terça-feira, 26 de maio de 2009

Imagem:
Martin Iman

BALAIO PORRETA 1986
n° 2673
Rio, 26 de maio de 2009

Como a polpa de uma fruta,
o teu corpo.
(José Carlos BRANDÃO. Polpa, in Poesia Crônica)


ETERNO
Mercedes Lorenzo
[ in Cosmunicando ]
Clique na imagem
para verouvir
a versão ideográfica
do poema


CARTA PELO VENTO
Marize de Castro
[ in Grande Ponto ]

Néctar
A verdade aproxima-se.

Olha-me com os olhos abismados da beleza.
Não sou a mulher
que corta os pulsos e se joga da janela
nem aquela que abre o gás
nem mesmo a loba que entra no rio
com os bolsos cheios de pedra.

Sou todas elas.
Escrever me fez suportar todo incêndio
– toda quimera.


PARA ENTENDER UM POEMA
Carito
[ in Os Poetas Elétricos ]

para entender um poema
basta olhar no céu
as entrelinhas.

* * *

mas um poema não se entende
se estende
ao sol.

um poema é criação do filho varal
de secar lágrimas.

faça chuva
ou faça só!


EXERCÍCIO POÉTICO
Flávio Corrêa de Mello
[ in Rio Movediço ]

No quarto sentado
no colo do meu corpo
me desafio conhecer
estas paredes que me narram
no centro das vigas e no visgo
do concreto sem poros.
Por hora, assisto o desfolhar
dos cupins expondo o estertor
do mofo e do aniquilamento
no armário e nos lençóis,
enquanto na janela do quarto
um black-out estendido
derrete as cinzas de sol
e esconde para além
o além dos meus pensamentos.


LONJURA
Mário César
[ in Coivara ]

a palavra alcança o avesso da carne?


CARTESIANA
Antonio Carlos de Brito
[ in Beijo na Boca ]

daquele amor que nunca tive tenho
saudade ou esperança?


De GOETHE
[ in Máximas e reflexões ]

Na tradução deve ir-se até ao intraduzível:
só então nos daremos conta da nação estrangeira
e da língua estranha.



De CHICO DOIDO DE CAICÓ

Mais vale uma buceta na mão do que duas na imaginação.


DE UM CORINTHIANO
[ in Blog do Torcedor ]

No dia seguinte a Fluminense 2 x 2 Corinthians, que acabou eliminando o Tricolor da Copa do Brasil, um torcedor do time paulista que esteve no Maracanã postou um comentário que elucida que destreza, reconhecimento e educação nunca deixarão de estar em voga. Pelo contrário: serenidade e palavras afáveis sempre encontrarão reciprocidade da parte exaltada, que, lisonjeada, desejará fazer o mesmo.

Leia agora o exemplo edificante dado pelo corintiano Wandel numa das maiores comunidades de relacionamento do clube paulista, “Corinthians – O Poderoso Timão”, com quase 1,3 milhão de integrantes.

Trata-se de uma gota no oceano.

Ou um primeiro passo de uma longa caminhada.

Mas é assim que se constrói.

“Você me abre os braços e a gente faz um país”.

Abre os braços aí, Wandel!


“Depois desse jogo (Flu x Corinthians), concluí algo que eu já suspeitava: Alessandro e Cristian foram muito infelizes em dizer que a torcida do Flamengo faz mais pressão que a do Fluminense. Além da festa bonita que fizeram, a torcida dos caras foi de emocionar. O time estava perdendo a vaga, precisando de um milagre, e eles continuavam cantando.

“É claro que não era todo mundo, mas na situação que o time estava, daria pra entender se o estádio ficasse calado. Em vez disso, continuaram a empurrar até o final.

“A torcida dos caras fez do Fluminense o nosso adversário mais digno que enfrentamos em MUITO tempo. Tanto pela belíssima festa [clique aqui para ver o mosaico tricolor, do qual participei com entusiasmo ímpar] que fizeram, quanto pelo respeito à torcida adversária.

“Receber bem os tricolores cariocas no jogo do Campeonato Brasileiro é obrigação. Deram exemplo a ser seguido por todos, inclusive por nós mesmos.

“Vai, Corinthians!”.


19 comentários:

Lívio Oliveira disse...

PoesiAlada!

líria porto disse...

vôo e volto - sempre! o chico doido é dos meus!

(ótimos versos recheiam o balaio)

besos

vais disse...

Saudações Moacy!
de passagem, deixando com muito gosto como é bom se perder e se achar nestas letras e nas imagens, cuméqnão?
Polpa, Eterno, lindos Carta pelo vento e Para entender um poema
Cartesiana
`daquele amor que nunca tive tenho
saudade ou esperança?`
na verdade, todos muito bons
e que Exercício poético
beijo

mario cezar disse...

caríssimo moacy , em teu nome, o rastro de açude; o bafo do marmeleiro; o lume do cinema; a vertigem do amor, são parte. inté. abraços

Mirse disse...

Oi Moacy!

Bom Dia!

Linda imagem corpo-polpa-fruto in black and white.

O poema da Lorenzo está show, adicionei aos meus favoritos.

Os outros poemas, estão difíceis de apontar.

De Goethe a Chico Doido, cada qual com sua ímpar beleza.

Não consegui abrir no YouTube a torcida tricolor. Deu "erro".

Certamente, mais tarde conseguirei.
Mas destaco a sensibilidade humana que ainda existe. e a sua visão que focalizou o que quase ninguém talvez, tenha percebido.

Parabéns, amigo!

Beijos

Mirse

BAR DO BARDO disse...

uma antologia duca!

muito bom!

Dilberto L. Rosa disse...

Concordo plenamente com as sabedorias de Goethe e de Chico Doido! E, sim, a palavra alcança o avesso da carne e estes poemas me fizeram ler nas entrelinhas a poesia em mim há tanto adormecida... Sempre bom ler poemas para despertar! E o Vascão pega o Curíntia amanhã... Oremos! Abraço, meu caro! Em tempo, obrigado pelas palavras do 'post' do dia 13!

Dilberto L. Rosa disse...

Concordo plenamente com as sabedorias de Goethe e de Chico Doido! E, sim, a palavra alcança o avesso da carne e estes poemas me fizeram ler nas entrelinhas a poesia em mim há tanto adormecida... Sempre bom ler poemas para despertar! E o Vascão pega o Curíntia amanhã... Oremos! Abraço, meu caro! Em tempo, obrigado pelas palavras do 'post' do dia 13!

Pedrita disse...

não sei se é tão fácil entender um poema como diz o carito. acho que mesmo só um poeta para achar que é fácil compreender um poema. belíssima imagem. beijos, pedrita

nina rizzi disse...

buenas-máximas :)

pra uns caroço
pr'outros bagaço
só pro tonto polpa
o tonto que prefere
duas voando...
(adora-ria em conhecer o chico)

e essa mê-faz ouvi-la. sono-ri-idades...

no mais
: palavras-me
lavram
ai, poesia
que tudos sei-os
cei(f)o

beijo, moacy :)

Uivo e Aurora disse...

oi, obrigada pelo comentário, mas eu realmente não sei qual cor fica boa para enxergar, pode me dar uma dica? queria o fundo azul, em algum tom azul, mas a leta pode ser qualquer cor,
obrigada,
alba

Mirse disse...

Oi Moacy!

Consegui ver a torcida do FLUZÃO!

E M O C I O N A N T E!!!

Não achas que deus, não resiste e foge para ali?

Lindo demais!

Beijos

Mirse

Francisco Sobreira disse...

Caro Moacy,
É muito difícil um torcedor de um time agir como esse em relação ao adversário. Que bela festa da torcida tricolor, pena que o time não venha correspondendo à força que vem das arquibancadas. E mais um belo poema de Marize. Um abraço.

Jens disse...

CDC,CDC,CDC!!!!
***
O Flu caiu de pé. É um consolo (nós ainda estamos na briga).
***
Um abraço.

J.F. de Souza disse...

Gosto de acompanhar a seleção de poemas que vêm parar aqui no Balaio Porreta! Muita gente boa que eu adoro... E muita gente boa que eu tenho o prazer de conhecer agora! =)

E, quanto ao assunto futebol e torcidas e combate à ignorância generalizada... Esperamos que tal exemplo não venha a se perder no meio desse mar de gente insana...

1[]!

Cosmunicando disse...

Moa querido,
vim aqui especialmente te agradecer... ando numa correria que até minhas leituras do Balaio estão defasadas =(

É uma alegria e uma honra pra mim quando algum poema vem pra cá. O teu Balaio representa uma série de valores que eu respeito e admiro, daí o gosto em participar.

Mas essa edição em particular, tá uma coisa de doido, sô!! Vixe... é tanta coisa boa que nem tenho como escolher... arrasou.

grande beijo

Carito disse...

camarada moa! é sempre uma boa, um grande prazer, uma grande honra, uma grande alegria de ganhar o dia, fazer parte de mais uma edição, mais uma adição, balaiolaika a rolling stone... agradecido, engrandecido!

Marco disse...

Olá, grande mestre Moacy
Os poemas selecionados são deveras bonitos. Mas Chico Doido do Caicó é... O poeta!
Quanto à festa tricolor no Maraca, sim, foi bonito. Um amigo meu, torcedor do fluminense, lamentava que alguns baderneiros (que existem em todas as torcidas) quisessem empastelar um rapaz que estava torcendo civilizadamente NAS CADEIRAS DA TRIBUNA com a camisa do Corinthians. Mudando de torcida, fiquei impressionado com a do Internacional, no jogo com o Flamengo. Eles estavam cantando quando tomaram o gol e passaram a cantar mais forte. É lindo o espetáculo das torcidas só torcendo, sem violência.
Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Marisete Zanon disse...

Genteeeeeeeeeeeeeee!!! Que maravilha esse video poema!!! Tbm quero!!!
Os poemas tbm saão todos lindos...
parabéns Moacy, vc tem um bom gosto incrível!
beijos