sexta-feira, 20 de março de 2009

Patu e a Serra do Lima,
no interior do Rio Grande do Norte

Foto de
Alexandro Gurgel
in
Chão Potiguar


BALAIO PORRETA 1986
n° 2603
Natal, 20 de março de 2009

Para mim, em se tratando de questões políticas, o nível de credibilidade da veja e da fesp (folha escrota de são paulo), numa escala de 0 [zero] a 10 [dez], oscila entre 0,1 [zero vírgula um] e 0,4 [zero vírgula quatro]. E se já tiveram seus bons momentos jornalísticos (embora a fesp, nos anos de chumbo da ditaDURA, não passasse de um sustentáculo materialmente imoral da repressão), hoje representam o lixo do lixo da história política do país.
(Moacy Cirne)


SAPIENS
Mercedes Lorenzo
[ in Cosmunicando ]

bichos, nascemos sábios
dúbios, morremos lixo

em nichos se escondem
trágicos
medos e vícios
com poderes
mágicos


A TEOLOGIA DA LIBERDADE,
APESAR DO VATICANO
Leonardo Boff
[ in Carta Maior ]

Desde seu início, ao final dos anos 60, a Teologia da Libertação adotou uma perspectiva global, focada na condição dos pobres e oprimidos no mundo inteiro, vítimas de um sistema que vive da exploração do trabalho e da depredação da natureza. Esse sistema explora as classes trabalhadoras e as nações mais fracas. Além disso, reprime aqueles que oprimem e, portanto, contrariam seus próprios sentimentos humanitários. Em uma palavra, todos devem ser libertados de um sistema que perdura há pelo menos três séculos e foi imposto a todo o planeta.

A Teologia da Libertação é a primeira teologia moderna que assumiu este objetivo global: pensar o destino da humanidade desde a condição das vítimas. Em consequência, sua primeira opção é comprometer-se com os pobres, a vida e a liberdade para todos. Surgiu na periferia das Igrejas centrais, não nos centros metropolitanos do pensamento consagrado. Por essa origem, sempre foi considera como suspeita pelos teólogos acadêmicos e principalmente pelas burocracias eclesiásticas e especialmente pela da Igreja mais importante, a católica-romana.

[Clique aqui para ler o artigo na íntegra]


RELACIONADO
Betina Moraes
[ in Versos & Ideias ]

Você soletra
Eu nome

Você corteja
Eu contente

Você deseja
Eu derreto

Você beija
Eu tufão

Você escapa
Eu em vão

Você peca
Eu perdão

Você zíper
Eu camisa

Você sorri
Eu brisa

Você dez
Eu onze

Você dorme
Eu bronze

Você fome
Eu fruto

Você soma
Eu tudo.


PARA UMA DANÇA
Adrianna Coelho
[ in Metamorfraseando ]

gostaria de um homem verde
menino ainda
ou um homem verde e rosa

de alma mangueira


um homem que me tirasse
para as danças da chuva e do sol
e que gostasse de natureza


[mas tanto o sol como a chuva
mesmo sem esse homem
chegam a mim com tamanha beleza]


gostaria de um homem
para dançar
apenas


OBRA COMPLETA DE PAULO DE TARSO


Será na próxima semana, dia 27, a partir de 19h, na Reitoria da UFRN, o lançamento da obra completa, em volume único, do poeta Paulo de Tarso Correia de Melo: Talhe rupestre & poesia inédita. Sem dúvida, um dos grandes acontecimentos literários do corrente ano. Só não entendi uma coisa: é preciso confirmar a presença? Como assim? Será que poderei ir de bermudas? Afinal, trata-se de um lançamento de livro ou de uma festa para convidados? Ainda bem que Paulo de Tarso e sua poesia são maiores do que essas frescuras pseudo-acadêmicas...


9 comentários:

Mirse disse...

Oi Moacy! Adorei a postagem sobre a teoria da Libertação da qual sou adepta e dou ênfase. Pratico, agora sem muito certeza, o catolicismo Progressista, orientado e fundado pelos jesuítas que se opõem ao Papa quando devem. Li todo o texto e a frase final confirma que a Igreja e a Política não conseguem viver sem os pobres. Como angariar votos e fiéis? Portanto concordo com Leonardo Boff:
"A Teologia da Libertação é a resposta a uma realidade injusta e salva a Igreja central de sua alienação e de um certo cinismo." e acho que ele poderia ter ido mais longe.

Parabéns pela postagens, lindíssimos poemas e estarei aguardando ansiosa o desfecho do Sr das Alturas.

Beijos, amigo!

Mirze

Adrianna Coelho disse...


Moa, vc adivinhou, foi?
Adivinhou que eu ia voltar (pode perguntar a Mecedes) e resolveu me presentear? :)
E ainda me colocou junto a ela e à Betina! Adoro ambos os poemas...
E ainda o primeiro comentário sendo da Mirze, que é uma pessoa que vai fundo nas leituras que faz...
Adorei estar aqui hoje e já estava determinada a ler todos os posts que perdi desde meu sumiço... Me aguarde! :)

p.s. A Fesp está recebendo as críticas adequadas: "lixo do lixo da história política do país." Concordo!

Beijos!

betina moraes disse...

era mais ou menos o dito de adriana que eu já ia teclando aqui...

ficou lindo!

muito obrigada por associar meu nome ao nome de gente tão impressionante, Mercedes, Adriana,

e o querido, revolucionário, Leonardo Boff, por quem tenho a mais alta admiração e afeto.

ficou tudo muito bonito. as idéias acabaram se amarrando entre elas e ficou ótimo!

em tempo,

das imprensas que podem ser lidas eu fico com três: Carta Capital, Cadernos do Terceiro Mundo e Caros Amigos,

se for para ir um pouco além na questão mundial alguma coisa boa sai da Le Monde diplomatique, que disponibiliza boletins em português via e-mail.

de resto, se houver, estou mal informada.

seu blog é excelente!

grande abraço e mais uma vez, obrigada.

Cosmunicando disse...

sem ter muito mais a acrescentar nos comentários da Adrianna, da Betina e da Mirse, me resta dizer que o Balaio está sempre um passo adiante e me surpreende pelo conjunto...
Moa, obrigada mesmo, fico felicíssima cada vez que me vejo aqui acompanhada de gente tão talentosa... se a 'osmose' funcionar eu já posso me considerar contaminada =))
beijão

Cosmunicando disse...

ah! não podia deixar passar: essa foto tá uma coisa... a serra logo atrás das casinhas é um espetáculo da natureza.

Pedrita disse...

é o terceiro evento de peso que fico sabendo que acontecerá no dia 27. deve ser um dia de configurações dos astros, quem sabe os astros olham pra mim e pra minha conta bancária e interferem positivamente. vamos aguardar. hehe. beijos, pedrita

Beti Timm disse...

Mestre,

sempre venho aqui para beber cultura, bom gosto e é claro pescar uma das poesias adoráveis que aqui sempre encontro, como a de betina Moraes, simples e direta, mas linda!

Beijos carinhosos

mario cezar disse...

caríssimo, espiar imagens(tapuias-líricas-tapebas-caririenses-orvalhadas) sim, obrigado

Nivaldete disse...

Muito bom o poema de Betina Moraes. E a foto de Patu..., estranha e bela.
Pra se ver de vez em quando, que coisa bonita é assim...