sexta-feira, 27 de abril de 2007

RELENDO MAIAKÓVSKI

À luta
À luta
À luta
que a inércia
é o reduto dos acomodados.

[ Moacy Cirne, in Balaio 1286 ]


BALAIO PORRETA 1986
nº 2005
Rio, 27 de abril de 2007


EROTIKA
Poema de Sérgio Sant'Anna (MG/RJ)

Todas as noivas são puras
e delicadas
como avencas na sombra.
E carregam em sua mala de núpcias
batom, perfume, calcinhas
e mistério.

[ in Junk-box (1984). Sabará, 2002 ]


MAIS UMA OBRA-PRIMA DE CASSAVETES

A partir de hoje, no Paissandu, teremos a oportunidade de (re)ver Faces [1968], uma das obras-primas do cineasta norte-americano John Cassavetes, com John Marley, Gena Rowlands, Lynn Carlin, Seymour Cassel e outros. "Cada personagem, cada sentimento, ele [Cassavetes] perscruta com verdadeira curiosidade, de modo a conferir não apenas um relevo, mas talvez acima de tudo uma textura. Os muitos closes não são, portanto, mera convenção dramática; eles não enfatizam nada: apenas acolhem os rostos, mostram. /.../ Não estamos, porém, diante de um filme sádico sobre o subúrbio endinheirado. Pois Faces é, sobretudo, um enorme elogio à vida; é um filme de adesão às coisas e pessoas. A câmera, de fato, procura, parece querer grudar nos rostos. Não como forma de arrancar à força o sentido das coisas, de impor uma vontade sobre o mundo. Mas antes de opor a um mundo de coisas fixas (no cinema e na vida) sua suposta falta de ritmo, o desequilíbrio da narrativa clássica" (Juliano Tosi, in Paisà). Em outras palavras: imperdível. Simplesmente imperdível.


HUMOR

Charles sempre foi um sujeito brincalhão. Sua mulher é que nunca entendeu muito bem as ironias dele. Certo dia ela embarcou para a Inglaterra, em viagem de negócios. E lhe perguntou:
-- Quer que eu traga uma lembrancinha?
-- Sim. Me traga uma inglesinha -- disse ele.
A esposa, como sempre, não disse nada. E embarcou. Um mês depois, ela voltou e o marido foi dar as boas-vindas no aeroporto:
-- Trouxe minha lembrança, querida?
-- Bem, eu fiz o que pude -- respondeu a mulher. -- Agora vamos ver se nasce menina.

[ in Playboy. São Paulo, abril de 2002 ]


Mais do que nunca,
É PRECISO RESGATAR O SONHO, É PRECISO RESGATAR A POESIA

[ in Folhetim. Boletim da Chefia do Dpto. de Comunicação da UFF, 5/4/2000 ]

3 comentários:

sandra camurça disse...

Relendo Maiakóvski deu uma sacudida em mim, Moacy, ando meio inerte...

Você fala com frequência sobre John Cassavetes mas eu nunca assisti um filme dele. O cara deve ser bom mesmo.

O humor tá massa!

E o sonho, sim , o sonho, a poesia, é preciso resgatar. Quero sonho e poesia nos projetos das cidades.

A propósito, gostei de "contra-estilo"! Contra-cultura contra-informação, contra-golpe...

Beijos.

Casti disse...

Balaio porreta,uma mistura boa danada... Coisas do aloprado Mestre Cirne!!!!

Um cheiro carinhoso,
Casti

Felipe, SM disse...

Maiakóvski, Maiakóvski! se tivesse por aqui terida ido em busca do seu tempo. Seus poemas são como carícias... Dentre tantas, envio-te esta: "“Até logo, até logo, companheiro, / Guardo-te no meu peito e te asseguro: / O nosso afastamento passageiro/ É sinal de um encontro no futuro." Abraços. Felipe,SM