segunda-feira, 19 de maio de 2008

Metaplagiando Milton Ribeiro
PORQUE HOJE É SEGUNDA,
a beleza de
Scarlett Johansson

Imagens extraídas de
E Deus Criou a Mulher


BALAIO PORRETA 1986
n° 2319
Rio, 19 de maio de 2008


As pessoas mais interessantes são os homens que têm futuro
e as mulheres que têm passado.
(Oscar Wilde)


SAGRAÇÃO DO VERÃO
Luís Carlos Guimarães
[ in A lua no espelho. Natal, 1993 ]

De repente a mulher desabrochou nua
saindo do mar, pois a água não a vestia,
antes a desnudava, fazendo a sua
nudez mais nua à dura luz que afia
seu gume no sol da manhã que inaugura
o verão. Dezembro só luz reverbera
em seu corpo, doura-lhe as coxas, fulgura
nas ancas, no dorso ondulado de fera.
Fera que guarda no ventre uma colmeia
com a flor em brasa do sexo que ateia
fogo ao meu desejo e tanto me consome
a vulva, gruta, rosa de pêlos - que nome
tenha - que desfaleço como se em sangue
me esvaísse morrendo de amor. Exangue.


UFF: Memória Departamental 1985
UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE
INSTITUTO DE ARTES E COMUNICAÇÃO SOCIAL
DEPARTAMENTO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL
Niterói, GCO, em 18.11.85

JE VOUS SALUE, LIBERTÉ

Os professores e alunos de Comunicação Social da Universidade Federal Fluminense e de seu Curso de Cinema, em Reunião Departamental, resolvem denunciar a postura reacionária de certas pessoas da área religiosa que têm estimulado o veto, em território nacional, do filme Je vous salue, Marie, do cineasta francês Jean-Luc Godard.

Nós, do Departamento de Comunicação Social e do Curso de Cinema, repudiamos o fato em si pelo que ele encerra de censura e obscurantismo. E outra não poderia ser a nossa posição, comunicadores sociais que somos.

Não queremos discutir aqui a importância de Godard para a história do cinema europeu e/ou mundial. Para muitos, estamos diante de uma obra da maior significação e da maior dimensão, gostemos ou não de seus filmes, gostemos ou não de suas propostas.

Queremos discutir - e questionar - o primado da censura sobre a arte, que se manifesta de maneira tão retrógrada no presente episódio. Sabemos o que vem a ser para um país a censura à imprensa, à música, ao teatro, às artes, ao cinema, e assim por diante. Pois, em última instância, a censura é um atentado contra a dignidade e a inteligência do Homem.

Queremos também questionar o poder da Igreja Católica, ou de seus representantes legais, que se arvora de Censora-Mor da sociedade brasileira. Que poder é este, que não leva em consideração a diversidade de opiniões religiosas, morais e estéticas? Que poder é este, que pretende assumir a censura de forma tão descarada? Que poder é este, que se revela tão insensível à liberdade de expressão?

Não, não podemos ficar calados. Não, não podemos aceitar que um Governo [o de José Sarney] que pretende ser democrático e soberano possa compactuar com tal absurdo, próprio dos fascismos e das intolerâncias.

O possível veto ao filme de Godard - ou a qualquer outra manifestação artística, nacional ou estrangeira -, se se concretizar, será o veto da ignorância. E do terror cultural.

Moacy Cirne
Chefia GCO [IACS]

Nota 2008:
Infelizmente, o veto se concretizou, como sabemos. Em 1986, numa sessão-protesto, promovemos no pátio do IACS uma exibição pública, em vídeo, do filme de Jean-Luc Godard.

6 comentários:

Milton Ribeiro disse...

Moacy, querido amigo.

Podes me metaplagiar à vontade. Sabes quem estava entre as meninas de Je vous salue num papel secundário? Uma jovem de 21 anos chamada Juliette Binoche.

Grande abraço.

Francisco Sobreira disse...

Caro Moacy
Que bom você relembrar Luís Carlos e num belo poema. Olha, concordo inteiramente com você (e não poderia deixar de fazê-lo), quanto à ação da Igreja na proibição a Je Vous Salue, Marie. Mas não se pode deixar de responsabilizar o governo pelo fato. Confesso que, na época, fiquei decepcionado com Celso Furtado, então Ministro da Cultura, que teve uma atuação decisiva no veto ao filme de Godard. Sem dúvida, uma mancha na importante biografia dele. Um abraço.

Mme. S. disse...

Adorei começar a semana com esse post. a beleza da moça, o poema do luis carlos, Godard (tenho esse filme em DVD). bom jeito de começar a semana. abraço

Jens disse...

Moacy:
Scarlett tornou a minha segunda-feira ensolarada.
No mais, Abaixo a Nova República!
Um abraço.

Carito disse...

Tudo muito bom por aqui... Você tirou essa segunda de letra! A letra Scarlett... a letra Wilde, a letra Luís Carlos Guimarães, a letra protesto... Je vous salue, Moacy!

Marcelo F. Carvalho disse...

Deus criou o homem, o homem criou a censura, a religião, a guerra, o roubo... aí Deus, puto que estava, criou a mulher... E da mulher nasceram Scarlett Johansson, Mônica Bellucci, Juliette Binoche, entre tantas deusas!
_________________________
Abraço forte!