sábado, 7 de julho de 2007


Grandes momentos do cinema:
The searchers / Rastros de ódio (John Ford, 1956).
Esteticamente, um dos filmes mais perfeitos da história do cinema. É verdade que o personagem interpretado por John Wayne (Ethan Edwards), com seu racismo nojentasco, merece as mais duras críticas. Mas Ford é Ford: tempo narrativo extraordinário, fotografia (de Winton C. Hoch) maravilhosa, música (de Stan Jones e Max Steiner) na medida certa, argumento (de Frank S. Nugent) envolvente, apesar de tudo, elenco (John Wayne, Jeffrey Hunter, Vera Miles, Ward Bond, Natalie Wood) primoroso. Para muitos e muitos, o melhor western já feito até hoje e um dos 20 ou 30 maiores filmes de todos os tempos.


BALAIO PORRETA 1986
nº 2056
Rio, 7 de julho de 2007


INCENSÓRIO DO ANOITECER
de Diogo Fontenelle (CE)
[ in Incensório do anoitecer, 1986,
segundo A poesia cearense no século XX, de Assis Brasil]

Logo mais deixarei este cais!
O poema é meu mantra,
A poesia é minha magia.
Louro Serafim, o que será de mim?

Logo mais deixarei este cais!
O poema é meu mantra,
A poesia é minha magia.
Anael, mostre-me as escadas do céu!

Logo mais deixarei este cais!
O poema é meu mantra,
A poesia é minha magia.
Anjo-Guardião, faça de mim uma canção!


A BIBLIOTECA DOS MEUS SONHOS
666 livros indispensáveis (23a / 111)

Leviatã [1651], de Thomas Hobbes. Trad. João Paulo Monteiro & Maria Beatriz Nizza da Silva. Supervisão ed. bras. Eunice Ostrensky. São Paulo: Martins Fontes, 2003, 616p. /Clássicos Cambridge de Filosofia Política/ [] "Leviatã de Hobbes sempre despertou fortes sentimentos em seus leitores. Atualmente, é considerado a obra-prima do pensamento político inglês, e uma obra que, mais do que qualquer outra, definiu o caráter da política moderna" (da Introdução, p.IX). São múltiplos os assuntos abordados com maestria por Hobbes: poderíamos destacar, por exemplo, o significado da Alma nas escrituras, a questão das Ciências, o domínio adquirido pela Conquista, a questão da Democracia, a incompreensibilidade de Deus, a distinção entre lei e Direito, a questão da Felicidade, ou seja, sobre tudo e sobre todos, o primado maior da Teoria Política conforme os preceitos e conceitos do século XVII.

Os cantos de Maldoror [1869], de Lautréamont. Trad. & pref. Cláudio Willer. São Paulo: Max Limonad, 1986, 289p. [] Um livro furiosamente inquietante, precursor da prosa surrealista: a tortuosa história de um contra-herói que, através da celebração do Mal, não só desafia Deus - desafia toda a Humanidade. Lautréamont [Isidore Ducasse, 1846-1887] é o primeiro a prevenir: "Não convém que qualquer um leia as páginas a seguir; só alguns conseguirão saborear este fruto amargo sem maiores riscos" (p.31). O pensador Gaston Bachelard dedicou-lhe um belo livro, onde afirma: "... l'oeuvre de Lautréamont nous apparaît comme une véritable phénoménologie de l'agression. Elle et agression pure, dans le style même où a parlé de poésie pure" (Lautréamont [1939]. Paris: José Corti, 1974, p.9). Em suma, um livro admirável. (Há, com a mesma tradução, uma ótima edição da Iluminuras, de 1997.)

|||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||

Ao lado de Lautréamont, como Nietzsche é lento, como ele é tranqüilo, como ele é familiar com sua águia e sua serpente! A um, os passos do dançarino; ao outro, os saltos do tigre. (Gaston BACHELARD. Lautréamont. Paris, 1974, p.11)

7 comentários:

Francisco Sobreira disse...

Moacy,
Você teve uma feliz idéia de abrir o seu blogue com uma foto e sobre ela tecer comentários. E na de hoje você foi ainda mais feliz. A foto reproduz um dos mais lindos momentos da fotografia de "Rastros de Ódio", para mim a obra-prima de Ford e não só do "western". Um abraço.

Francisco Sobreira disse...

Moacy,
Você teve uma feliz idéia de abrir o seu blogue com uma foto e sobre ela tecer comentários. E na de hoje você foi ainda mais feliz. A foto reproduz um dos mais lindos momentos da fotografia de "Rastros de Ódio", para mim a obra-prima de Ford e não só do "western". Um abraço.

Andros Renatus disse...

Olá! Muito bacana o seu blog! Adorei o conceito e a proposta! Rastros de Ódio é um dos filmes mais belos de todos os tempos! Um filme eterno! Abraços!

http://sombras-eletricas.blogspot.com/

CopacabAna de Toledo disse...

Menino! Esse balaio é porreta mesmo!
Obrigada pela visita!
Um grande abraço

Jota Effe Esse disse...

Logo mais tudo pode acontecer/Quem sabe um milagre/Vamos esperar pra ver. Abraços.

Bosco Sobreira disse...

Meu caro Moacy,
Só agora tomei ciência de seu desafio. Infelizmente, meu caro, sou um peão da medicina. Só disponho dos sábados e domingos pra me dedicar às leituras, e olhe lá!
De todo modo, fico agradecido e honrado pelo convite.
Um forte abraço.

Espartilho de Eme disse...

Moacy, caríssimo! Tem poema novo no espartilho.Beijos de Maria Maria.