domingo, 13 de dezembro de 2009

OBRAS-PRIMAS DO CINEMA
Clique na imagem
para verouvir o trêiler de
Carta de uma desconhecida
(Max Ophuls, 1948)
Para Lisa Berndl (Joan Fontaine), um amor inesquecível; para o pianista Brand (Louis Jourdan), mais um amor descartável: um dos mais belos filmes da história do cinema sobre sobre amores não correspondidos. A narrativa tem como base a leitura de uma carta, escrita por Lisa, e se constrói de modo admirável num clima carregado de cores (em p&b) sombrias. Entre os roteiristas, além do próprio Max Ophuls, um ótimo diretor injustamente ignorado pelas novas plateias, encontra-se Stefan Zweig.


BALAIO PORRETA 1986
n° 2868
Natal, 13 de dezembro de 2009

Às vezes tenho desejos impublicáveis.
(Marlene dos SANTOS, cf. Balaio n° 900, de 9/nov/1996)


GRANDES FILMES PRODUZIDOS EM 1948
segundo a nossa leitura crítico-afetivo-seridoense
sujeita a revisões, morangos e tangerinas:

1. O tesouro de Sierra Madre (Huston)
2. A terra treme (Visconti)
3. Rio Vermelho (Hawks)
4. Carta de uma desconhecida (Ophuls)
5. Fort Apache / Sangue de herois (Ford)
6. Ladrões de bicicletas (De Sica)
7. Louisiana story (Flaherty)
8. Key Largo / Paixões em fúria (Huston)
9. Macbeth (Welles)
10. Sangue das bestas (Franju), curta


EXERCÍCIO DA CRUELDADE
Zémaria Pinto
[ in Fragmentos de silêncio. Manaus, 1995 ]

palavras são serpentes, são navalhas
são balas que explodem dentro do peito
de quem ouve e de quem fala.


LAUREL
Affonso Ávila
[ in O visto e o imaginado. SP/MG, 1990 ]

não dormir sobre os louros
antes sobre as louras


POEMA DO AMOR SEM EXAGERO
Joaquim Cardozo
[ cf. Poesias completas, 1971 ]

Eu não te quero aqui por muitos anos
Nem por muitos meses ou semanas,
Nem mesmo desejo que passes no meu leito
As horas extensas de uma noite.
Para que tanto Corpo!
Mas ficaria contente se me desses
Por instantes apenas e bastantes
A nudez longínqua e de pérola
Do teu corpo de nuvem.


Memória 1978
OS DEZ CONTOS MAIS IMPORTANTES
DA LITERATURATURA MUNDIAL
segundo Tarcísio Gurgel - RN
[ in Revista Vozes. Petrópolis, setembro 1978 ]

Missa do Galo (Machado de Assis)
Auto-estrada do sul (Cortázar)
Os funerais da Mamãe Grande (Márquez)
Episódio do inimigo (Borges)
A terceira margem do rio (Guimarães Rosa)
Kaschtanka (Tchecov)
Escaramuça contra Sartoris (Faulkner)
O piano (Aníbal Machado)
Torotumbo (Astúrias)
A morte de D.J. em Paris (Roberto Drummond)

5 comentários:

Pedrita disse...

eu adoro de 1986, eu sei que vou te amar do jabor, está entre meus filmes preferidos. tb gosto muito de o nome da rosa, q me levou a ler o livro do umberto eco logo depois, foi o primeiro q li desse autor. amo tb veludo azul, o sacrifício, matador do almodóvar. vixe, a lista não acaba nunca. beijos, pedrita

Sergio Andrade disse...

Meu caro, sem dúvida Carta de uma Desconhecida conta uma estória de amor belíssima, dirigida com grande delicadeza por Ophuls.

Um abraço!

Assis Freitas disse...

Grandes filmes e grandes contos. De Sica ganhou uma homenagem belíssima no filme Ladrões de Sabonete. De Cortázar elejo A casa tomada, ou todo o Bestiário. De Borges e Machado é muito difícil escolher um, são tantos e tão magistrais. Mas lista é assim mesmo. Bom domingo.

Assis Freitas disse...

Ah esqueci de dizer, concordo com o Afonso Ávila, os homens preferem as louras, as morenas, as negras, as ...

Adriana Godoy disse...

Poema devidamente lido e apreciado.
O resto do balaio é um delírio. Muita coisa boa de reacender. bj