terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Jardim do Seridó,
um dos três lugares mágicos da minha infância
- a cidade da minha primeira grande paixão,
aos seis ou sete anos:
a jovem rainha do Cordão Encarnado
(acredito que começou aí, por volta de 1949 ou 1950,
a minha tendência para o Vermelho).
Na foto (atual) de
Daniel Araújo
,
é possível destacar as duas igrejas,
a praça, o prédio da Prefeitura,
a antiga saída da estrada para Caicó,
o principal sobrado da cidade (por trás da igreja-matriz),
a rua Dr. José Fernandes (na parte inferior da foto,
longitudinalmente [ do centro para a esquerda ]),

onde residia o meu avô paterno José da Costa,
e até mesmo a pequena casa que serviu
de residência para os meus pais
entre 1944 e 1946-47.


BALAIO PORRETA 1986
n° 2934
Natal, 16 de fevereiro de 2010


ARCHITECTURA
Soares Feitosa
[ in Agulha: Jornal de Poesia ]

Um dia, Ela
desenhará em chãos longínquos a casa só nossa,
que eu farei com estas mãos.

Os tijolos, eu os amassarei com os meus pés.

Às telhas -
hei de aprontar o barro mais macio,
e as formas serão por mim,
uma por uma, completadas;

Ela as alisará longamente -
seus dedos molhados de um profundo silêncio:
só os pássaros.


VERSÕES
Nina Rizzi
[ in Germina Literatura ]

I

Eu perdi minha vida
pela delicadeza
sim,
rimbaud
e eu
demasiados humanos

II

eu me perdi
sem delicadeza
sim,
rimbaud
e eu
exagerados


COMO ALGUNS FILMES SÃO INTITULADOS EM PORTUGAL

Por simples curtição - ou simples curiosidade -, passamos a mencionar os títulos de alguns filmes conforme são conhecidos na pátria lusitana. E se Psicose não é mais O filho que era mãe (e sim Psico, no relançamento), ainda há muitas diferenças que, eventualmente sendo gaiatas, precisam ser registradas. E assim o faremos, na seguinte ordem: TÍTULO ORIGINAL / TÍTULO BRASILEIRO / TÍTULO PORTUGUÊS. (Em tempo: no Brasil também há títulos que são verdadeiras barbaridades: um exemplo famoso é o Persona, que virou Quando duas mulheres pecam.)

The gold rush / Em busca do ouro / A quimera do ouro (Chaplin, 1925)
The General / A General / A glória de Pamplinas (Keaton & Bruckman, 1927)
Duck soup / O diabo a quatro / Os grandes aldrabões (com os irmãos Marx, 1934)
Bringing up baby / Levada da breca / As duas feras (Hawks, 1938)
Stagecoach / No tempo das diligências / A cavalgada heróica (Ford, 1939)
Citizen Kane / Cidadão Kane / O mundo a seus pés (Welles, 1941)
The magnificente Ambersons / Soberba / O quarto mandamento (Welles, 1942)
It's a wonderful life / A felicidade não se compra / Do céu caiu uma estrela (Capra, 1946)
Kind hearts and coronets / As oito vítimas / Oito vidas por um título (Hamer, 1949)
The asphalt jungle / O segredo das jóias / Quando a cidade dorme (Huston, 1950)
Rashomon / Rashomon / Às portas do inferno (Kurosawa, 1950)
Singin' in the rain / Cantando na chuva / Serenata à chuva (Kelly & Donen, 1952)
The bad and the beautiful / Assim estava escrito / Cativos do mal (Minnelli, 1952)
High noon / Matar ou morrer / O comboio apitou três vezes (Zinnemann, 1952)
On the waterfront / Sindicato de ladrões / Há lodo no cais (Kazan, 1954)
Rebel without a cause / Juventude transviada / Fúria de viver (Ray, 1955)
The ladykillers / Quinteto da morte / O quinteto era de cordas (Mackendrick, 1955)
Bigger than life / Delírio de loucura / Atrás do espelho (Ray, 1956)
The wrong man / O homem errado / O falso culpado (Hitchcock, 1957)
Sweet smell of success / A embriaguez do sucesso / Mentira maldita (Mackendrick, 1957)
Paths of glory / Glória feita de sangue / Os caminhos da glória (Kubrick, 1957)
12 angry men / Doze homens e uma sentença / Doze homens em fúria (Lumet, 1957)
An affair to remember / Tarde demais para esquecer / O grande amor da minha vida (McCarey, 1957)
Letjat zhuravli / Quando voam as cegonhas / As garças estão a voar (Kolatozov, 1957)
Touch of evil / A marca da maldade / A sede do mal (Welles, 1958)
Vertigo / Um corpo que cai / A mulher que viveu duas vezes (Hitchcock, 1958)
West side story / Amor, sublime amor / Amor sem barreiras (Wise & Robbins, 1961)
The hustler / Desafio à corrupção / A vida é um jogo (Rossen, 1961)
Dr. Strangelove / Doutor Fantástico / Dr. Estranho Amor (Kubrick, 1964)
A hard day's night / Os reis do iê-ê-iê / Os quatro cabeleiras do após-calypso (Lester, 1964)
The sound of music / A noviça rebelde / Música no coração (Wise, 1965)
Blow-up / Depois daquele beijo / História de um fotógrafo (Antonioni, 1966)
Au hasard Balthazar / A grande testemunha / Peregrinação exemplar (Bresson, 1966)
The graduate / A primeira noite de um homem / A primeira noite (Nichols, 1967)
Il Giardino dei Finzi-Contini / O jardim dos Finzi-Contini / O jardim onde vivemos
(De Sica, 1970)

Voskinger och rop / Gritos e sussurros / Lágrimas e suspiros (Bergman, 1973)
One flew over the cuckoo's nest / Um estranho no ninho / Voando sobre um ninho de cucos (Forman, 1975)

[ Fonte: 1001 filmes para ver antes de morrer, de Steven Jay Schneider, coord. /ed. port./ ]

13 comentários:

líria porto disse...

teu ninho, soares feitosa, nina - balaio bom, de desencadear minhas lembranças!!!

besos

pituleira disse...

Mestre Moacy,hoje tem mais samba e muito frevo.Sucesso total nosso evento.Obrigado por tudo.

Marcelo Novaes disse...

Moa,



Uma cidade captada em vermelhos e reminiscências.



Concebo as perdas [e ganhos] e os exageros de Nina Rizzi. E ela está menos distante do que Rimbaud...







Abração.

Assis Freitas disse...

A cidade invisível da infância respira ainda nas ruas, nos muros, nas paredes. Grande Nina: versos e versões. Alguns títulos em Portugal são mais sonoros e poéticos. Mas, a mesma língua e quanta diferença. Abraço.

Jarbas Martins disse...

estranhíssimos, moacy,os títulos que se dão aos filmes de outros países em portugal.imagino as legendas no português de portugal.
existe algum trabalho sobre a tra-
dução de legendas, títulos e letreiros cinematográficos ?

falar em traduções, um destaque para as metatraduções rimbauldianas de nina rizzi.

abraços e agradecimentos

Mme. S. disse...

A foto é linda, mas as suas revelações são ainda mais.
Um beijo meu querido, com saudades vermelhas. S.

Jens disse...

O Jardim do Seridó vive. E não apenas na tua lembrança (ainda bem).
Nina Rizzi, soberba.

Um abraço.

Dilberto L. Rosa disse...

Que bela imagem aérea de sua terra boa, meu caro! E, tirando alguns mais quixotescos, os títulos em Portugal são bons porque, pelo menos por lá, não se deturpa a língua para o estrangeirismo do Tio Sam tão gratuitamente como se faz por aqui! Abração e bom carnaval!

BAR DO BARDO disse...

Paixões...

Ah, esses portugas!...

Pedrita disse...

adorei conhecer a foto do jardim do seridó. eu tenho uma lista de nomes de filmes com os títulos em portugal e brasil. uma portuguesa me passou e eu complementei uns q ela não tinha e descobri muitos. beijos, pedrita

Paulo Jorge Dumaresq disse...

Moacy, deu vontade de conhecer Jardim do Seridó pela sua descrição. E a rainha do cordão encarnado? Tem notícia dela? Abs.

nina rizzi disse...

obrigada pela puiblicação, camarada. falo mais de Soares Feitosa que de mim: o melhor do Ceará é o cearense. e eu sou, desde que aqui me abundei.

um beijo.

nina rizzi disse...

ah, sim: mamãe é do dia 16 de fevereiro. mas ela não gosta das minhas versões: demasiado humanas.

outro beijo.