sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008


Postal de 1917
[ in Brazil Post Card ],
o ano
da Revolução Russa,
do primeiro samba gravado (Pelo telefone)
e do lançamento da revista Eu Sei Tudo.
É também o ano
da fundação de
São José do Seridó
(Rio Grande do Norte)


BALAIO PORRETA 1986
n° 2240
Rio, 22 de fevereiro de 2008



PERFUME
Linaldo Guedes
[ in Zumbi Escutando Blues ]

entre
serras
cercas
e cenas mudas
repousa
o hálito
barroco de teu corpo.


PÁREO
Nel Meirelles
[ in Fala Poética ]

meu cavalo
serpenteia
pelas campinas
do teu ventre

o galope
germina
o trote
denso
do gozo


Memória 1969
A CENSURA NA ÉPOCA DA DITADURA MILITAR / 6
[ in Memória da Censura no Cinema Brasileiro ]

Fragmento final
do Parecer sobre o filme Brasil, Ano 2000, de Walter Lima Jr.

VETAMOS inteiramente essa obra, em cujo bôjo somente encontramos ofensas à cultura, ao progresso e à dignidade da nação brasileira.
O velho chavão de "País subdesenvolvido" é usado pelos boçais, pelos incultos e pelos ignorantes que infestam os nossos meios de comunicação. E foi repetido pelo produtor dessa obra medíocre que tenta sobreviver no cenário artístico nacional esbravejando contra a terra que lhe serviu de berço.
Há um interesse incontido dos adéptos do chamado cinema nôvo em produzir filmes com roteiro intricado, de compreensão difícil e repleto de simbolismo (?).
Propalam que num País subdesenvolvido tais filmes se destinam a uma casta intelectualizada... anciosa por "dias melhores", "ávida por sensações estranhas", indócil ante o inesperado.
Em todos os setores encontramos os seus seguidores. Os que rezam na mesma "cartilha". E a Polícia aí está pronta para repelir a ação dessa casta repugnante, indesejável e ordinária.
O filme "Brasil Ano 2000" é um dígno representante desse grupelho.
Votamos pela sua INTERDIÇÃO SUMÁRIA.
Brasília, 24 de abril de 1969
Manoel F. de Souza Leão Neto

Comentário do Balaio:
Simplesmente assustador...


A VOLTA DO FOCO POTIGUAR

Marcos A. Felipe, um dos melhores críticos nacionais da nova geração de estudos cinematográficos, colaborador da revista Preá (Fundação José Augusto), de saudosa (e recente) memória - para usar um lugar comum -, está de volta ao universo virtual com o blogue Foco Potiguar. Vale a pena conferir.

9 comentários:

Romário Gomes disse...

O poema Perfume é belíssimo. Sei que não vem ao caso, mas 1917 é também o ano de fundação de São José da Bonita.

Marcos A. Felipe disse...

Moacy, obrigado pela referência ao foco potiguar. Quanto aos seus fragmentos sobre a censura na Ditadura e o cinema brasileiro, vejo que você teve acesso a um riquíssimo material, que me parece ser inédito.

Moacy Cirne disse...

Puxa, ROMÁRIO. Trata-se de um esquecimnto imperdoável, Vou adicionar agora mesmo. Um abraço.

Betho Sides disse...

Poemas lindos, memórias e assuntos interessantes, gostei ! É minha primeira visita, mas voltarei muitas vezes com certeza...abç

soldadonofront disse...

!! MUITO BOM !!

sandra camurça disse...

1917 foi "O ANO", hein?

poesia é música, é perfume, é páreo...que trote gostoso, moço...

vou não vou não
comentar sobre censura
acaba o tesão

Beijos.

Jacinta disse...

Gosto do cheiro do "perfume" e do clima sedutor do "páreo".

Moacy, fico contente por ter, no seu espaço, um celeiro riquíssimo de informações.
Um abraço
Jacinta

ana de toledo disse...

SEmpre acho coisas lindas no Brazil Post Card!
Um beijão

Jens disse...

Em 1917 eu queria estar com Lênin, rumo a estação Finlândia.
***
Adorei o "anciosa" do censor.