quarta-feira, 2 de julho de 2008


Porque hoje é quarta,
a magia embriagadora
dos
tricolores no Maracanã

Fotos:
Legião Tricolor


BALAIO PORRETA 1986
n° 2357
Rio, 2 de julho de 2008


Bebo horizontes de amor
na curva do último abraço
(Marly de Oliveira)


POEMA
Ronaldo Santos

um lance de dados jamais abolirá os doidos
um lance de doidos jamais abolirá os dados

[ Releitura de Mallarmé:
"Um lance de dados jamais abolirá o acaso" ]


RECUPERAÇÃO DA ADOLESCÊNCIA
Ana Cristina César

é sempre mais difícil
ancorar um navio no espaço


RENASCER
Pedro Galvão
[ in Bissexto, 2007 ]

Esta mulher aconteceu em minha vida
quase um quasar reacendendo um sol sem sol.
Esta mulher me deu o fio do labirinto
me ergueu do mar em sua concha de coral.
Esta mulher raiou num beco sem saída
me carregou me deu seu leite seu lençol
sua aspereza seu veludo seu instinto
e me despiu depois me amou e me deu sal.
Agora ela me lambe e pensa-me as feridas.
Então me agarra me sacode monta em mim
e me incitando a decantar solta-me as bridas.
Esta mulher raia nos raios do meu dia
ela é o começo em que renasço do meu fim.
Esta mulher, viva em meu braços, é poesia.


A BIBLIOTECA DOS MEUS SONHOS

À sombra das chuteiras imortais,
de Nelson Rodrigues.
Sel. & notas: Ruy Castro.
São Paulo: Companhia das Letras, 1993, 198p.
"Daqui a duzentos anos a cidade dirá, mordida de nostalgia: 'Aquele Fla-Flu!' [Flu 3x2, em 15/6/1969, decisão do Campeonato Carioca, com mais de 180 mil torcedores no maior do mundo.] Ah, quem não esteve no Estádio Mário Filho não viveu" (p.145). Eu vivi: eu estava no Maraca naquela tarde memorável. Assim como estive, agora, nas vitórias épicas sobre o São Paulo e o Boca Juniors. Como estarei presente, logo mais, contra a LDU. Seremos campeões? Não sei. Talvez sim. Talvez não. Otimismo? Pessimismo? Nem uma coisa, nem outra - só a expectativa diante de um jogo decisivo. Para mim e para os tricolores, mais importante do que qualquer final de Copa do Mundo.

9 comentários:

Mulher na Janela disse...

os poemas estão lindos, Moacy, especialmente os da Ana Cristina!

abraços do Seridó!

Iara

sandra camurça disse...

Belos poemas.
e Dá-lhe Nense!!!!
Já que o meu tricolor tá todo borocoxô, torço pelo teu que tá todo...tá todo... ih, não consegui rimar...
Beijos.

ada disse...

Ada C sempre me dá arrepios.
Sou rubro-negra, mas hoje meu coração é tricolor!!!

Abraço!

ada disse...

Oooops! ANa C.!

lissa disse...

como ada, sou rubro-negra, e também vou torcer pro seu time hoje.

Jacinta Dantas disse...

Moacy e sua paixão. FUTEBOL. O mais segue, como sempre, bonitas escolhas.
Um abraço

marilia disse...

viva o tricolor carioca!!

suely disse...

Isso! Viva o tricolor! Embora não tenha levantado aquela taça,demonstrou o seu pontencial. É um time digno de honrarias.
Abraços fraternos.
Suely Magna

Marco disse...

Belo poema.
Eu não estava no Maraca naquele Flaxflu de 1969. Era muito novo. Mas acompanhava o jogo pelo radinho sofrendo, torcendo pelo meu amado Flamengo. Meu primeiro Flaxflu decisivo no Maracanã foi memorável: em 1972. Ganhamos de 5x2. Carpe Diem.