segunda-feira, 2 de março de 2009

Madonna
(1894-95),
de
Edvard Munch


BALAIO PORRETA 1986
n° 2585
Natal, 2 de março de 2009

... todos os relatos da Bíblia são ficções eruditas ou fantasias religiosas, e geralmente servem a propósitos bastante tendenciosos.
(Harold BLOOM. O Livro de J, 1990)


O LIVRO DOS LIVROS
(11)

Texto estabelecido por
Harold Rosemberg & David Bloom

Sete anos de pastor Jacó Apenas Jacó
servia Labão de São João

E assim aconteceu. E acontecdeu assim. Depois da luta noturna contra aquele que, anjo ou demônio, parecia ser o Senhor das Alturas, Jacó Apenas Jacó, que não era nenhum aparador de peidos(¹), repensou alguns momentos de sua vida. De quando Lia de Maracujá dizia, à tardinha: "Deves entrar em mim para depositares a tua gala(²) em minha doce bucetinha". De quando Raquel Apenas Raquel, a Tesuda, horas mais tarde, dizia, em plena madrugada: "Deves entrar em meu foba(³), para depositares o teu néctar em minhas entranhas mais profundas".

E Jacó Apenas Jacó tinha outras relembranças, outras relembranças Jacó Apenas Jacó tinha, embora vagas e neblinosas: lembrava-se dos porres bíblicos no Beco da Lama, na Cidade dos Reys, à base da meladinha de Nazico, o Muçulmano. E se lembrava das raparigas do Arpège e de Rita Loura, do Wanderbar e de Zefa Paula, de Ciça Miguel e de Zé de Candango, de Isabel Rodinha e de Minita Rebolado, lugares afamados da Cidade dos Reys, terra de Mestre Cascudinho de águas passadas. Lembrava-se até mesmo de Lurdes Jipão(ª).

E mais não se lembrava Jacó Apenas Jacó. Mas a jornada de Jacó Apenas Jacó prosseguiu, no mesmo dia do combate cantado em prosa e verso por alguns poetas populares de todo o Nordeste. Jacó Apenas Jacó, suas mulheres e seus filhos prosseguiram a viagem. Muitas léguas tiranas percorreram. Percorreram muitas léguas tiranas, eventualmente ao som da sanfona de Luiz Gonzaga, que, naquele momento, sob a direção de Paulo Jorge Dumaresq, ensaiava um auto natalino na caatinga grande do grande sertão. E Labão de São João, que se julgara traído por Jacó Apenas Jacó, resolveu persegui-lo. Os dois se encontraram no Triângulo da Maconha, em terras pernambucanas.

E Jacó Apenas Jacó disse a Labão de São João, que procurava por suas coisas tomadas por ele(ªª): "Nesses 20 anos que passei em tua casa, tuas ovelhas e tuas cabras não abortaram, nem comi os cordeiros de teus rebanhos. Nem procurei as tuas mulheres para com elas brincar de macho e fêmea. Sempre fui um homem justo. Sempre fui um homem benevolente. Mesmo que fosse verdade o que dizes, não o teria feito por maldade ou por exploração; não o teria feito por ganância ou por inveja".

E mais disse: "Reclamavas de mim o que me roubavam de dia e o que me roubavam de noite. De dia me consumia um calor de torrar o quengo (ªªª) e de noite um frio de torá os chifres (ªªªª), e o sono me fugia dos olhos. Assim passei 20 anos em tua casa. Arenguei (4) muito com meu irmão Esaú de Assis, e já não arengo mais(ªªªª). Como o patriarca Zeferino Cabeção, também fui vítima do Senhor das Alturas, e aqui estou, firme e forte".

E disse mais: "Catorze anos te servi para tuas filhas, comendo-as no civil e no religioso; seis anos por teu gado, e dez vezes mudastes o meu salário, explorando-me como um reles capitalista do futuro. Ou preferes que eu, pobre mortal, antecipe as palavras do poeta Luiz Vaz de Camões, das terras lusitanas ainda inexistentes? Que assim seja. Que seja assim: Sete anos de pastor Jacob servia Labão, pai de Raquel, serrana bela; mas não servia ao pai, servia a ela, e a ela só por prêmio pretendia. Também servi a Lia de Maracujá, não te esqueças".

E Labão de São João acreditou em sua palavra. E Labão de São João desejou-lhe boa sorte e boas terras. E Labão de São João contente ficou. E Jacó Apenas Jacó prosseguiu, com suas mulheres, seus filhos, suas empregadas e suas lembranças. E em terras baianas se fixou, já com 72 filhos: Simeão da ECO, Levi do GDS, Dina Dinorah - que seria violentada por um dos netos de Tonho Carlasco Boniteza e por Rabo de Foguete Incasteca Demoníaco -, Djair Djair, Bartola Bartolomeu, Judá Judaico, Zabulon Zabulê, Falves Fralves, Rubem Rubens, Issacar Issabus. E Zé do Ouro, entre outros.

Próximo capítulo:
Zé do Ouro, o Pobretão

Notas dos Editores:

(¹) Aparador de peidos : Bajulador, puxa-saco, lambe-cu.
(²) Gala : Esperma.
(³) Foba : Ânus, boga, fi-o-fó.
(4) Arengar : Brigar, discutir.

(ª) Alguns teólogos contestam o versículo d'O Livro em questão, que teria sido acrescentado no séc. VI da Era Comum apenas para mostrar que o Senhor das Alturas, apesar de vingativo e violento, irracional muitas e muitas vezes, também seria capaz de compreender as "fraquezas" da carne humana, já que Ele não reagiu às "safadezas" de Jacó Apenas Jacó em sua obscura passagem pela Cidade dos Reys, não de todo comprovada pelas sagradas escrituras.
(ªª) Em outra versão d'O Livro, não autorizada, teria sido Raquel Apenas Raquel, a Tesuda, a principal responsável pelos bens materiais tomados de Labão de São João.
(ªªª) Calor de torrar o quengo : Calor da mulesta, calor da porra, calor da gota serena - um calor dos diabos, como o de Jucurutu, na Capitania do Ryo Grande, às duas da tarde, em ano de seca.
(ªªªª) Frio de torá os chifres : Frio da mulesta, frio da porra, frio da gota serena - um frio à altura do frio da Sibéria ou do Polo Norte, ou de Garanhuns, em terras pernambucanas.
(ªªªªª) Possível contradição do própri'O Livro: em capítulo anterior a existência de Esaú de Assis foi questionada pelos Editores.

10 comentários:

sandra camurça disse...

Ahahahah...Moacy, não tenho tido muita oportunidade de ler esse Livro dos Livros, hoje li com mais calma. É maravilhoso! Mas que danadinha essa Lia de Maracujá, hein? Ahahah...
Beijos, beijos.

Dilberto disse...

Luzes da Cidade é mesmo genial, Laranjeiras é mesmo lindo e muitas destas adoráveis expressões também rolam por aqui em São Luís MA - que siga esta fabulosa saga de "proporções bíblicas": sempre rio muito!

P.S.: realmente, "Orfeu Negro" é um pouco datado, mas marcou sua Poesia no Cinema...

Marcelo Novaes disse...

Moacy,


Eu vi em visão, e em visão eu vi. Por isso sei que é Revelação [por ser dupla a confirmação]. Eu vi Jacó Simplesmente Jacó Apenas, perambulando, por calçadas imundas, atrás das raparigas pequenas. Eu vi o Triângulo da Maconha, enão se parecia com o Triângulo das Bermudas [ nem sob as bermudas das raparigas tesudas], mas com a Terra Prometida. E eu vi a descendência de Jacó Simplesmente Jacó Apenas proliferar mais abundantemente que a Árvore Genealógica de Davi. Por isso atesto a verdade de tudo que está dito aqui [não bastasse a autoridade teológica de David Bloom & Harold Rosemberg, ou vice-versa: homens pietíssimos e pietíssimos homens].E se, agora, me calo, não é por mais não ver [não, pois que vi abundantemente..., e sem pudor o declaro]: é que lágrimas me afloram em vista [ não disse?!] de tão pungente diálogo entre o Simplesmente Explorador e o Apenasmente Explorado.






Abraços,






Marcelo.

mario cezar disse...

caríssimo moacy, venho aqui, quase todo dia(carnal) porque a palavra é vôo; e tua sensível retina(auréola) diz do sonho, que carregamos as duras penas; diz do pólen, que plantou-se entre os seios morenos. inté

Cosmunicando disse...

hahahahaha... você se supera, Moacy!
triângulo da maconha é demais =)))

beijos

Adrianna Coelho disse...


e dando continuidade aos dizeres aí de cima, mesmo não tendo a ver porra nenhuma, esses nomes que apareceram aí é bem coisa do triãngulo da maconha mesmo:

"Djair Djair, Bartola Bartolomeu, Judá Judaico, Zabulon Zabulê, Falves Fralves, Rubem Rubens, Issacar Issabus"

ahahahahahaa

beijos, moa!

Adrianna Coelho disse...


ah, e as notas, claro!!! ahahahhaa

célia musilli disse...

Salve este texto amoral muito porreta...( e me dê o endereço do Triângulo da Maconha..rs) Um beijo.

Moacy Cirne disse...

MERCEDES, ADRI e CÉLIA: Na verdade, trata-se de uma referência "metabíblica", muito comum n'O Livro dos Livros. Onde se lê "triângulo da maconha" leia-se "polígono da maconha", que engloba, entre outras, as cidades pernambucanas de Cabrobó e Salgueiro, distantes da capital. A região é conhecida por sua violência. O filme 'Movie árido' (este é o seu título, se não me falha a memória) retrata um pouco dessa violência.

Beijos.

WELLINGTON GUIMARÃES disse...

ESAÚ DE ASSIS?
GRANDE MOAÇA, QUE FAZ A CADA DIA A BÍBLIA MAIS INFERNAL, MAS QUE VERÁ A DEUS, NÃO O MAL, DO ANTIGO TESTAMENTO. MAS O REAL, O DO BEM, O PAI DE JESUS.