sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008


Em Recife,
mais de um milhão de foliões no
Galo da Madrugada:
frevura pura

Foto de
Paullo Roberto


Acorda Recife, acorda
Que já é hora de estar de pé
Levanta, o carnaval começou
No bairro de São José
No bairro de São José

(Paulo Fernando Gama)


BALAIO PORRETA 1986
n° 2222
Rio, 1 de frevereiro de 2008


OS GRANDES SUCESSOS CARNAVALESCOS
a partir de 1922 (6)

A lua é dos namorados (Klecius Caldas, Armando Cavalcanti & Brasinha, 1961), marcha
Índio quer apito (Haroldo Lobo & Milton de Oliveira, 1961), marcha
Rancho das Flores (Vinicius de Moraes, a partir de J.S. Bach, 1961), marcha-rancho
Vou ter um troço (Arnô Provenzano, Otolindo Lopes & Jackson do Pandeiro, 1962), marcha
Valores do passado (Edgar Moraes, 1962), frevo-canção
Lágrimas de clarinete (Lourival Oliveira, 1962), frevo-de-rua
Madeira que cupim não rói (Capiba, 1963), frevo-canção
Marcha de quarta-feira de cinzas (Carlos Lira & Vinicius de Moraes, 1963), marcha-rancho
Chica da Silva (Anescar & Noel Rosa de Oliveira, 1963), samba-enredo
Bigorrilho (Paquito, Romeu Gentil & Sebastião Gomes, 1964), samba-coco
Cabeleira do Zezé (João Roberto Kelly & Roberto Faissal, 1964), marcha
Marcha do remador (Antônio Almeida & Oldemar Magalhães, 1964), marcha
Aquarela brasileira (Silas de Oliveira, 1964), samba-enredo
Mulata iê-iê-iê (João Roberto Kelly, 1965), marcha
Joga a chave, meu amor (João Roberto Kelly & J. Rui, 1965), marcha
Tristeza (Haroldo Lobo & Niltinho, 1966), samba
Máscara negra (Zé Keti & Hildebrando Pereira Matos, 1967), marcha-rancho
O mundo encantado de Monteiro Lobato (Darci, Luís & Batista da Mangueira, 1967), samba-enredo
Duas épocas (Edson Rodrigues, 1967), frevo
Amor de carnaval (Zé Keti, 1968), samba
Até quarta-feira (H. Silva, Paulo Sette & Marcos Moran, 1968), marcha
Oh! Bela (Capiba, 1969), frevo-canção
Levanta a cabeça (Osvaldo Nunes & Ivan Nascimento, 1969), samba
Avenida iluminada (Newton Teixeira, Brasin ha & Zé Keti, 1969), marcha
Clovinho no frevo (Clóvis Pereira, 1969), frevo-de-rua
Atrás do trio elétrico (Caetano Veloso, 1969), marcha-frevo


VASSOURINHAS

Em postagem recente, chamei a atenção para Felinho (Félix Lins de Albuquerque, 1895-1980), "criador das famosas variações do frevo Vassourinhas", variações essas que, tomando como base sonora o saxofone, determinaram o seu andamento eletrizante, quando anunciei, de modo impreciso, que as mesmas se deram nos anos 40. Pois bem, depois de inúmeras consultas, confirmei: as Variações sobre a marcha-frevo Vassourinhas (assim mesmo: marcha-frevo!), por Felinho, aconteceram em 1944, sob a direção de Nelson Ferreira, num programa da Rádio Clube de Pernambuco. A partir daí, Vassourinhas, como frevo, tornar-se-ia a marca mais contagiante do carnaval pernambucano. Mas há outra dúvida: afinal, quando foi composta originalmente a marcha-frevo (por Joana Batista e Mathias da Rocha)? Segundo alguns estudiosos, teria sido em 1889, ano de fundação do Clube Vassourinhas. Segundo outros - entre os quais Antonio Nóbrega - a data correta é 1909, ou mais precisamente 6 de janeiro de 1909. Essa é a data de um recibo no valor de três mil réis assinado pela própria Joana Batista tendo em vista a feitura da música em pauta, por ela "compositada". Quero crer que em 2009 Recife comemorará os 100 anos de Vassourinhas! Haja frevura!

4 comentários:

sandra camurça disse...

hahahahahahaha...já acordei!
Vassourinhas!?! pode vir quente que eu estou frevendo, hahahaha...

beijos!

Jens disse...

UÊBA!
É Carnaval. Fiquei fora do ar por problemas de saúde do velho Hal, meu computador, que só hoje voltou à ativa.
Bom Carnaval, Moacy. Skindô! Skindô!

Marco disse...

Belo post, caro mestre Moacy. Já fiz o meu post de Carnaval. Não é sobre minhas reminisc~encias carnavalescas, mesmo porque nem as tenho. Nunca fui um folião juramentado. Mas tem umas coisinhas por lá. Bom Carnaval pra você. Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Casti disse...

Ah Mestre Cirne, deu uma saudade danada do Corso, do frevo... Coisa boa.

Beijão!

Casti