domingo, 10 de agosto de 2008


Clique na imagem
para ver o curta experimental
É hoje
[2006],
de Marcelo Ikeda:
carnaval e desilusão
carnaval e solidão
carnaval e anticarnaval

Foto:
Sambódromo, no Rio
(autoria desconhecida)


BALAIO PORRETA 1986
n° 2395
Rio, 10 de agosto de 2008


Oh, que som é este, que faz vibrar o ouvido,
Lá embaixo no vale, rufando, rufando?
São apenas os soldados escarlates, querida,
Os soldados chegando.
(W.H. AUDEN, Oh, que som é este?, trad. Jorge Wanderley)


POEMA DE WESCLEY J. GAMA

o azul-escuro do teu cansaço

revela a trajetória insana
do teu nariz ao vento,

dos teus pés
a minar
a selva urbana.

estás à procura
do fremente estar

à espreita
da reliquia dos olhos

de alguém que passa

no mesmo palpitar.

[ in A Taberna ]


POEMA DE NEL MEIRELLES

fertilidade

depois da chuva
brotam poemas
entre
os paralelepídedos
e as calçadas

[ in Fala Poética /desativado/ ]

COMO SE FALAVA EM NATAL
NA SEGUNDA METADE DOS ANOS 40


Arriado : Apaixonado
Arrotando goga : Gabando-se
Baiuqueiro : Jogador de baralho
Bater a linda plumagem : Voar; tomar caminho
Boca da noite : Fim de tarde
Caningado : Repetitivo; insistente
Comer corda : Aceitar e acreditar em elogios fáceis
Dar esbregue : Repreender
Dar o cavaco : Afobar-se; irritar-se
Enfarpelado : De roupa nova
Estar com a goitana : Estar furioso
Faltar areia nos pés : Ficar desnorteado
Jerimunlândia : A terra norte-rio-grandense
Lambedeira : Faca; peixeira
Marretar : Roubar
Muxicão : Beliscão
Pinicar a burrinha : Esporear
Queimar as pestanas : Ler; estudar muito
Torres : A formação de nuvens carregadas prenunciando chuvas

[ Fonte: Esquina da Tavares de Lira com a Dr. Barata,
reportagens de Djalma Maranhão.
Natal: Sebo Vermelho (Glossário organizado por Cláudio Galvão) ]

4 comentários:

Jens disse...

Oi Moacy.
Conferindo as novidades e desejando um bom domingo.
Um abraço.

Mme. S. disse...

Adorei o poema da(o) Nel Meirelles. Bom vir no Balaio todo dia. Todo dia é dia de Balaio.
beijos, S.

Paulo Gilberto - Patos (PB) disse...

Ainda hoje, Moacy, ouço pessoas utilizar-se de algumas das expressões elencadas, muitas delas, hilárias. Pinicar a burrinha é demais, né não? Uma boa semana para ti.

marcia disse...

otimas as expressões do anos 40, algumas sobrevivem até hoje , me diverti e lembrei varias outras parece que falamos " em codigo" de vez em quando né mesmo?
gostei de descobrir seu blog Moacy e vou dar uma espiada de vez em quando para me atualizar
um beijo
marcia