domingo, 9 de novembro de 2008


Clique na imagem
para verouvir
Gláucia Chris,
cantora/autora independente do Rio,
no videoclipe Imagem dirigido por
Felipe Pitrez


BALAIO PORRETA 1986
n° 2474
Rio, 9 de novembro de 2008


no livro desse nosso romance ardente
não cabe vírgulas nem apresentação
vou direto ao conto.
(Carito, in Os Poetas Elétricos)


RELEMBRAMENTOS CAICOENSES
Moacy Cirne
[ in Rio Vermelho, 1998 ]

Depois da chuva,
depois das borboletas,
o cheiro da terra molhada.
E a vontade de abraçar crepúsculos
e trovoadas.
Depois dos cajus,
depois dos cajás,
a Festa de Santana e as romãs
guardavam poentes escandalosos
de vermelhos
e carnavais.

[][][]

Colecionei gibis, fotogramas
e estampas
eu
calol. Colecionei
espantos, devaneios e paixões
platônicas.
À distância,
a cidade caicó sertão seridÓ,
uma história que não acabou
para os colecionadores
de sonhos
ambrosias
e chocolates.

[][][]

Caicó
Caicó
serra
serrote
solidão aridez
e um
sorvete de baunilha.

[][][]

Antes de mim,
entre o Seridó e o Barra Nova,
Caicó já existia.
As fotos
de José Ezelino,
uma só poeira um só antigamente,
não me deixam mentir.


POEMA DA BUCETA CABELUDA
Bráulio Tavares
[ in Antolorgia, 1984;
republicado in
Balaio, n° 177, de 8/9/1989 ]

A buceta de minha amada
tem pêlos barrocos,
lúdicos, profanos.
É faminta
como o polígono das secas
e cheia de ritmos
como o recôncavo baiano.
A buceta de minha amada
é cabeluda
como um tapete persa.
É um buraco-negro
bem no meio do púbis
do universo.
A buceta de minha amada
é cabeluda,
misteriosa, sonâmbula.
É bela como uma letra grega:
é o alfa-e-ômega dos meus segredos,
é um delta ardente sob os meus dedos
e na minha língua
é lambda.
A buceta de minha amada
é um tesouro
é o Tosão de Ouro
é um tesão.
É cabeluda, e cabe, linda,
em minha mão.
A buceta de minha amada
me aperta dentro, de um tal jeito
que quase me morde;
e só não é mais cabeluda
do que as coisas que ela geme ao meu ouvido
quando a gente fode.

9 comentários:

ana poeta. disse...

Moacy.

Reencontrei o caminho...q versos intrigantes:"...E a vontade de abraçar crepúsculos
e trovoadas..." Muito lindo. Parabéns!

p.s: Finalmente saiu o verso c uma das imagens q "roubei" do balaio, espero q vá conferir o rabisco q fiz.

Beijos Poéticos.
;**

Cosmunicando disse...

adorei a voz de Glaucia, super bacana.
e três poetas-feras juntos nesse post pra lá de cabeludo, eita coisa boa!

Jacinta Dantas disse...

Com saudades do balaio, volto e o vejo cheinho de coisas boas. Depois da chuva que se faz em mim, aí sim, sinto-me aliviada e renovada para recomeçar, abrançando o que a vida reserva prá mim.
Um abraço

Mariana disse...

sensacional esse balaio hoje!!!

Moacy, belos versos. (adoro a palavra Caicó...rsrs)

tava com saudade!

Glaucia Chris disse...

e bota cabeludo nisso!
que beleza moaci, vamos que a vida não nos deixa parar nunca!!!!!

Glaucia
www.myspace.com/glauciachris

sandra camurça disse...

Adorei teus poemas, Menino! E esse de Bráulio Tavares, aiaiai...
um beijo.

homoluddens disse...

esse balaio tá bom pra cacete!

Anônimo disse...

cacete de poema!

giulianoquase.

Pavitra disse...


gostei dos relembramentos caicoenses!