domingo, 14 de setembro de 2008



O Seridó
e o chão & as águas de Currais Novos
em fotos de
Maria Elza Bezerra Cirne


BALAIO PORRETA 1986
n° 2425
Natal, 14 de setembro de 2008


Um poema
é o coração
a pulsar fora do corpo
(Ada LIMA, in Menina Gauche, 08//09/08)


ANOTAÇÕES DE HILDEBERTO BARBOSA FILHO
[ in O escritor e seus intervalos. João Pessoa, 2008 ]

Em alguns casos não se deve criticar o excesso. Sobretudo quando o excesso incorpora uma certa harmonia. (p.105)

A vida é uma experiência selvagem e não há extravagância que eu não tenha sonhado. (p.105)

Um simples verso pode carregar todos os desastres e todos os milagres! (p.116)

Se "cada palavra é uma obra poética", conforme pondera Jorge Luis Borges, quanto não há de poesia em palavras como neblina, alguidar, candelabro, alfazema... (p.116)

Escrever é uma maldição, afirma Clarice Lispector em um de seus registros de A descoberta do mundo. Às vezes também penso assim. Às vezes, no entanto, penso exatamente o contrário: escrever é a salvação! (p.122)


OS MELHORES FILMES DOS ANOS 60
Moacy Cirne
[ segundo indicações de A cinemateca imaginária ]

1. A aventura (Antonioni, 1960)
2. Persona (Bergman, 1966)
3. Ano passado em Marienbad (Resnais, 1961)
4. Crônica de Ana Madalena Bach (Straub & Huillet, 1967)
5. Eclipse (Antonioni, 1962)
6. Viver a vida (Godard, 1962)
7. 2001: uma odisséia no espaço (Kubrick, 1968)
8. Andrei Rublev (Tarkóvski, 1966)
9. Deus e o diabo na terra do sol (Glauber Rocha, 1964)
10. Madre Joana dos Anjos (Kawalerowicz, 1961)
11. O leopardo (Visconti, 1963)
12. Era uma vez no Oeste (Leone, 1968)
13. Oito e meio (Fellini, 1963)
14. Rocco e seus irmãos (Visconti, 1960)
15. Simão do Deserto (Buñuel, 1965)
16. Falstaff (Welles, 1966)
17. O evangelho segundo São Mateus (Pasolini, 1964)
18. Blow-up (Antonioni, 1966)
19. Terra em transe (Glauber Rocha, 1964)
20. Memórias do subdesenvolvimento (Alea, 1968)
21. Othon (Straub & Huillet, 1969)
22. Faces (Cassavetes, 1968)
23. La hora de los hornos (Solanas, 1968)
24. Jules et Jim (Truffaut, 1962)
25. O anjo exterminador (Buñuel, 1962)
26. O deserto vermelho (Antonioni, 1964)
27. Gertrud (Dreyer, 1964)
28. A grande testemunha (Bresson, 1966)
29. Pierrot le fou (Godard, 1965)
30. Vidas secas (Nelson Pereira dos Santos, 1963)
31. One plus one (Godard, 1968)
32. O homem que matou o facínora (Ford, 1962)
33. A noite (Antonioni, 1961)
34. O processo (Welles, 1962)
35. Vagas estrelas da Ursa (Visconti, 1963)
36. O desprezo (Godard, 1963)
37. Por alguns dólares a mais (Leone, 1965)
38. Três homens em conflito (Leone, 1966)
39. O silêncio (Bergman, 1963)
40. Dr. Fantástico (Kubrick, 1964)
41. O criado (Losey, 1963)
43. West side story (Wise & Robbins, 1961)
44. Porto das Caixas (Paulo César Saraceni, 1962)

Nota:
Seleção sujeita a revisões, chuvas, cajás e maracujás.
Nota2:
Resolvemos acrescentar seis filmes nos Melhores dos Anos 50.

12 comentários:

Dora disse...

Caro Moacy. Há alguns dias, estive revendo meus posts bem antigos(lá dos idos de 2004, 2005...rs). E me debrucei sobre os comentários dos leitores. Li os seus comentários.
E fiquei a divagar...Por que não vejo mais seus passos no meu espaço?
E eu? Por que não o visito mais?
Ambos somos "habitués" desse ambiente virtual há tanto tempo...rs
Talvez você esteja me supondo doida, mas, fiquei realmente curiosa sobre esse afastamento, que acontece não raro entre os blogueiros. Aliás, exatamente como na vida aqui fora...as pessoas se distanciam.
Não estou lhe pedindo para comentar meu blog...rs Apesar de que sua leitura crítica sempre me agradou muitíssimo.
Foi uma constatação que fiz. E, como estou à toa, nesse domingo chuvoso, me farto de passear entre blogs.
Acabei de ler as anotações de Hildeberto.
E a lista de filmes.
Não formei juízo ainda sobre o que li...concentrada que estou nesse outro assunto...rs
Quero lhe deixar meu abraço.
Depois volto.
Dora Vilela

benechaves disse...

Moacy: não conheço 11 de seus filmes indicados nos anos 60. E nem sei se irei conhecê-los algum dia.Estou praticamente terminando o seu livro: muitos filmes que não vi. Mas, fazer o que?
Sobre a lista acima revi ontem 'A aventura', que continua um belo filme. Sei que as revisões são importantes para uma melhor análise. E tento, este ano, rever(em dvd) o que me tenha sido possível dentro das limitações natalenses.

Um abraço...

Dora disse...

Moacy! Voc� n�o acredita! Mas, meu cora�o festejou sua visita l� no Pretensos.
Tenho as visitas de Ben� Francisco Sobreira, Dantas, Manoel Carlos. Mas, faltava voc�. Faltava.
Seu coment�rio ficou como um aut�grafo do seu livro que n�o tenho. E que desejava ler...Como o adquiro?
Refiro-me �quele que Ben� l�.
Beijos!
Dora

Gabriel Carneiro disse...

Moacy,

Tem recebido meus emails?

Você vai conseguir me mandar o texto?

Abs, e aguardo retorno.

Gabriel Carneiro

victor disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
victor disse...

Fotos lindas do seridó. sensibilidade e criatividade. Blog porreta. abraços

victors.gomez -
projetos sociais artes

suely disse...

Moacy,

As fotos lindas e bucólicas feitas pela Dra. Elza Cirne removeram-me a um certo pé de serra muito querido, encravado no coração sertanejo desse Estado.
Estou quase a concluir o seu livro. Gostei muito da relação dos grandes diretores (80-81).
Grande abraço e um excelente final de tarde.
Suely

Jens disse...

Salve, salve, Moacy.
Passando pra desejar um bom domingo.
Um abraço.

Anônimo disse...

Olá!
Adorei seu blog!!
Uma ótima semana!
Beijos
http://sex-appeal.zip.net
http://cara-nova.zip.net

Cinecasulófilo disse...

Moacy, bela lista a sua. Pessoalmente, prefiro Teorema ao Evangelho, do Pasolini, e poderia ter ao menos mais um Bresson (Mouchette). Senti a falta de pelo menos um filme japonês. E de A Doce Vida. E, claro, de Walden, de Jonas Mekas. Um abraço.

Anônimo disse...

Moacy, fotos lindas, lista rica... Grata pela visita e pelo poema aqui, nesse espaço que admiro tanto!

bjos,

Ada

Maria Maria disse...

Belo Seridó, belas imagens carregadas de poesia. Beijos de Maria Maria