domingo, 15 de junho de 2008


Um postal
e o amor à moda antiga

in
CopacabAna de Toledo


BALAIO PORRETA 1986
nº 2341
Rio, 15 de junho de 2008

Na falta de pérolas
jogo palavras aos porcos
(Ada Lima)


POEMA DE IRACEMA MACEDO (RN)

Ardor

Um oceano inteiro não basta
para calar no meu peito
este murmúrio
de tantas formas de ardor
tantas formas de estar banida e só
e não há terra ou chuva
que arrefeça
esta porção de mim
que trago cálida
esta porção de mim
que trago presa
este meu coração cheio de vespas

[ in Lance de dardos, 2000 ]


POEMA DE CHICO DOIDO DE CAICÓ (RN)

Suave como um tanque de guerra
Delicado como um fuzil morteiro
Doce como uma bala perdida
O machão nada respeita:
Não respeita a puta
Não respeita o padre
Não respeita o coronel
Respeita apenas o seu traseiro.

O machão adora ser enrabado.


POEMA
de TANUSSI CARDOSO
(RJ)

Da paz das borboletas
para Márcio

Moram em mim animais bravios.
Perigosos, eriçam os pelos
rangem os dentes
emitem urros
por qualquer hora ou motivo.
Mas dormem em mim, tranqüilos
quando lhes conto das borboletas
pousadas sobre os vitrais noturnos

[ in Viagem em torno de ]


MAIS POESIA PARA UM DIA DE DOMINGO

metamorfose

de NEL MEIRELLES (PE/RJ)

tornei-me homem
pela primeira vez
de novo
quando meus olhos
ouviram dos teus olhos
o silêncio
indefinido do querer

[ in Fala Poética ]

3 comentários:

Vais disse...

Ei Moacy,
bom domingo, boa semana e pra variar, o Balaio, começando pelo postal tá uma maravilha, ótimo o poema do Chico Doido e o 'Da paz das borboletas', gostei, gostei bastante.
abraço procê

ana de toledo disse...

Adorei!hehe
Beijão

Mme. S. disse...

Cheguei aqui, hoje, na segunda. Mas não tem como achar o domingo maravilhoso depois de tanta poesia. Um cheiro meu amigo, S.