sexta-feira, 1 de junho de 2007

CINEMA RIO 2007

Recomendamos com entusiasmo:
Retrospectiva Eric Rohmer, no Laura Alvim/1
Uma mulher sob influência (Cassavetes, 1974), no Paço

Recomendamos:
A comédia do poder (Chabrol, 2006), no Odeon
Noite de estréia (Cassavetes, 1978), no Paissandu
Hércules 56 (Sílvio Da-Rin, 2007), no Estação/3
Baixio das bestas (Cláudio Assis, 2007), no Arteplex/5

Recomendamos com reservas:
Cartola - Música para os olhos (Ferreira & Lacerda, 2006), no Estação/1


BALAIO PORRETA 1986
nº 2031
Rio, 1 de junho de 2007



FÁLICOS
de Maria Maria
[ in Espartilho de Eme ]

Quero escrever
com meus dedos
a língua que falo.

Que falo!
Falo, pois toca
a língua

dos meus dedos.

Quero dar-te
um beijo de língua
com a ponta

dos meus dedos fálicos.


POEMAS/PROCESSO, ATROPELOS E PARADOXOS

O blogue Lambuja, da poeta carioca Regina Pouchain, começou a mil por hora, divulgando o poema/processo e outros atropelos (anti)literários, a tal ponto que já nos levou ao seguinte comentário, a partir do primeiro Pós-Editorial: "Não seria o pós-editorial, assim estabelecido, um corte filosófico-antropológico-mallarmaico, à base de vitaminas revigorantes (tais como as de manga manhosa, abacate atrevido, abacaxi doidão, goiaba escandalosa), nos atropelos do poema/processo? Se vivo fosse, Chico Doido de Caicó decerto exclamaria: 'Pra ser louco na frente de Regina Pouchain é preciso ter muito juízo'. Contudo todavia entretanto porém, nada como uma homenagem atrás de outra: nuvens vermelhas abrem-se impávidas para os egípcios da Noruega e os seridoenses de Nova Friburgo. 'Tudo vale a pena, se a alma não é pequena', segundo as palavras sábias de Ankito Oscarito Rocha Grande da Silva, nobre pensador do Cinema Novo brasileiro. É o caso, pois, de se dizer: um pós editorial é um mêta-editorial. Sem duplo sentido. Que o confesse Chiquinha Propileno Glicol, digníssima amante de Maiakóvski e Monteiro Lobato Pereira Nunes da Costa".


RÁPIDA ENTREVISTA COM O EDITOR DO BALAIO

Há outros poetas potiguares que merecerão figurar na Versão-em-progresso
a ser (re)publicada dentro de um ou dois meses?

Decerto. Maria Maria (Maria Gomes) e Lívio Oliveira, além de alguns
mais antigos, figuram entre eles. Aliás, acabo de acrescentar o nome de Volonté.

O poeta Alexei Bueno encontra-se em Natal. O que acha da poesia dele?

Menos ruim do que a de Bruno Tolotino. Tem seus méritos acadêmicos.

E o que tem a dizer de um poeta que manda alguém ou um movimento à merda etérea?

Próprio de um poeta decadente. Um experimentário da linguagem,
quando quer mandar um poeta à merda, manda-o à merda concreta,
a mais repelente possível. Nada de frescuras etéreas, portanto.

5 comentários:

Marília Jackelyne disse...

faz tempo que não venho aqui. penitência a quem um dia quis ser funcionária pública pra poder reclamar disso nos poemas.

Marco disse...

Caro mestre Moacy,
Fecho com as suas recomendações e ainda faço mais duas: "Um lugar na platéia" e "A leste de Bucareste". Especialmente o primeiro é muito interessante.
Quanto ao poema divulgado... soberbo!
Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Matheus Trunk disse...

Oi Moacy. Que genial essa tua série de posts, sobre o Fluminense e o Nelson Rodrigues. Mesmo sendo palestrino, achei genial. Espero que você faça mais posts como esse, e eu preciso achar esse livro do Nelsão sobre o Fluminense. Aliás, preciso de todos os livros, todos os artigos, tudo desse gênio Nelson Rodrigues. Irei torcer pro Fluminense ganhar do Figueirense somente por causa dele. Depois, vou botar algo sobre o Nelsão no blog, aguarde !

Anônimo disse...

Fala, Moacy!
Uma mulher sob influência é maravilhoso. Noite de Estréia e A Comédia do Poder continuam invisiveis por aqui.
Baixio...recomendo com entusiasmo. E quant ao Cartola...tenho minhas reservas também!
Abraç
o

sergio disse...

O anônimo ai sou eu...!