sexta-feira, 19 de junho de 2009


Cartão postal
do início do século XX
(Autoria desconhecida)


BALAIO PORRETA 1986
n° 2697
Natal, 19 de junho de 2009

Só se aprende o que se precisa saber.
(Murilo MENDES. O discípulo de Emaús, 1945)


Poema/processo
DADÁ PRA CÁ, DADÁ PRA LÁ

Moacy Cirne

[ Projeto inaugural: 1992, in Balaio n° 431 ]

leia JOYCE como se estivesse lendo KAFKA
veja FELLINI como se estivesse vendo MIZOGUCHI
ouça MOZART como se estivesse ouvindo COLTRANE
use REMBRANDT como se estivesse usando DUCHAMP
leia JOYCE como se estivesse ouvindo COLTRANE
ouça MOZART como se estivesse vendo MIZOGUCHI
veja ZILA MAMEDE como se estivesse usando KAFKA
use REMBRANDT como se estivesse sonhando com BACHELARD
ouça JOYCE como se estivesse ouvindo ANTONIONI
assuma JOSÉ BEZERRA GOMES como se estivesse
como se estivesse
metaplagiando FALVES SILVA
e JOTA MEDEIROS
e AVELINO DE ARAÚJO
e ANCHIETA FERNANDES
e DAILOR VARELA
e JORGE FERNANDES

ao som de PEDRO OSMAR e HERMETO PASCOAL
e CLAUDIO MONTEVERDI


POEMA de
CHICO DOIDO DE CAICÓ
[RN]
[Dedicado a José Limeira]

Prezada Dona Chica de Igapó:
Venho, de novo respeitosamente,
Com a minha filosopotia pai d'égua,
Solicitar a tua quente goiabinha
Para o meu particular uso e abuso.
Prometo que saberei borogodeá-la
Sem mais, sem menos, sem talvez
Pelo menos uma vez por mês
Limeirando uma, duas ou três.
Do teu Chico que nasceu em Caicó
País de cabra macho e de jumentos
Que adoram apreciar o luscofusco
De tangerinas e lobisomens. Arre égua,
Acabo de me lembrar agora: o Peru
Ganhou a guerra da Coréia
Com a força de sua idéia.
Passa, passa, passatempo,
Tempo, tempo, passa lento,
Jesus Cristo nasceu em Caicó
E morreu em Jardim do Seridó
Assim diz o Novo Testamento.


OS 65 ANOS DO TRICOLOR CHICO BUARQUE
Chico Buarque
- no Maraca -
in
Bola de Meia

No dia 26 de abril de 1975, diante de 110 mil torcedores, Fluminense e América disputaram a decisão da Taça Guanabara daquele ano. Vitória tricolor, no finalzinho, por um 1 a 0, gol de Rivelino. Na preliminar, um amistoso entre Artistas Tricolores e Artistas Americanos & Simpatizantes. Entre os artistas defendendo as cores do Fluminense, o compositor Chico Buarque, que hoje está aniversariando. (Eu estava lá, num Maraca em festa). A homenagem do Balaio ao autor de Construção dá-se a seguir:
Clique na imagem
(cf. Legião Tricolor)
para ver o
mosaico tricolor
- no vídeo, a partir do 2° minuto de apresentação -
no recente Fluminense x Corínthians.
Eu também estava lá,
emocionadíssimo,
fazendo parte do belíssimo mosaico.


CÂNTICO
Márcia Maia
[ in Tábua de Marés ]

eu canto ao avesso teu verso em meu canto
e canto meu verso em teu canto ao avesso
não canto no verso esse canto ao avesso
nem canto ao avesso esse verso em meu canto
se canto o avesso arde o verso que canto
avesso ao meu canto o teu canto faz verso
e avesso ao teu canto o meu canto ousa um verso
um verso de um canto que avesso ao teu canto
no verso e no canto e no avesso do canto
avesso o meu canto ao teu canto une em verso

se avesso arde o canto no canto sem verso
e o verso sem canto no avesso do canto
em verso ousa um canto ao avesso no canto
que avesso esse canto em seu canto quer verso
no avesso do canto teu canto diz verso
sem canto ou avesso o meu verso diz canto
teu canto urde avesso outro verso em meu canto
um canto sem verso sem canto ou avesso
que em canto unge o verso num canto ex-avesso
se eu canto ao avesso teu verso em meu canto

Repeteco
DOIS SERTANEJOS E UM AVIÃO


Aconteceu por volta de 1951-52, no interior do
Maranhão. A história é contada pelo potiguar
Oswaldo Lamartine de Faria. Num campo de pouso
dois sertanejos observavam, "desconfiados e curiosos",
um avião bi-motor, com 10 lugares e bastante espaço
para coisas e mais coisas, pronto para levantar vôo,
depois que o piloto e os passageiros voltassem a seus
lugares. Mas vamos ao relato de Oswaldo:
"O comandante voltou à cabine, subiram os passageiros,
aeronave na cabeça da pista, aceleração, corrida e decolagem.
Aí um disse para o outro:
- Cumpadre, cuma é que aquele condenado assobe cum todo
aquele peso?!!!
- E você não viu? Ele toma carreira desembestada inté faltá
terra nos pés...".

[ in Em alpendres d'Acauã; conversa com Oswaldo Lamartine de Faria.
Natal: Imprensa Universitária: Fundação José Augusto, 2001, p.43 ]

11 comentários:

Marisete Zanon disse...

Ah, Moacy...Em primeiro lugar fiquei fascinada pelo corpitio da moça da pintura, se eu fosse assim...Jesus me segura!!! Segundo a foto do Chico (memorável)!!! Bem, no dia 1 de julho o Corinthians vai levar a Copa Brasil, ele tá merecendo!!!
Pq eu sou Corinthiana!!!

Um abração

Marisete zanon

Cosmunicando disse...

Moa, você estava no maraca em festa, e em festa ficamos nós lendo esse Balaio mais que porreta... o sertanejo do avião é poeta sem querer, Chico é poeta por vocação (feliz tudo pra ele!), CDC é o poeta das chumbreguezas... e eu adorei o seu Dadá pra cá, Dadá pra lá!

leio o balaio como se estivesse ouvindo coltrane.

um beijo

Pedrita disse...

adorei cântico da márcia maia e a imagem abaixo. beijos, pedrita

Diz disse...

Vc sempre arrasando.

Está em Natal, não é? que tal amanhã um encontro conosco lá na livraria?
combine com o C Magno.
Abs, Elianne

nina rizzi disse...

nossa, que massa o dadá :)

esse chico é um danado mesmo, só podia ser do caicó, hm? uns últimos versos lembraram o relógio da arca de noé do vinicius. mais pela sonoridade que letras.

é bom re-começar o dia aqui :)
beijo.

Mirse disse...

Oi Moacy!

Estou chateada porque meu PC onde estava guardado a minha homenagem ao Chico Gênio Buarque de Holanda pifou ontem. Pelo menos você o LÍvio o homenagearam.

DA-DA, ao som de Hermeto, dá sim para ler Joyce como se fosse Kafka....etc Hermeto é gênio!

A imagem inicial belíssima e sem lipo.

A do MEU Chico, sem comentários. Já até torci pelo Politheama e sei o hino de cor. Ele pode ser tudus!

Chico Doido arrasou com a goiabinha e Márcia Maia com um belo poema, daqueles que gosto, no inverso...ao avesso etc...

Beijos, amigo!

Mirse

Lívio Oliveira disse...

Pô, Chico por aqui é maravilha!
Lá em nosso O TEOREMA DA FEIRA estamos numa festa comemorativa do aniversário de nosso maior compositor.
Abraços, Moacy.
Lívio

BAR DO BARDO disse...

sem escolha, o chico me endoidou de vez

Nydia Bonetti disse...

Ai, que delícia, ver e ouvir histórias do chico...E estes outros cantos e cânticos... E dadadá...
Beijos

Fatima disse...

Moacy,
é até judiação(sem preconceito) com quem não tem tanto talento.
Bjs.

Mirse disse...

Moacy,

Passei o dia dá dá e meditando:

Vou virar a casaca!

Pelo menos no Fluzão terei dois gênios amigos...Você e o meu Chico!

De hoje em diante sou fluminense!

Beijos

Mirse