segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

A arte digital de
Fátima Queiroz


BALAIO PORRETA 1986
n° 2556
Rio, 2 de fevereiro de 2009


A questão da origem da Bíblia é, em parte, histórica, ou seja, de quando cada um de seus livros foi escrito e de quando a coletânea passou a ser reconhecida como a única Escritura. Essas questões são difíceis de responder, porque nenhum livro da Bíblia traz a data em que foi escrito e poucos trazem o nome de seus autores, quanto mais um nome que seja autêntico. Precisamos inferir datas, autores e contextos a partir dos próprios textos, muitos dos quais, nas escrituras hebraicas, ainda foram ampliados e atualizados por outros
muito tempo depois.

(Robin Lane FOX. A Bíblia; verdade e ficção, 1991)


O LIVRO DOS LIVROS
(6a)
Texto estabelecido por
Moatidatotatýne, o Escriba

Zeferino Cabeção
e a destruição de Axé Musiqueta e Gonorreia
- Parte 1 -

E o Senhor das Alturas não gostou do que viu em Axé Musiqueta e Gonorreia. E o Senhor das Alturas resolveu visitar Zeferino Cabeção, revelando-lhe que estava disposto a acabar com as duas cidades. Zeferino Cabeção d'Ele aproximou-se e falou: "Vais realmente exterminar o justo com o ímpio? Se houvesse 69 justos nas cidades os exterminaria? Não perdoarias o lugar por causa dos 69 justos que ali vivem? O Juiz de toda a terra não faria justiça? Afinal, se muitos fornicam a qualquer momento, alguns são apenas libertários". O Senhor das Alturas respondeu: "Se eu encontrasse em Axé Musiqueta, ou em Gonorreia, 69 justos, perdoaria por causa deles as duas cidades".

Zeferino Cabeção prosseguiu e disse: "Sou bem atrevido em falar a meu Senhor das Alturas, eu que sou pó, poeira, pedra, pedregulho e palmeirense, e se houvesse 33, ou 24 apenas, perdoarias Axé Musiqueta, perdoarias Gonorreia? Não Te irrites, por favor". E Ele respondeu: "Pelos 33, ou 24 apenas, não as destruiria, nem uma, nem outra. Mas se nas duas não há sequer dez justos?" O Senhor das Alturas partiu e Zeferino Cabeção, inturido, voltou para os seus familiares, mais acabrunhado do que nunca.

Mais tarde, dois jagunços enviados pelo Senhor das Alturas chegaram a Axé Musiqueta, já que Gonorreia era um caso perdido, e lá procuraram pelas únicas pessoas que o Senhor das Alturas julgava decentes. E assim foi que os dois jagunços, depois de uma rápida volta pelos butecos e cabarés do lugarejo que mais parecia uma vila espanhola do século XX da Era Comum, dirigiram-se à casa de Pão-de-Ló. E a Pão-de-Ló anunciaram: "Esta cidade será bombardeada e completamente destruída pelos que vêm de muito longe, já que seus habitantes são pecadores, republicanos, libertários e não gostam do generalíssimo Senhor das Alturas". E mais disse: "Convém que o senhor, sua mulher e suas duas filhas aqui não fiquem. Vocês são pessoas justas e honestas".

E continuaram: "Na cidade, muitos nos viram e ficaram desconfiados e algum dedo-duro espalhou por aí o motivo de nossa viagem. Com isso, a multidão que se encontra lá fora quer nos fuder". E a multidão se impacientava. E a multidão se agitava. E a multidão cercou a casa de Pão-de-Ló, aos berrros. "Onde estão os homens que vieram à tua casa esta noite", gritava um. "Traze-os cá até nós para os conhecermos", berrava outro. "Quem são eles? De onde vieram? O que desejam de nós?", exaltavam-se todos.

E continuavam, furiosos: "Serão do Beco da Lama, na Cidade dos Reis? Da Maciel Pinheiro, em Campina Grande? Do Ponto Cem Réis, em Parahyba? Da Avenida Guararapes, em Recife? Da Praça da Liberdade, em Queicuó, por ventura? Se conhecem o cantador Zé Limeira, o amigo do jornalista paraibano Orlando Bodocongó, e o sanfoneiro Luiz Gonzaga, apreciador do forró pé-de-serra, certamente são boa gente. Caso contrário, não passam de uns cabras safados e merecem umas boas lamboradas, ou coisas piores".

Pão-de-Ló saiu-lhes à porta, fechou-as atrás de si e lhes disse: "Por favor, meus irmãos, não façais semelhante maldade. Vede, tenho duas filhas formosas, que ainda não conhecem homem. São virgens, acreditem. Vou trazê-las para fora. Podeis fazer com elas o que bem entenderdes, inclusive enrabá-las, mas nada façais a estes jagunços, pois são meus hóspedes". Armou-se então o maior cu-de-burro. As próprias filhas, dentro da casa, ao ouvirem as palavras do pai, protestaram com veemência: "O quê? De jeito nenhum! Ah, se as feministas já existissem... Ah, se Patrícia Galvão e Leila Diniz já tivessem nascido... Esse papo de dizer que defender a integridade de hóspedes é um dever consagrado pela tradição e pelas sagradas escrituras não passa de machismo vulgar. Sem o nosso consentimento, não seremos enrabadas por ninguém, ouviram? Por ninguém!"

( Continua )

Nota dos editores d'O Livro dos Livros

Inturido : aquele que não sabe o que dizer ou responder
Lamborada : chicotada; porrada

Cu-de-burro : confusão

10 comentários:

Sandra Porteous disse...

Será que as virgens filhas serão enrabadas pela plebe ignara? Será que Leila Diniz virá do futuro só para salvá-las? Aguardo o próximo capítulo!

Francisco Sobreira disse...

Moacy,
Acredito que você já saiba que Moniz Vianna morreu. Ele morreu no sábado, parece, mas só hoje fui saber, lendo o blogue do crítico Zanin na versão on line do Estadão. Um abraço.

Karina Meireles disse...

hahaha
Na Maciel Pinheiro todos estão excitados com as mandingas de Zeferino cabeção..
e relamente os cabras e as raparigas que não conhecem os ditos aqui citados, não sabem o que é viver!!
queimma!!

Karina Meireles disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Karina Meireles disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dilberto disse...

Rá, rá, rá! Não perco por nada o próximo capítulo genail desta saga divina! Lembrei-me de certa feita onde fiz uma sátira sobre "Cartas Chilenas", reescrevendo-as - se houver interesse, mando-as para ti!

Caro Moacy: o 'post' dos Morcegos creio que te interessa! Há cidades e listas! E uma certa poeticidade no meio de tudo! Grande abraço, Mestre Arretado!

Eliene Dantas disse...

pensei que inturido era outra coisa... kkkk, pelo menos quando uso essa palavra me refiro a algo um tanto quanto diferente...

rua do mundo disse...

boa noite, moacy
na verdade bom dia!
muito obrigada meu querido!!!
na verdade nem sei como agradecer...
bjs

Marco disse...

Rá! Rá! Rá!... Noutro dia eu vi um programa do Discovery que explicava a destruição de Sodoma e Gomorra por um asteróide. Mas este relato é bem mais divertido!
Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

adrianna coelho disse...


hehehehehee

esse é o livro dos livros, né, moacy?
a maior sacanagem contada e recontada em todos os tempos... rsrsrsr

"De jeito nenhum! Ah, se as feministas já existissem... Ah, se Patrícia Galvão e Leila Diniz já tivessem nascido... Esse papo de dizer que defender a integridade de hóspedes é um dever consagrado pela tradição e pelas sagradas escrituras não passa de machismo vulgar. Sem o nosso consentimento, não seremos enrabadas por ninguém, ouviram? Por ninguém!"

ahahahahahahahaa

p.s. indo à continuação...