segunda-feira, 15 de junho de 2009

A caminho de Lajes,
na região central do Rio Grande do Norte
Foto de
Eduardo Figueiredo


BALAIO PORRETA 1986
n° 2693
Natal, 15 de junho de 2009

você é uma fricção
tenho que tomar cuidado
para não queimar meu filme.
Carito, in Os Poetas Elétricos)


TRÊSÓIS
Hercília Fernandes
[ in HF Diante do Espelho ]

Enquanto bebo cerveja...

olho as imagens postas sobre a mesa

penso no que poderia ter sido, no que poder-se-ia ser

se ainda há eu e você, se há uno em nós ou se fomos tão sós

que precisávamos de trêsóis para aquecer nossas

longas noites de inverno.


Enquanto bebo cerveja

esqueço que há outros entrelençóis...


LEGENDAS DE CAMINHÃO

Amo-te mais que ontem e menos que amanhã

Não sou bombeiro mas apago o teu fogo

Vitamina de chofer é sorriso de mulher

Amor sem beijo é como macarrão sem queijo

O casamento é uma aposentação sentimental

Entre loira ou morena prefiro você

Pobre só come frango quando joga de goleiro

Guarda-chuva de pobre é cachaça

Veja seus erros, depois corrija os meus

Seja pai de seu filho antes que um traficante o adote

Em festa de formiga não se elogia tamanduá

A pedra e a palavra não voltam depois de lançadas

O beijo não mata a fome mas abre o apetite

O amor é um som que reclama um eco

Para amar basta um olhar

Plantei amor nasceu saudade

No oceano da vida eu sou um barco a navegar

A felicidade perdeu o meu endereço

De tão esquecido esqueci de te esquecer

Existo porque insisto

[ in Legendas de caminhão,

de Abeylard Pereira Gomes. Rio de Janeiro, 1993 ]


18 comentários:

Mirse disse...

Bom Dia, Moacy!

Que beleza de fotografia!

Sem palavras para o belo poema da Hercília!

Adorei todas as legendas de caminhão, mas claro que minha preferida é:

"A pedra e a palavra não voltam depois de lançadas"

Beleza de Balaio!

Parabéns, amigo!

Beijos

Mirse

Elaine disse...

Olá!
Bom dia!
Estou passando para conhecer seu blog um pouco melhor.
Também para desejar um semana linda, com muitas coisas boas.
Minha frase preferida?
A pedra e a palavra não voltam depois de lançadas

Beijos e fique com Deus.

Bartolomelo disse...

Oi Moacy:
Minha frase preferida não se encontra entre essas:
"À NOITE, TODAS AS PARDAS SÃO GATAS!"
Bartola.

nina rizzi disse...

olá, moacy :)

bom o poema da hercília, me lembrou a maça do raulzito.

gosto demais do folclore urbano. pras bandas de cá elas nem sempre são tão lisonjeiras co'as moças, tipo "mulher é igual banana só descascar e comer"... rs...

a imagem me lembra que a casa tá tão nojenta... eu quero fugir.

beijo.

Jens disse...

Oi Moacy.
Os caminhoneiros, ou seus escritores fantasmas, são os sábios das estradas.

Parabéns pela participação no "A cabeça do futebol".

Um abraço e uma boa semana.

Hercília Fernandes disse...

Moacy,

sempre uma alegria imensa estar no Balaio entre tão valorosas pedrarias. Muito obrigada!

Adorei tudo na postagem: do poema de abertura, do Carito, às mensagens de caminhoneiro.

Como ando tanto quanto romantizada... destacarei esta:

"o beijo não mata a fome, mas abre o apetite".

Ah, essas sábias palavras populares, dizem tanto em sua simplidade maravilhante!...

Simplesmente Poesia!

Beijos, poetíssimo!

Abraços em todos e todas.
H.F.

Dilberto L. Rosa disse...

Essa fotografia vale mais que mil palavras, num caminho que só Deus sabe aonde vai dar... Parece que em tua terra o pôr-do-sol é ainda mais belo e vermelho! Sobre as legendas de caminhão, algumas são mesmo pura "filosofia": tal como um dia de namorados bem brega... Abração!

Fatima disse...

Existo porque insisto

Esta frase é quase um mantra!
Bjs.

mario cezar disse...

sim moacy,olhar estas fotografias sertânicas, abre-se um vão.um rombo no meu peito. nessa carne desertíca-asfaltada. abraços. e como sempre, teu caderno, tem lampejos.éum modo dalíngua tremer. abraços

BAR DO BARDO disse...

Tudo delícia!

De embevecer...

Marisete Zanon disse...

Queria estar nessa estrada...que maravilha!
Pobre só come frango quando joga de goleiro. Fico com essa...rss...
um abração moacy

Marisete Zanon

Glória disse...

A sabedoria popular é bem sábia. Rsrsrs...
"O amor é um som que reclama um eco"
Essa foi a que mais gostei.

Estou meio afastada dos blogs, mas desde já, agradeço a tua visita ao receptaculum, é sempre uma honra tão ilustre presença.

A imagem me é bem conhecida, faço parte dessa paisagem morando no seridó, ainda que o momento captado seja único.

Abraço saudoso!

Lívio Oliveira disse...

Poesia na estrada de Moacy...

líria porto disse...

tudo é bom nessa estrada! a foto, o carito, a hercília, as frases dos para-choques!
besos

líria porto disse...

tudo é bom nessa estrada! a foto, o carito, a hercília, as frases dos para-choques!
besos

Dalva disse...

Oi, eu gosto de "A pedra e a palavra não voltam depois de lançadas"

Beijos***********

Cosmunicando disse...

dois poemas que eu amei: do Carito e da Hercilia!

essas frases de parachoque são muito boas =)

beijo

Carito disse...

Oi Moacy! Fazia tempo que eu não andava pela net - já estava com saudades do Balaio... Tanta coisa por aqui, todo dia renovado... E eu nem agradeci mais esse incentivo seu... Obrigado, Moacy! Sempre gentil!