domingo, 1 de julho de 2007


Grandes momentos do cinema:
2001: uma odisséia no espaço (Stanley Kubrick, 1968).
"O filme cria seus efeitos essencialmente sobre o visual e a música. É meditativo. Não mata a nossa fome, mas quer nos inspirar e nos engrandecer. ... Somente poucos filmes são transcendentes e atuam sobre o nosso cérebro e a nossa imaginação como a música ou as orações, ou uma imensa paisagem desprezada".
(Roger EBERT.
A magia do cinema. Trad. Miguel Cohn.
Rio de Janeiro: Ediouro, 2004, p.30)



BALAIO PORRETA 1986
nº 2050
Rio, 1 de julho de 2007


PICADEIRO
de Camilo Rosa (RN)
[ in Papel Passado ]

uma alegria encomendada
por uma arquibancada deserta
banaliza o inesperado

entre um vaso de porcelana senil
que colhe as lágrimas do leão
e os destroços
de sua própria assombração
jaz um ex-palhaço

há máscaras dilatando
a fiação do tempo
na dança dos trapézios
decadentes


ENGENHÃO

Um belo estádio, sem dúvida. Bastante moderno. Bastante funcional. Se não tem o charme do Maracanã, tem outros encantos. E o Botafogo está de parabéns, pela vitória no clássico.


RECOMENDAÇÕES BOROGODOSAS

[] Substantivo Plural, revista eletrônica editada em Natal por Tácito Costa, recém-lançada no mundo virtual dos desafios culturais. Elegante, sóbria e bem paginada, voltada para a literatura e outras artes & manhas, tem em Nelson Patriota, Carmen Vasconcelos e Carlos de Souza seu quadro de colaboradores permanentes. Aliás, é de Carlos de Souza, neste início de vida literária, um dos principais textos editados: Os livros nunca lidos. Também chamamos a atenção para a poesia de Roberta Assunção, jovem poeta potiguar. Enfim, todos estão de parabéns.

[] Zingu!, mais um número da revista eletrônica editada em São Paulo por Matheus Trunk. A serviço do cinema independente, de conteúdo geralmente alternativo, neste número destaca o paulista Rubem Biáfora como "crítico libertário". Mas a Zingu! não se limita a cinema: gibis e discos também figuram entre seus enfoques. Neste número, além de Biáfora, há um curioso Papo Furado com Marcelo Carrard, e mais as costumeiras seções (Subgêneros obscuros, Clássicos de prestígio, Musas eternas, Tesouro dos quadrinhos etc.).

5 comentários:

Marco disse...

Caro mestre Moacy,
També acho que o Engenhão está de parabéns. Se ele será tão charmoso quanto o nosso velho Maraca, só o tempo dirá.
Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Bosco Sobreira disse...

Meu caro Moacy,
Andei meio perdido entre exames e maus resultados, o que me impediu de ler tuas últimas postagens. Gostei muito, muito, da Memória Tricolor, como de resto tudo que tua sensibilidade e talento nos proporciona.
Forte abraço.

sergio disse...

Meu caro, obrigado mais uma vez pelo destaque dado a Zingu.
E valeu pela dica da Substantivo Plural, realmente excelente. E bela foto essa do "2001"! Abraço!

Felipe Nobrega disse...

2001, clássico total!!!
o que mais o faz clássico é a sua capacidade metafórica, que acima de tudo instiga o espectador e faz com que cada um tenha um ponto de vista sober o estranho monolito negro. Coisa do tio Stanley.
abraço!

tião disse...

Moacy, só pra dizer que também gosto muito de Roger Ebert (a propósito da citação de "2001"). Ele consegue formatar em palavras, em textos, a sensação fugidia que os grandes filmes deixam na gente. até.