sexta-feira, 18 de abril de 2008


Lixo espacial em volta da Terra

Foto de satélite publicada esta semana,
divulgada pela Agência Espacial Européia:
"Segundo a agência, entre o primeiro lançamento, em 1957 [o Sputnik], e janeiro de 2008, cerca de 6 mil satélites já foram enviados para a órbita terrestre. Destes, apenas 800 estariam ativos e 45% estariam localizados a uma distância de até 32 mil quilômetros da superfície terrestre".


BALAIO PORRETA 1986
nº 2289
Rio, 18 de abril de 2008


Tesourapress
ESPAÇO
Carlos de Souza
[ in Substantivo Plural, de Natal ]

Uma fotografia na internet mostra o lixo espacial em torno da terra e é espantoso como o ser humano é capaz de sujar tudo, até o espaço. Às vezes desejo que as profecias de Malthus (aquele que previa a morte da humanidade por causa da superpopulação) sejam concretizadas logo, ou que a catástrofe nuclear seja rápida e urgente, mas depois penso nas pessoas que eu amo e fico quieto.

Lixo
Não, eu não sou um ecochato. Mas fico deprimido cada vez que vejo uma montanha de lixo. Acho que é o cúmulo da barbárie a pessoa não saber cuidar do próprio lixo, ou seja, colocar no lugar certo. Eu sei que o poder público nem sempre faz a sua parte na coleta do lixo, mas é possível colocá-lo em sacos bem acondicionados e providenciar depósitos adequados de acordo com a condição financeira de cada um.

Plástico
Depois que vi a reportagem numa revista dizendo que existe um grande lixão de plásticos no Oceano Pacífico, entre o Hawaí e a costa americana, levei um choque de realidade. Os EUA, o modelo de crescimento econômico do mundo, tão imitados por todas as nações emergentes do mundo, são verdadeiros bárbaros porcalhões. Em São Paulo existe uma iniciativa da indústria de reciclagem de garrafas pets que são transformadas em fibras para vários tipos de utilização. Por que essa idéia não pode ser universalizada?

Pneus
Já foi comprovado que pneus servem para fabricar matéria-prima de asfalto, tubos de saneamento e uma série de outras utilidades. Jogados na natureza não servem para nada, mas quando utilizados na indústria, são de grande valia. Por que ainda servem de focos do mosquito da dengue?

Floresta
A principal causa da derrocada do Haiti como nação foi o seu desmatamento sistematizado para o plantio da monocultura. O Brasil caminha celeremente e feliz para o mesmo destino. Mais um século nesta velocidade e não teremos mais a Amazônia. Se essa desgraça chegasse logo e matasse os filhos da puta que estão fazendo isso, eu abriria uma garrafa de Johnny Walker para festejar. Mas não, ela só vai atingir os meus netos.

Políticos
Outro tipo de lixo. Fiquei a semana inteira sob o efeito do texto de Woden Madruga sobre a viagem dos parlamentares potiguares à área das enchentes no interior do Estado. Eles deviam seguir o exemplo de Manoel Lopes, do Armazém da Caridade que, ao invés de fazer uma mera e inútil visita, manda alimentos para o desabrigados. O dinheiro que estes ilustres Deputados gastaram nesta esdrúxula viagem daria para mandar um caminhão de alimentos, medicamentos, água potável e roupas? Votem neles, porra!

Rios
A imagem do Rio Mossoró atulhado de lixo, lama e plantas que se alimentam da poluição é de deixar qualquer um com vontade de vomitar. A cruel ironia de tudo isso é que a natureza quando resolve se vingar passa por cima das casas desses miseráveis que jogaram o lixo no pobre rio. Ah, meu Deus, e aquele esgoto de Macau jorrando direto no rio, hein? Será que no ano que vem o governante da cidade vai fazer outro megacarnaval, ao invés de fazer a obra de saneamento que a cidade merece?

Música
“Mães zelosas, pais corujas. Vejam como as águas de repente ficam sujas...”. Gilberto Gil.


RECOMENDAMOS ESPECIALMENTE
o filme Serras da Desordem, de André Tonacci, no Estação/1:
uma obra-prima emocionante.

7 comentários:

Jens disse...

Moacy:
atualmente estou em convivência pacífica com o lixo, que se acumula em todas as dependências do meu lar doce lar. A preguiça bateu. Preciso de uma mulher que saiba lavar e cozinhar (que as feministas não me ouçam).
Um abraço.

Jacinta disse...

Ei Moacy,
caramba, quanta produção nos últimos dias! Muito bom. E desse seu sentimento "ecologicamente correto" também fui mordida. Às vezes penso que ficamos todos desnorteados, produzindo, produzindo, produzindo...e produzindo lixo na nossa realidade descartável.
É...
esquecemos que do universo, somos uma parte, e, se não cuidamos ficaremos entupidos.
Um abraço
Jacinta

adelaide amorim disse...

Estou de pleno acordo com o Carlos de Souza em que o pior é que o desmatamento não vai prejudicar os fdp que o provocaram, mas nossos netos, o que é uma pena mesmo.
E a sujeira cósmica? Que gente é essa, caramba?
Beijo pra você, Moacy.

Marco disse...

Caro mestre Moacy,
desculpe pela ausência, mas estou com minha mãe adoentada e isso tem me consumido tempo.
Esta sua postagem está uma maravilha. Mostra o quanto somos virulentos para o planeta. Ele já estava aqui quando o primeiro homo sapiens apareceu. E de lá pra cá é só sujeira. O futuro será muito complicado. Não estarei aqui para ver a zona que isso aqui vai ficar. Bom feriado. carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Vais disse...

Moacy,
boa, boa, boa demais
abraço

João Quintino disse...

Moacy, seu texto está ótimo, provoca e faz refletir. Estou produzindo quadrinhos com os professores municipais de Caicó e São José do Seridó, e o tema é exatamente o meio ambiente. Tenho feito o meu dever de casa: não pego mais sacolas nos supermercados; reutilizei revistas velhas nos últimos eventos que produzi; junto tampas e lacres de leite em pó para transformá-los em acessórios de moda; sempre tinjo as minhas roupas para renová-las e reaproveitá-las. Abraço.

Moacy Cirne disse...

Caro JOÃO: O texto é de Carlos de Souza, originalmente publicado no Substantivo Plural. Grato. E um abraço.