terça-feira, 20 de janeiro de 2009


Virgil Finlay
(1914-1971):
um dos maiores ilustradores da
ficção científica
de todos os tempos


BALAIO PORRETA 1986
nº 2542
Rio, 20 de janeiro de 2009

E até hoje não resolveram se eu sou nativo de capricórnio ou aquário. Até o meu signo é controverso!
(Fábio FRANÇOIS, in Odisséia Banal)


O AVESSO DO AVESSO
Márcia Maia
[ in Tábua de Marés ]

te encontraria
no deserto
às dez e meia
tonto de luz
passos trôpegos sobre a areia movediça

eu te desnudaria
meio-dia
sol a pino
e te manteria prisioneiro
até que tingisse
a tua pele
o mais negro ou rubro tom
e cegasse os teus olhos, o sol da tarde.

te abandonaria então
nu e insone
meio às sombras
sem sonhos
onde te escondias das noites quentes
de antigos janeiros.

por fim partiria
liberta
de ti
e do cárcere gelado
dos interditados verões do teu amor

desejo ao avesso
ainda pulsando em mim


EMBARCAÇÃO
Suzana Vargas
[ in Sombras chinesas, 1990 ]

Do meu sonho
ninguém
fará
navio.


Memória 1996
DEZ CONTOS MAGISTRAIS DE FICÇÃO CIENTÍFICA
Moacy Cirne
[ in Balaio, n° 845, de 26/06/1996 ]


1. O jardim do tempo (Ballard, 1958)
2. A cidade da chama cantante (Smith, 1931)
3. Shambleau (Moore, 1933)
4. Uma odisséia marciana (Weinbaum, 1934)
5. O último mundo do Sr. Goddard (Ballard |1964|)
6. Os homens da Terra (Bradbury, 1948)
7. Os poderes de Xanadu (Sturgeon, 1956)
8. Todo o tempo do mundo (Clarke, 1952)
9. O cair da noite (Asimov, 1941)
10. Não tenho boca e preciso gritar (Ellison, 1967)

Outros belos contos de ficção científica:
O gentil assassino (Ballard); A cidade do tempo (Ballard); Um som de trovão (Bradbury); Aqui há tygres (Bradbury); O marciano (Bradbury); Arena (Brown); Missão de salvamento (Clarke); Nenhuma outra manhã (Clarke); Flores para Algernon (Keyes); Primeiro contato (Leinster); A cor que veio do espaço (Lovecraft); Tudo o que nós somos (Sheckey); Raízes mortas (Simak); A aldeia encantada (Vogt); O ovo de cristal (Wells).


OBAMA OBAMA

E agora? E agora?
Não temos maiores ilusões.
Mas torcemos por ele, claro.
Ou seja: torcemos por nós
e pelo mundo.

8 comentários:

adrianna coelho disse...


moacy, eu cheguei a contar que minhas leituras na infância, influenciadas pelo meu papy, eram de ficção científica?
lembra da editora tridente? meu pai tinha a coleção completa... rs
um livro que não vou esquecer nunca é "adão e eva robots", do eando binder... poxa, não sei onde esses livros foram parar. esse seu post me trouxe muitas recordações.

beijos!

françois disse...

Muita honra, Moacy! Mas acho que cometi uma injustiça com você, editei esta frase depois que você a citou mas antes que você me avisasse. Enfim, subscrevo as duas versões, para que não haja dúvidas, pois ambas expressam satisfatoriamente meu inconformismo com a astrologia. um abraço!

Bosco Sobreira disse...

Meu caro Mestre,
Belos poemas, hoje, nesse Balaio sempre bem sortido.
Concordo com você, no OBAMA OBAMA.
Alguma coisa parece que vai mudar, ilusões à parte.
Um abraço.

Carito disse...

Belíssima ilustração! O Balaio é fricção centrífuga!

Karina Meireles disse...

Embarcação ..excelente
nem navio
nem canoa

os sonhos são nossos

Marco disse...

Caro mestre Moacy,
Eu não lembro dos contos de ficção científica que li. Alguns foram muito bons. Mas parece que a sua lista está muito bem cuidada, especialmente pelos autores: Arthur Clarke, Ray Bradbury e H.G. Wells. Os melhores no conto!
Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Jens disse...

Oi Moacy.
Me atualizando aqui no Balaio, antes de voltar para POA.
Gostei especialmente da presença de CDC e seu instrumento de trabalho pulsante e desbravador. Não poderia deixar de citar, claro, a Biblía reescrita a partir do ponto de vista do Sertão do Seridó (Chico Antonio do Coco Queimado, interessante...) e, também, a grata supresa que foi reencontrar dona Ruth Smythers, que já conhecia da falecida Dundum - revista classificada como pornográfica por um conceituado jornalista dos pampas, Flávio Alcaraz Gomes, o mesmo que atirou em um casal de namorados que ousou estacionar em frente à sua residência, nos anos 80. A garota morreu, o jornalista cumpriu pena e continua por aqui, com a reputação intacta.
***
Sonrisal na buceta? Hummm, fiquei excitado... vou experimentar.
***
Um abraço.

nydia bonetti disse...

Moacy
Adorei a frase de Fábio FRANÇOIS. Também nasci quase a meia noite do dia 22/09, na mudança de signo (virgem pra libra), na mudança de estação (termina o inverno começa a primavera), mudança de lua, equinócio de primavera,enfim... "Até meu signo é controverso" Sei bem o que é isto. rss
Abraço