segunda-feira, 17 de setembro de 2007


Natal que te quero Natal:
eis-me de volta, para mais uma pequena temporada
em terras potiguares.
Aqui, em foto de autoria não-identificada,
aparecem em primeiro plano as dunas e lagoas de Genipabu;
em seguida, a Redinha e a barra do Rio Potengi;
depois, os edifícios de Natal e, por último, à esquerda,
o Morro do Careca, em Ponta Negra.

Em tempo: voltarei a editar imagens depois do dia 8 de outubro.
Enquanto isso, a edição do
Balaio dar-se-á de forma irregular,
e não mais diariamente, como tem sido nos últimos tempos.


BALAIO PORRETA 1986
nº 2125
Rio, 17 de setembro de 2007


FOME
de Jeanne Araújo
(Acari/Ceará-Mirim, RN)

Colaram-se em mim
uma fome antiga de palavras
e uma sede assoberbada de cantigas.
O meu desejo seria par de asas
coladas aos meus pés
e um carro de boi cantante
selado à minha língua.
Porque de pó e terra escura
é a minha estrada
e eu tenho pressa de descobrir
o que há por trás
da tessitura.


Memória 1978
OS DEZ CONTOS MAIS IMPORTANTES
DA LITERATURA MUNDIAL
segundo
Tarcísio Gurgel
(Natal/Mossoró, RN)
[ in Revista Vozes, setembro de 1978 ]

Missa do Galo (Machado de Assis)
Auto-estrada do sul (Cortázar)
Os funerais da Mamãe Grande (Márquez)
Episódio do inimigo (Borges)
A terceira margem do rio (Guimarães Rosa)
Kaschtanka (Tchecov)
Escaramuça contra Sartoris (Faulkner)
O piano (Aníbal Machado)
Torotumbo (Astúrias)
A morte de D.J. em Paris (Roberto Drummond)


UM OLHAR CANGAÇO
de Moacy Cirne
(Rio/Seridó, RJ/RN)
[ in Qualquer tudo, 1993 ]

um certo cansaço
um lambelambe sem memória
um velho cinema pax
um cão sem plumas
um potengi ao crepusculecer
um maraca maracanã
um poema sem poesia
um xerenhennhenhé de mulher
um quase tudo nenhum
e
50
sonhos adormenguecidos


UM BLOGUE PORRETA

Blog de Adriano, de Adriano de Sousa.
Poesia. Memórias. Poesia.
Cestas básicas de livros.
Escrita/Sensibilidade.

|||||||||||||

O tempo aqui [Acari, RN] anda velhaco. Quinta feira, me disseram, passou uma chuva minguada, correndo as goteiras. (Paulo BEZERRA. Cartas dos sertões do Seridó. Natal, 2000, p.47)

14 comentários:

Jens disse...

O filho pródigo retorna ao lar (ou ao menos às proximidades)? Beleza, Moacy. Tenha uma boa estadia.
Um abraço.

Romário Gomes disse...

Seja bem-vindo ao Rio Grande do Norte. E ao Seridó igualmente.

sandra camurça disse...

Boa temporada Moacy, Menino do Seridó.

Um xêro.

Bosco Sobreira disse...

Meu caro Moacy,
Pra te desejar uma excelente estada entre os seus.
Forte abraço.

isabella benicio disse...

Natal deve ser linda demais, n�Pois aproveita bem tuas pessoas e teus lugares da� Moacy. Boa viagem! Beijo.

Sonia disse...

Escrever blog diariamente durante as férias? Xô!

Lívio Oliveira disse...

Excelente postagem! Jeanne é hoje uma das grandes poetisas do RN. Gostei da indicação do blog de Adriano, outro grande poeta!
Abraço forte!
Lívio

Lívio Oliveira disse...

Antes que eu esqueça: Moacy, seja bem-vindo!

Nanda disse...

Post bem diversificado! Divirta-se! =)

Patrícia disse...

Linda a Fome da Jeanne, e muitas saudades de suas visitas... ;o)
beijos!!!

Dilberto disse...

Segunda vez que comento por aqui, caro Moacy: minha conexão anda péssima! Mas a opção de não publicar diariamente sempre me pareceu a mais acertada, tanto que só apareço virtualmente uma vez por semana! Abração, meu velho: ótimas citações e belíssimas fotos!

Meneau disse...

Aproveite bastante, Moacy. E na lista do Tarcísio Gurgel nenhum conto de E. A. Poe? E no lugar de A terceira margem do rio eu incluiria Sorôco, sua mãe, sua filha, aliás do mesmo livro. Aguardamos a volta. Um abraço.

Fernanda Passos disse...

A foto meu tanta vontade de voltar para esse paraíso.....é por aí que tu andas Moacy? Se for, tá muiiitooo bem.
Aproveita.
A poesia é belíssima. A tua e a de Jeanne.

Os contos então. Já li alguns e eram maravilhosos.
saudades de tuas passagens por minhas paragens.
;)

Marina Morena disse...

Que beleza de foto!

Boas dicas de contos. Gostei muito do teu poema também!

Beijos!