domingo, 13 de abril de 2008


Um poema é um poema é um poema
Imagem:
Olhares


BALAIO PORRETA 1986
n° 2284
Rio, 13 de abril de 2008



POEMA
de
HILDEBERTO BARBOSA FILHO

[ in Pequena propedêutica litúrgica
ao sagrado corpo da mulher amada
.
João Pessoa, 2000 ]

é preciso cantar
o corpo da mulher amada
e seus cálidos cardumes
na lagoa do tempo
antes que seja tarde

é preciso louvar
o corpo da mulher amada
e seus finos equinócios
de rubra geografia
antes que seja tarde

é preciso moldar
o corpo da mulher amada
e suas vastas aquarelas
nos epitáfios da água
antes que seja tarde

é preciso regar
o corpo da mulher amada
e seus noturnos lerões
nas órbitas da carne
antes que seja tarde

é preciso podar
o corpo da mulher amada
e seus secretos novelos
na névoa do beijo
antes que seja tarde

é preciso amar
o corpo da mulher amada
e suas claras rêmoras
nas luas do orgasmo
antes que seja tarde

é preciso cantar
o corpo da mulher amada
e suas lácteas litanias
na hóstia do olhar
antes que seja tarde

Um comentário:

sandra camurça disse...

Uuuuuuuuuuuh...bom demais...

Um beijo