sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

40° à sombra
nas proximidades de Caicó
Foto:
Henrique Faria


BALAIO PORRETA 1986
n° 2944
Natal, 26 de fevereiro de 2010


CAICÓ QUE TE QUERO SERIDÓ,
SERIDÓ QUE TE QUERO CAICÓ
Moacy Cirne

Em Caicó,
cruvianas, mulungus e auroras,
admirei
crepúsculos barrocos

e mulheres imprevisíveis.

Em Caicó,
relâmpagos, pinhas e cajaranas,
aprendi a amar
o Fluminense de todos os Castilhos
e de todos os Telês, Silvinos e Walfredos
.

Em Caicó,
espantos, baunilhas e madrugadas,
mergulhei
na magia
do Itans, do Poço de Santana
e do azul mais azul de Samanaú.


Em Caicó,
seridós, acauãs e barras novas,
perguntei-me
por seus mitos
tapuias
e por suas mangas manhosas.

Em Caicó,
luzes, filmes e sombras,
apaixonei-me por
Esther Williams, Maria Félix e Ava Gardner.

Em Caicó,
pedras, raios e serrotes,
tornei-me
Currais Novos, Jucurutu e
São José, Acari e Jardim do Seridó.

E muito mais.
Em Caicó.


CES'T LA VI-NIA
Nina Rizzi
[ in Ellenismos ]

- ô, mamaí, que engraçado:
toda hola você fica de noite.


PARA UMA BIBLIOTECA PORRETA
( 59 / 66 )

A letra escarlate (Hawthorne, 1850)
Herzog (Bellow, 1964)
Tigre! Tigre! (Bester, 1956)
Mais que humano (Sturgeon, 1953)
O suicídio (Durkheim, 1897)
Vinho & guerra (Kladstrup, 2001)
Cartas a Theo (Van Gogh, 1880)
O significado nas artes visuais (Panofsky, 1957)
Prazer e poder do Amigo da Onça (Marcos Silva, 1989)
A biblioteca e seus habitantes (A. Oliveira Costa, ed. 1982)


BREVE (AUTO)ENTREVISTA,
SEM MAIORES PRETENSÕES
CRÍTICAS E/OU POLÍTICAS

[] José Agripino Maia ou o Diabo?
* O Diabo, naturalmente.

[] O carnaval da Bahia ou o de Caicó?
* O de Caicó, claro.

[] O Itans ou o Gargalheiras?
* Os dois, os dois.

[] O Bar de Ferreirinha ou os bares da ZS, no Rio?
* O Bar de Ferreirinha, sem dúvida.

[] O sonho ou a realidade?
* Os três. Ou, talvez, os cinco.

[] Micarla de Sousa ou Bibica?
* Biblica, Bibica e Bibica.

[] PV ou Demo-PSDB?
* Ué, não é tudo a mesma bosta?

[] Xópim Midivaimal ou Natal Xópim?
* Nenhum dos dois.

[] Paulo Coelho ou Jô Soares?
* Pensei que essa fosse uma (auto)entrevista séria...
(Com os devidos créditos a Orson Welles.)

[] Telenovela ou Big Bosta Brazil?
* Não perco tempo com bobagens.

[] Carnatal ou o Beco da Lama?
* O Beco da Lama, o Grande Ponto, a Redinha, o Alecrim...

[] Bundaxé music ou o Inferno?
* Mil vezes o Inferno
.
[] Cinema americano ou cinema europeu?
* Welles e Antonioni, Kubrick e Godard, Keaton e Renoir,

Cassavetes e Rossellini, Huston e Straub, Ray e Rohmer,
Lang e Visconti, Fuller e Leone, Rocha e Resnais.

19 comentários:

BAR DO BARDO disse...

Quando sairá a antologia caicoense?

líria porto disse...

olha, moa - tu e nina deram um show! um xou!!! um gooooooool!
besos

Jarbas Martins disse...

só posso concordar em parte
com líria, sempre certeira

é que só tive olhos ouvidos e os
sem sentidos para o poema de nina

olha moá qualquer antologia criteriosa da poesia nacional será
imprestável se não incluir poemas como esse e outros da nina

beijos para nina e líria

nina rizzi disse...

CARAMBA! sabe que eu tava subindo o morro da proafa, a favela que tem ao norte da praia do futuro, tantando achar uma lãrause e esse calor medonho, quando chego no topo, vejo uma daquelas máquinas, da petrobrás, em que se vê hora e temperatura: 41° às 9 da matina na fortalezabela. porra, ai eu chegio aqui e vejo uma arvrezinha dessas, eu que tenho todas as árvores de mondrian e imbuzeiros impregnadas na língua e nos cabelos e, 'inda mais em caicó... porrada, camarada! assim eu fico tão seridolente que me caio aqui mesmo... ces't maralavínia! obrigada, obrigada! :)

e, jarbas, em qualquer antologia pra elevar o moral, não poderiam me faltar teus sertões, poemas pra dentes que ellenizarei um a um. grata, camarada, grata.

dos livros fico com a letra escarlate e, claro, cartas a théo.

um beijo, moacy, um beijo, dois beijos! :)

Assis Freitas disse...

Caicó encantado, Nina a toda hola. Na Autoentrevista discordo elegantemente: Bahia não é Salvador. Mestre vc precisa conhecer o carnaval de Rio de Contas, na Chapada Diamantina, e se deliciar com boa cachaça Abaíra no gargalo, além das cachoeirinhas entocadas para um bom baião de cinco. A Bahia é muito mais que litoral. Abraço.

Mariana Botelho disse...

Moa,

deste um show. Nina nem se fala.

hum... eu visitei o Alecrim!!!! rsrs

Marcos disse...

Moacy:

Eu e o Amigo da Onça estamos nas nuvens, obrigado.
Quanto a cinema europeu ou americano: concordância total, sem esquecer do asiático, do africano e do etc.
Grandes abraços:

Marcos Silva

Marcos disse...

Moacy:

Eu e o Amigo da Onça estamos nas nuvens, obrigado.
Quanto a cinema europeu ou americano: concordância total, sem esquecer do asiático, do africano e do etc.
Grandes abraços:

Marcos Silva

Carito disse...

Moa, desci como descia antigamente, quando criança, de tábua de morro, nos veraneios de Pirangi, quando Pirangi inda tinha duna... Entonces desci dunar, do nada, danado, com o dedo na barra de rolagem do mouse, o olho em tudo, tudo tão bom de ler, que foi tão rápido, que de repente acabou... ô post arretado!!! Bola na sexta!

Mirse Maria disse...

Que lindo seu poema-homenagem à Caicó.

Quem dera um dia conhecer esse pedaço do meu, do nosso Brasil.

Moacy e Nina! SHOW de poetas

Beijos

Mirse

Paulo Jorge Dumaresq disse...

Moacy, o poema por si só traduz tua grandeza. Abs.

Cosmunicando disse...

faço minha tua auto-entrevista, Moa... e mais Nina e mais Caicó... e 40 graus na sombra :)

um beijo

Jens disse...

Em versos, o professor revisita o passado sertanejo.
Bravo!, Moacy.
Um abraço.

Oreny Júnior disse...

Moacy

Em Caicó conhecí a minha mãe
Na barra da espingarda
Adormecia com os contos do Itans sagrado...

Abraços

Oreny Júnior

Marcelo Novaes disse...

Moa,




Sua Ode à Caicó [a soma dos textos perfaz Um] é fantástica. A percepção de Lavínia ressalta a poesia de Nina. No mais, vc não se esqueceu das Cartas a Theo, nem do Significado nas Artes Visuais.



:)





Abração.

Adriana Karnal disse...

Moacy,
Tenho vontade de Caicó, adoro terra fervendo!!!

pituleira disse...

Moacy me irmão, todos os Balaios são Porreta.Cara, esse foi demais.

Iara na Janela disse...

a foto, simplesmente incrível.

seu poema, uma ode, no mínimo. das mais belas.

e o poema da nini, das coisas mais doces que já li... era como se eu visse meu filho dizendo das noites, da vida. lindississímo!

beijos muitos!

Henrique Faria disse...

Muito bom achar uma foto antiga sendo muito, mas muito mesmo, bem aproveitada com os devidos créditos.
Grande abraço.