sábado, 6 de junho de 2009

FILMES QUE MARCARAM ÉPOCA
NA CAICÓ DOS ANOS 50

Clique na imagem
[uma foto do genial Man Ray
- Pandora: Ava Gardner -,
produzida em 1950]
para verouvir
o trêiler de
Os amores de Pandora
(Albert Lewin, 1951)


BALAIO PORRETA 1986
n° 2684
Rio, 6 de junho de 2009

Apresentado no Cine Pax por volta de 1955, Os amores de Pandora (Pandora and the Flying Dutchman, Inglaterra, 1951), com Ava Gardner, mais bela do que nunca, e James Mason, com a firmeza do ator que sabia construir seus personagens, surpreendeu por seu tom misterioso: "Em uma pequena cidade portuária da Espanha, durante os anos 30, surge Hendrick van der Zee (James Mason), o misterioso capitão de um iate, que intriga e seduz a cantora Pandora Reynolds (Ava Gardner), deslumbrante mulher capaz de enlouquecer os homens, que se suicidam e matam por seu amor" (in CineClick). Uma curiosidade: Jack Cardiff, que depois faria dois ou três filmes de relativo sucesso perante a crítica, é o responsável por sua fotografia. Nesse momento, a partir de 1952/53, Ava Gardner já ocupava o centro de minhas alucinações amorosas.


BR-226 (5)
Sebastião Vicente
[ in Sopão do Tião ]

Lá no meu sertão
La Strada não me foi
assim tão cinema.

Não encontrei
Gelsomina nem Giulietta
Tampouco o Anthony
mais forte do mundo.

Só o que avistei foi
um tal de Quinca
e uma mulher véia
por nome Marieta.


POTE
Marcelo Novaes
[ in O lugar que importa ]

Guarda e guarde
este pote de sono
entre os úmidos
ramos da oliveira.

Não emborque a
cabeça: não sonhe,
nem desfaleça.

Mantenha o pote
aberto e fértil [aberto
à mão, ao céu, aberto
aos gestos].

E não troque a
oliveira pelo
abeto.

Humildemente, quebra
o pote e recolhe os
cacos.

[Fazendo de ti,
recipiente e
mote].


O ESPECTADOR E A ATRIZ
Francisco Sobreira
[ in Luzes da Cidade ]

Quando a atriz está sozinha em cena
me lembro daquele filme de Buster Keaton
e sinto desejo de penetrar na tela.

COMO SE FAZ UM POEMA?
Um poema se faz como o minucioso processo de produção
da rapadura?
Um poema se faz com a paciência do relojoeiro
ao consertar um relógio?
Um poema se faz com o desvelo de uma mãe
pelo filho enfermo?
Um poema deve-se deixá-lo livre como uma criança
que está descobrindo o mundo?
Um poema se faz com "sangue suor e lágrimas"?
Ou se faz com o mesmo deleite
de quando se come um prato saboroso?

E eu sei?
Pergunte a um poeta.

8 comentários:

Francisco Sobreira disse...

Ava, Ava, Ava! Uma das 10 mais belas e deslumbrantes atrizes que o cinema produziu. Esse vídeo me fez matar um pouquinho das saudades desse filme, que vi no Poti. Se houver cópia em DVD, o adquirirei sem pestanejar. Além de Ava, tem Mason, que, você sabe, Moacy, é o meu ator preferido. E Albert Lewin foi um diretor talentoso, que fez apenas 6 filmes(dquiri dele e estou aguardando a chegada, "O Retrato de Dorian Gray) Mudando de assunto, que surpresa agradável me ver no seu blogue. Muito obrigado, velho. Um abraço.

Lívio Oliveira disse...

Muito bom o Balaio de hoje. O casamento poético entre a imagem e a palavra mais uma vez tem lugar. "Como se faz um poeta" é impagável.
Abraços.

Marcelo Novaes disse...

Moacy,


Nada mais justo que Ava Gardner ocupasse o centro de suas amorosas alucinações. A Caicó dos anos 50 estava muito bem servida de filmes e de musas. Suas paráfrases bíblicas estão recheadas de momentos poéticos, então sabes fazer poemas. Obrigado por achar lugar para colocar um "Pote" nesse mosaico (Palavra & Imagem) tão bem cuidado.






Abração,










Marcelo.

Mirse disse...

Bom Dia, Moacy!

Linda imagem-foto de Ava Gardner, uma das mulheres mais sedutoras do cinema.
O filme, mostra o talento através de olhares e firmeza no falar dos dois protagonistas.Uma beleza!

O poema do Marcelo Noves é 10.
Guarda
Guarde
Dois apelos distintos.

Como se faz um poema - e você ainda pergunta, poeta?

Bom sábado!

Beijos

Mirse

Carlinhos Medeiros disse...

Obrigado pelo link, poeta porreta do meu querido Caicó.Terra do meu tataravô Olímpio Bezerra de Medeiros. Ainda vou fazer uma seleção dos blogues nordestinos, bons como este, para linkar na Bodega Popular.
Abraços e parabéns!

BAR DO BARDO disse...

Seu balaio está CHEIO DE BRILHO! Os bons textos e autores de sempre, embora sempre novos.

Ava Maria!

Pedrita disse...

que saudades de uma rapadura. beijos, pedrita

Mariazita disse...

Tens uma lembrancinha na Casa da Mariquinhas.
Queres ir buscar?

Feliz Domingo

Beijinhos
Mariazita