quarta-feira, 16 de abril de 2008


Cartão postal
de
Copacabana dos anos 10

in
CopacabAna de Toledo


BALAIO PORRETA 1986
n° 2287
Rio, 16 de abril de 2008


GRITAREI
Poema de SAMIH AL QASSIM (Zarqah, 1939-)

No Século Vinte

Aprendi a não odiar
durante séculos
mas me obrigaram
a brandir uma flecha permanente
diante do rosto de uma píton
a brandir uma espada de fogo
diante do rosto do Baal demente
a transformar-me no Elias do século vinte

aprendi
durante séculos
a não proferir heresias
hoje açoito os deuses
que estavam no meu coração
os deuses que venderam o meu povo
no século vinte

aprendi
durante séculos
a não fechar a porta diante dos hóspedes
mas um dia
abri os olhos
e vi minhas ovelhas roubadas
enforcada a companheira de minha vida
e nas costas de meu filho
sulcos de feridas
então reconheci a traição de meus hóspedes
semeei meu umbral com minas e punhais
e jurei em nome das cicatrizes
que nenhum hóspede ultrapassaria meu umbral
no século vinte

durante séculos
não fui mais do que poeta
assíduo freqüentador dos círculos místicos

mas me transformei
num vulcão em revolta
no século vinte!

[in Poesia palestina de combate. /Trad. não especificada/
Rio de Janeiro: Achiamé, 2ª ed., s/d, p.59-60 ]

5 comentários:

ana de toledo disse...

Emoções linkadas!!
Um beijão

sandra camurça disse...

muito forte e belo.

beijos.

Vais disse...

Ei Moacy,
que trem mais arretado, rapaz, que isto dá uma vontade, um querer...

que bom que deu certo
abração

Anônimo disse...

Visite o nosso blog:
http://www.blagueblogueeoutrostrecos.blogspot.com/
Ficaremos felizes com a sua visita.
Douglas.

Marco disse...

Que beleza!