segunda-feira, 28 de janeiro de 2008


Recife Carnaval Frevo

Foto de
Nivaldo Almeida Filho
in
TrekEarth Com



BALAIO PORRETA 1986
n° 2218
Rio, 28 de janeiro de 2008



TEM UM LANCE DE LUA NO NÉON
Angela Melim
[ in Vale o escrito. Rio, 1981 ]

Tem um lance de lua
no néon, a lua é fria
a mulher ri
agulha
o salto da sandália devagar
mergulha - de verniz, cintila - e voa
fura
todas as letras do hotel gritam no céu.


OS GRANDES SUCESSOS CARNAVALESCOS
a partir de 1922 (2)

Cidade maravilhosa (André Filho, 1934), marcha
O orvalho vem caindo (Noel Rosa & Kid Pepe, 1934), samba
Linda lourinha (João de Barro, 1934), marcha
Ride palhaço (Lamartine Babo, 1934), marcha
A cuíca tá roncando (Raul Torres, 1835), batucada
Vou cair no frevo (Capiba, 1935), frevo-canção
É bom parar [Por que bebes tanto assim, rapaz?] (Rubens Soares, 1936), samba
Pierrô apaixonado (Noel Rosa & Heitor dos Prazeres, 1936), marcha
Cadê Mimi (João de Barro & Alberto Ribeiro, 1936), marcha
Pirata (João de Barro & Alberto Ribeiro, 1936)
Querido Adão (Benedito Lacerda & Osvaldo Santiago, 1936), marcha
Mamãe eu quero (Jararaca & Vicente Paiva, 1937), marcha
Como vais você (Ari Barroso, 1937), marcha
Lig-Lig-Lig-Lé (Paulo Barbosa & Osvaldo Santiago, 1937), marcha
Abre a janela (Arlindo Marques Jr. & Roberto Roberti, 1938), samba
Pastorinhas (João de Barro & Noel Rosa, 1938), marcha
Touradas em Madri (João de Barro & Alberto Ribeiro, 1938), marcha
Yes, nós temos bananas (João de Barros & Alberto Ribeiro, 1938), marcha
Periquitinho verde (Antônio Nássara & José de Sá Roris, 1938), marcha
Seu condutor (Alvarenga, Ranchinho & Herivelto Martins, 1938), marcha
A jardineira (Benedito Lacerda & Humberto Porto, 1939), marcha
Quem tem amor não dorme (Capiba, 1939), frevo-canção
Florisbela (Antônio Nássara & Erastóstenes Frazão, 1939), marcha
Sei que é covardia (Ataulfo Alves & Claudionor Cruz, 1939), samba
Ó seu Oscar (Wilson Batista & Ataulfo Alves, 1940), samba
Não sei o que fazer (Capiba, 1940), frevo-canção
Linda flor da madrugada (Capiba, 1940), frevo-canção


DISCOS QUE ME EMOCIONAM

Pernambuco falando para o mundo, de Antonio Nóbrega [Brincante BR 0003, grav. 1998]. Com Adriano Busko,Bré e Gabriel Almeida, na percussão; Antonio Bombarda e Oswaldinho, no acordeão; Cláudio Faria e Enoque Chagas, no trompete; Daniel Allain e Eugênia Nóbrega, na flauta e flautim; Spok, no sax alto; Marco César, no bandolim, cavaquinho e viola; Antonio Nóbrega, no violino e rabeca. E outros. Entre as várias faixas, do mais saboroso requinte popular, há uma versão quase camerística do célebre Vassourinhas e uma seleção de Capiba absolutamente inolvidável, incluindo De chapéu-de-sol aberto, Oh! Bela, Cala a boca menino, Frevo e ciranda, além de Trombone de prata. Há, ainda o frevo Formigão, de Felinho (Félix Lins de Albuquerque, 1895-1980). Para que tenhamos idéia da importância de Felinho, basta dizer que ele é o criador, nos anos 40, das variações rítmicas que fizeram e fazem de Vassourinhas (1909) o sucesso maior do carnaval pernambucano como entendemos até hoje. Enfim, um disco para se ouvir não apenas nos dias de folia: um disco para se ouvir em qualquer época do ano.

5 comentários:

sandra camurça disse...

Covardia, Moacy!!! Quer me matar do coração, seu...seu...
(Sandra, olha os modos, olhos os mdos).

!!!ADOREI!!!

BEIJOS!!!

Jacinta disse...

Ei,
bela lista dos grandes sucessos carnavalescos. E por falar nele, de novo já chegou a folia.
Um abraço
Jacinta

Francisco Sobreira disse...

Caro Moacy,
Queria a sua autorização para colocar no meu blogue a reprodução do quadro de Di Cavalcanti. Claro que lhe darei o crédito. Mudando: ontem vi o filme de Resnais. Gostei muito, mas concordo com você que não é uma obra-prima. Mas é um grande filme. É provável que o comente na próxima semana. Abraço.

Ana disse...

Caríssimo Moacy, descoberta feita! As pinturas que estão lá no Copablog, são de autoria de Marcio Melo.
Um beijão

Moacy Cirne disse...

Caro SOBREIRA: Quem sou eu para autorizar algo que "pesquei" na própria internet? Em 95% das vezes, cito a fonte e, em número bem menor, peço autorização, quando possível; foi o que aconteceu com a postagem de hoje. A única coisa que pode acontecer, no caso de Di (já que os nossos blogues, de cunho amadorístico, não são comerciais), acredito, é um pedido de exclusão da imagem. Já me aconteceu uma vez, recentemente: a fotógrafa Ossiane, de Paris, no mesmo dia em que publiquei a sua foto, solicitou-me que a retirasse. Prontamente a atendi. Portanto, fique à vontade para reproduzir o belo trabalho de Di; mas não cite a fonte. Não sou dono do mesmo. Nem poderia. Um grande abraço.