quinta-feira, 3 de maio de 2007

Memória 1987

BALAIO INCOMUN
Boletim da Chefia do Departamento de Comunicação Social da UFF
nº 34 [] Niterói, 4 de fevereiro de 1987


[] OS PIORES FILMES DE ESTIMAÇÃO

Há filmes que são reconhecidamente ruins, pelo menos dentro de uma perspectiva crítica mais rigorosa, e, no entanto, têm seu encanto. Há filmes que são famosos e, talvez até por isso, muitas vezes decepcionam. Há filmes que, com o tempo, se transformam em verdadeiros monumentos à cafonália. Mesmo assim, nem que seja por simples detalhes -- detalhes que terminam, de uma forma ou de outra, deliciando os cinéfilos --, merecem ser revistos. Com ódio e amor. Eis, pois, segundo alguns dos nossos professores, "os piores filmes de estimação" -- filmes que, em certos casos, são autênticos "clássicos do mau gosto":

João Luiz Vieira: Confidências à meia-noite (com Doris Day); Bacalhau (nacional), Palavras ao vento (com Rock Hudson). // Antônio Sérgio Rodrigues: Os quatro cavaleiros do Apocalipse (com Glenn Ford); E o vento levou (com Clarke Gable); Luzes da ribalta (Chaplin). // Antonio Moreno: Tentação nua (com Isabel Sarlí); Imitação da vida (Sirk); Ssss - o homem cobra (Kawalski). // Antônio Carlos Abreu Tavares: Shane (Stevens); O grande ditador (Chaplin); Intolerância (Griffith). // Moacy Cirne: Sansão e Dalila (com Victor Mature); Suplício de uma saudade (com William Holden e Jennifer Jones); Joana d'Arc (com Ingrid Bergman).

E mais as opiniões de: Muniz Sodré: Cleópatra (com Elizabeth Taylor); Cobra (Stallone); A noviça rebelde (Wise). // Aníbal Bragança: Marcelino, pão e vinho (com Joselito); Sansão e Dalila; O campeão (Zefirelli). // Erika Franziska Herd Werneck: Suplício de uma saudade; As 13 cadeiras (com Oscarito); Sementes de tamarindo (com Julie Andres). // Maria Luiza Braga: Marcelino, pão e vinho; La violetera (com Sarita Montiel); Sansão e Dalila. // Angela Tygel: Marcelino, pão e vinho; O ébrio (com Vicente Celestino); Candelabro italiano (com Rossano Brazzi). // Antônio Sérgio Mendonça: Butch Cassidy (com Paul Newman); Superman - o filme (Donner); Rio Babilônia (Neville d'Almeida).

Outras opiniões: Ana Maria Lopes: O picolino (com Fred Astaire e Ginger Rogers); Adeus amigo (com Charles Bronson e Alain Delon); A noviça rebelde. // Afonso Henriques Neto: Sansão e Dalila; O manto sagrado (com Victor Mature e Richard Burton); Nem Sansão nem Dalila (com Oscarito e Grande Otelo). // Nilson Lage: Quo vadis (com Robert Taylor); Guerra nas estrelas (Lucas); Xica da Silva (Cacá Diegues). // Júlio César Tavares: Sansão e Dalila; Aladim e a lâmpada maravilhosa (com Cornel Wilde); Barbarella (com Jane Fonda). // João Baptista Abreu Júnior: Marcelino, pão e vinho; Sansão e Dalila; O enterro da cafetina (com Jece Valadão). // José Marinho: Suplício de uma saudade; A fonte dos desejos (Negulesco); Gilda (com Glenn Ford e Rita Hayworth).

Como vimos, 'Sansão e Dalila' foi o mais citado. Eis sua ficha técnica: título original: 'Samson and Delilah'; produção e direção: Cecil B.De Mille; argumento: Jesse L. Lasky Jr. e Frederic M. Frank, baseando-se em relatos de inspiração bíblica; fotografia: George Barnes; música: Victor Young; elenco: Victor Mature, Hedy Lamarr, George Sanders, Angela Lansbury, Henry Wilcoxon (e outros); uma realização Paramount Pictires; tempo de projeção: 131 min. Lançamento mundial: 21 de outubro de 1949.

Será que, entre os "ruins curtíveis", poderemos considerar 'Sansão e Dalila' o pior filme de todos os tempos.

2 comentários:

Francisco Sobreira disse...

Noacy,
Mesmo se tratando de lista, quando o gosto pessoal envolve vários valores, fica muito difícil engolir a presença de "Shane", "O Grande Ditador" e "Intolerância". O filme de Stevens, por exemplo, que já não me empolga tanto quanto na ocasião em que o vi pela primeira, ainda é um dos melhores "westerns" realizados. E o filme de Chaplin, se não está no mesmo nível de "Luzes da Cidade", "Em Busca do Ouro" e "Tempos Modernos", é um filme que merece o nosso respeito. Ainda citaria "Butch Cassidy", um filme muito interessante. E ha outros que não me parecem assim tão ruins nessas listas. Enfim... Um abraço.

tiao disse...

Moacy, rapaz, a propósito de "filmes tão ruins que são bons", botei lá no sopão uma lista de dez filmes vulgares a que assisti ali por 1983/1984 em cinemas de recife. são filmes ordinários (menos um, e não será difícil identificar) mas que muito me lembram aqueles tempos e que fazem parte da minha cinemateca pessoal. Vai lá e veja. Se você conseguir passar do quarto título (acho difícil), estará provando que é um sujeito paciente, tolerante e muito bem-humorado, como sempre me pareceu. mas prepare o humor. até.