo os outros como Theo que gosto muito!

Quer dizer que imoralidade é a moralidade daqueles que se divertem mais??????

Beleza!

Beijos

Mirse

Marcelo Novaes disse...

Moa,


Carito deu as coordenadas.
Henrique serviu a refeição.





Abração,










Marcelo.

dade amorim disse...

Delícia total, desde a imagem até os insultos de Mencken.

Abração e boa semana, Moacy.

Jens disse...

Oi Moacy.
Bom amenizar o desconforto físico e a ressaca espiritual da segunda-feira com boa poesia e, claro, com as observações certeiras e ferinas de HL.

Um abraço e uma boa semana.

assis freitas disse...

Citações para uma segunda. Llosa é um porreta.

vais disse...

Saudações Moacy,
pra começar uma semana porreta, recomenda-se doses do Balaio, desde a segunda.
tudo de bom e tudo do bom por aqui
abração e otésima semana

Cosmunicando disse...

Moa querido,
baita saudade daqui... mas dei nó em pingo d'água hoje pra vir agradecer a tua lindeza, visse menino?
Assim que a coisa acalmar, mato a lombriga das leituras atrasadas, não só do Balaio mas dos poetas que estão publicados nele :)
Amei as citações esporrentas!!
grande beijo.

Carito disse...

Feliz por desertar por aqui...

Tobias disse...

Rapaz, como escreve bem, esse Carito...

Theo G. Alves disse...

querido moacy,
vim em atraso agradecer pela honra/presente de figurar no Balaio vermelho mais porreta do mundo.

estive fora do ar uns dias. ainda estou. mas volto.

abraço!!