sábado, 29 de março de 2008

BALAIO PORRETA 1986
nº 2266
Natal, 29 de março de 2008


TEU CORPO SEJA BRASA
Alice Ruiz
[ in Poesia Erótica ]

teu corpo seja brasa
e o meu a casa
que se consome no fogo

um incêndio basta
pra consumar esse jogo
uma fogueira chega
para eu brincar de novo


PARA UM NEGRO
Adão Ventura
[ in Jornal de Poesia ]

para um negro
a cor da pele
é uma sombra
muitas vezes mais forte
que um soco.

para um negro
a cor da pele
é uma faca
que atinge
muito mais em cheio
o coração.


POEMA
Cássio Amaral
[ via O Refúgio ]

a madrugada
lambe o sono
enquanto o sonho acorda


DITOS POPULARES NORDESTINOS
[ via Grande Ponto ]
[] Acabar-se depressa como sabão em mão de lavadeira
[] Agoniado como cobra quando perde a peçonha.
[] Andar ligeiro que só peba em areia frouxa.
[] Chorão que nem bezerro desmamado.
[] Feio como a necessidade.
[] Malcriado que só rapariga de soldado em portão de feira.
[] Perverso que só jararaca de rabo fino.
[] Resistente que só cascavel de quatro ventas.
[] Ruim que nem jerimum cheio d'água.
[] Suar mais que tampa de chaleira.

6 comentários:

Francisco Sobreira disse...

Moacy,
Bons os poemas e muito oportuna a relembrança desses ditos nordestinos, que estão se perdendo, principalmente por influência da televisão via novelas. Um abraço. ATENÇÃO - Consultando os dicionários de Jean Tulard e Rubens Ewald, vi que eu estava certo sobre o título do primeiro filme de Richard Widamark, um dos muitos temas das conversas no nosso encontro com Bené. É, de fato, "Beijo da Morte". O filme de Aldrich é "A Morte Num Beijo". Acho que a sua confusão deveu-se à grande semelhança dos dois títulos

Ana Paula disse...

Que legal reconhecer-se e não ter vergonha de ser quem é.
Eu sou assim: nordestina, baiana e feliz!
Adorei seu espaço!
Virei mais vezes!

Ane Brasil disse...

Adorei os poemas! lindos!
Quanto aos ditos nordestinos, o do bezerro e o do suor se bandearam pra cá também.
eu conhecia a variação: feio como a fome e feio como a peste.
é bom reencontrar minhas raízes nordestinas de vez em quando!
sorte e saúde pra todos!

Espartilho de Eme disse...

Adorei os ditos, Moacy, o grande ponto sempre tem a originalidade de encontrar expressões do nosso povo. Ah, visita o espartilho e veja Gargalheiras pela minha lente, meio vesga.(Não sei fotografar bem!) Beijos

poetriz disse...

Belíssima escolha de poemas!

Bjs

Marco disse...

Os poemas são muito bonitos, caro mestre Moacy. mas os ditos populares nordestinos são impagáveis. Eu adoro essas coisas. Se tiver mais, manda que é muito bom! Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.