quarta-feira, 27 de maio de 2009

Rua da Consolação, em São Paulo
Foto recente de
Fábio Candeias
in
Internetcidade


BALAIO PORRETA 1986
n° 2674
Rio, 27 de maio de 2009

eu te amo
porque não te amo mais
e porquê não te amo mais
te amo tanto assim
(Sheyla AZEVEDO. (In)coerências, in Bicho Esquisito)


OFÍCIO
Antônio Morais de Carvalho
[ in Jogo de sentidos, 1986 ]

Não quero o poema-perfeito:
O fastio dos Deuses,
A bondade do Diabo,
O Verbo,
A Bomba!

Não quero o poema-perfeito:
Eu sei que o ultrapasso
Ao tocar o seu mistério.

Não quero o poema-perfeito,
O último-poema:
A poesia
É meu ofício cotidiano.



O ADEUS DOS POETAS
Maria Maria
[ in Espartilho de Eme ]

No dia em que os poetas
se disserem adeus,
a alma humana se perderá
no escuro da palavra.



GLOSSÁRIO SERIDOENSE: ALGUNS EXEMPLOS
[ in Palavreado cá de nós. Caicó, 2007,
de Max Antonio Azevedo de Medeiros ]

Ababacado : Desatinado; Sem rumo; Bobo; Tolo.
Abalufado : Cheio de si; Metido.
Abancado : Sentado; Acomodado.
Abudegado : Afobado; Nervoso; Colérico.
Abuticado : Arregalado; Saliente.
Acatrozado : Diz-se do indivíduo sem iniciativa.
Acatruzar : Aborrecer; Apoquentar; Importunar.
Achuvalhada : Roupa levemente amarrotada, ou um pouco úmida.
Adoidaiado : Desatinado; Sem rumo; Bobo; Tolo.
Afolozado : Frouxo demais; Rasgado; Estragado; Roto.
Afrescaiar : Enfeitar; Adornar; Ornamentar.
Afuleimado : Briguento; Velentão; Inflamado.
Afulibar : Alisar [ficar sem dinheiro; ficar liso]; Perder até o saco da bufa.
Agarramento : Contato voluptuoso; Esfregação; Sarro.
Aguar : Irrigar; Regar; Molhar.
Aleruado : Doido; Besta; Idiota.
Aloprar : Agitar; Reagir com violência.
Aluado : Doido; Distraído; Amalucado; Bobo.
Amigado : Que vive maritalmente; Amancebado.
Amoquecar : Fraquejar; Acovardar-se; Fugir da luta.
Amunhecar : Cair; Fraquejar; Fugir da luta.
Amorrinhado : Deprimido; Enfraquecido; Alquebrado.
Ânus : Anel de couro; Anel de peia; Ás de copas; Bicho preto; Boca de ninho; Boga; Bosteiro; Bufante; Buzanfan; Copo de sola; Enrugadinho; Farinheiro; Fedegoso; Fiofó; Flozô; Foba; Fogareiro; Fogoió; Fonfom; Foroboscoite; Forobosquito; Franzido; Frezado; Frinfa; Frosquete; Fruta rara; Fuamba; Furiboca; Glorioso; Gobilha; Lata de doce; Quinca; Rodela; Roseira; Taioba; Zereguedé.
Apiolado : Doido; Desmiolado.
Apocado : Acanhado; Envergonhado.
Apragatado : Achatado; Esmagado.
Aprochegado : Chegado; Aproximado; Amigo íntimo.
Arataca : [Armadilha para capturar pequenos animais]
Arengar : Brigar; Discutir.
Arenzê : Barulho; Zoada; Alarido.
Arisia : Conversa fiada; Mentira; Papo furado.
Aritica : Coisa nenhuma.
Arretado : Legal; Bacana; Bonito; Elegante.
Arromba-peito : [Cigarro de palha, feito com fumo forte]
Arroz-de-festa : [Indivíduo assíduo freqüentador de festas]
Arrudião : [No futebol, o drible da vaca]
Atochar : Fazer entrar de qualquer maneira; Apertar.
Atubibar : Perseguir; Aporrinhar; Importunar.
Azucrinar : Atananazar; Aborrecer; Aperrear.
Baixa-da-Égua : Lugar indeterminado.
Baixio : Terras de boa qualidade no sertão.
Bate-saco : O ato sexual; Cópula; Coito.
Beradeiro : Matuto; Simplório; Otário; Caipira.
Bife-do-oião : Ovo estrelado.
Bode : Confusão; Complicação; Indivíduo namorador.
Bololô ; Desordem; Briga; Confusão; Arruaça.
Brechar : Espiar; Olhar escondido; Olhar pelas brechas.
Bucho-furado : [Indivíduo que não guarda segredos]
Buchuda : Grávida.
Bunda-cagada : [Indivíduo insignificante, sem importância]
Buceta : Bacurinha; Bandeirinha; banguela; Barbuda; Beloncha; Buçanha; Cara-preta; Florzinha; Gaveta; Giribel; Gloriosa; Passarinha; Perseguida; Porta-jóia; Prexeca; Priquita; Priquito; Tabaca; Tabaco; Talhada; Tareco; Xana; Xaranha; Xereca; Xiba; Xibiu; Xota; Xoxota.

Algumas expressões porretas:

A cobra vai fumar - A situação vai piorar.
A dar com pau - Em grande quantidade.
A merda virou boné - Deu tudo errado.
Acabar na peia - Levar uma surra.
Acabar no caritó - Ficar solteirona.
Acabar-se na mão - Masturbar-se.
Bambolê de otário
: Aliança de casamento.
Beleza de Creuza
: Tudo bem; Tudo legal; Numa boa.
Besta de cagar rodando : Indivíduo inconveniente; Bobo; Babaca.

13 comentários:

BAR DO BARDO disse...

Moacy, professor do luxo e chulo.

Mirse disse...

Oi Moacy!

Bom dia, amigo!

Impressionate a fotografia, cuja realidade é essa mesma!

Todos os poemas estão ótimos.

Escolhi o de Antonio Morais de carvalho, porque já debati esse tema.

Meu dicionário, que virou glossário só aumenta e eu agradeço>

Pom post!

Beijos

Mirse

nina rizzi disse...

eu não sei diabéisso que nos acontece de estarmos em sincroni(n)a. [...] que todos os dias me incomoda o comodismo cenas assim. e hoje de manhãzinha ao deixar a nini na escola, estava lá o mesmo sujeito de todos os dias me pedindo o mesmo café. sim, agora já faço três copos matinais, os quais se enchem de lágrimas, ócio, lúmpen e sujeira.

quanto às expressões (sou louquíssima por elas) usamo-as todas aqui na fortaleza-bela. tamém somos vizinhos, né.

seu ofício é esplêndido, poeta-achador.

beijos :)

Maria Maria disse...

Oi, Moacy!

Obrigada pela publicação do poema de todos nós. Ele é um dos que eu mais gosto.

Beijos,

Maria Maria

Jens disse...

Oi Moacy.
Baita foto! Fiquei com o olhar abuticado.
Uma suspeita: o Sertão do Seridó é um outro país. Que língua é esta, tchê? Fiquei mais perdido que cusco em procissão.
Um abraço.

Lívio Oliveira disse...

Uma outra forma de dizer: "All you need is love".

Mariazita disse...

Olá
Tenho passado por aqui, mas como é sempre "tarde e malas horas" (meta lá esta no seu glossário :), não tenho comentado.
É que tenho tido muitos afazeres...e o tempo não chega para tudo.
Hoje consegui vir uns minutos mais cedo, e resolvi bater um papinho.
Começo por lhe dizer que gostei muito do seu comentário no Histórias.
Amanhã - que é daqui por vinte minutos - publicarei no Casa um texto que lhe aconselho a ir ver. Estou convencida que vai gostar.

Voltando para aqui...devo dizer que ADOREI o Livro dos Livros (31ª), e também o Glossário Seridoense - vou copiar e guardar, para o caso de precisar consultar quando não perceber algum termo que vc use...
Achei muito interessante encontrar lá termos que se usam na minha terra natal, como: Aguar, Aluado, amigado, aprochegar... e outras.
Parece que as semelhanças são maiores que as diferenças :)

E por hoje chega de papo. Estou uma data de tempo sem comentar...depois é por atacado!

Uma noite feliz.

Um beijo
Mariazita

Tahiane disse...

Em Caicó ainda se usam "gírias" de 20 anos atrás...
No Nordeste inteiro, na verdade, o povo é bem tradicionalista quanto a sua linguagem. Eu sou de caicó e e já observei que é um traço muito marcante na cultura seridoense.

abs

Cosmunicando disse...

Moa, pode ficar abalufado porque esse Balaio de hoje tá que tá... a começar pela foto, sensacional e faz pensar mais que mil palavras.

Amar é importante, porra! E já devíamos ter aprendido isso, catso! ('catso' é paulistanês arcaico, derivado do italiano)

o poema da Sheyla é algo assim... suspiros =)

um beijo.

José Carlos Brandão disse...

Copio AMC:

A poesia
É meu ofício cotidiano.

Pedrita disse...

um amigo blogueiro português colocou a imagem de uma matéria antiga sobre a morte do rodolfo valentino, acho que vai gostar http://artesetima.blogspot.com/
beijos, pedrita

Mme. S. disse...

suspiro pra você, moacy e para mercedez também. obrigada viu?

Adrianna Coelho disse...


que post, moacy!

a foto, a incoerência da foto e a da sheyla... nossa!
o glossário e as expressões porretas... Iss ficou do Balaio! rsrsr

p.s. tenho que me atulaizar n'O Livros dos Livros...