sábado, 13 de junho de 2009

FILMES QUE MARCARAM ÉPOCA
NA CAICÓ DOS ANOS 50
Clique na imagem
para verouvir
o trêiler de
Winchester 73
(Anthony Mann, 1950)


BALAIO PORRETA 1986
n° 2691
Natal, 13 de junho de 2009

Exibido em Caicó em 1959, Winchester 73 não era um bangue-bangue tradicional para os nossos padrões de apreciadores do gênero - um gênero que seria considerado, por muitos, "o cinema americano por excelência". Sua temática central, na verdade, envolvia uma questão familiar pautada na vingança. James Stewart está ótimo no papel de um dos irmãos - o "mocinho" da história. Uma curiosidade: Rock Hudson e Tony Curtis aparecem como figurantes no filme.


O MELHOR DO BANGUE-BANGUE
segundo a nossa leitura
crítico-afetivo-libertinária
em 13/06/09

1. Rastros de ódio (Ford, 1956)
2. Era uma vez no Oeste (Leone, 1968)
3. My darling Clementine (Ford, 1946)
4. Rio Bravo (Hawks, 1959)
5. Johhny Guitar (Ray, 1954)
6. No tempo das diligências (Ford, 1939)
7. O homem que matou o facínora (Ford, 1962)
8. Matar ou morrer (Zinnemann, 1952)
9. Rio Vermelho (Hawks, 1948)
10. Por uns dólares a mais (Leone, 1965)
11. Três homens em conflito (Leone, 1966)
12. Os imperdoáveis (Eastwood, 1992)

Nota:
O portal Terra (cf. Sérgio Vilar, em Diário do Tempo) apresentou esta semana sua relação - por ordem cronológica - do melhor do bangue-bangue. Só uma observação a fazer: não consideramos O tesouro de Sierra Madre (a obra-prima de John Huston) um western no sentido conceitual do termo.


... E CÁ ENTRE NÓS
Mercedes Lorenzo
[ in Cosmunicando ]

não há mais nada entre nós
tão apertado é o abraço.

POEMA
Mário Cezar
[ in Coivara ]

o poema
faz-se pássaro,
iludido

o poeta
capenga.
roto de glórias.

11 comentários:

Francisco Sobreira disse...

Caro Moacy,
Anthony Mann foi um dos 3 melhores diretores de "western", abaixo apenas de Ford e Hawks. Fez alguns filmes até melhores do que "Winchester 73". Fico cada vez mais satisfeito quando vejo que, afinal, você considera "Rastros de Ódio" o maior de todos. Pelo menos, por enquanto... Muito bom o poema de Mercedes Lorenzo. Um abraço.

nina rizzi disse...

bom dia :)

nunca havia vistouvido o winchester 73. mas já peguei numa que o meu pai tinha e quase perdi o couro...

rio vermelho é bom, né. mas os imperdoáveis... seria imperdoável não figurar aqui. um dos melhores na minha crítica-gororante.

e cá entre nós... que poemeto... dos grandes!

no mais, "tudo passa/ eu passarinho".

beijo :)

Pedrita disse...

achei essa matéria na folha: http://www1.folha.uol.com.br/folha/educacao/ult305u580497.shtml

Líder sindical na USP já fez 12 greves e prega revolta armada

Foi acusado de "ter invadido uma biblioteca, ameaçado as pessoas e colocado em risco o acervo", conta. Na ocasião, entrou na biblioteca da faculdade com mais 50 funcionários da FAU para levar os servidores do local para um piquete.

Pedrita disse...

eu vi muito bang bang com meu pai, mas não lembro nenhum nome hj em dia.o 007 tb adora bangs bangs. ele vê sempre os q o telecine cult coloca semanalmente. eu vejo alguns. beijos, pedrita

Mirse disse...

Oi Moacy!

Você não vai acreditar, mas embora não gostando e dormindo vi todos ou "tudos", de bang bang. Na época não gostava, hoje considero clássico e não violento.

Lorenzo, sempre arrasando!

Mário Cezar...Belíssimo!

Beijos, amigo!

Mirse

Cosmunicando disse...

Moa, que delícia... entre revivals de bang-bang (que me remetem à sala de minha infância, com meus pais) figurar aqui no Balaio junto com esse pássaro de Mário Cezar =))

obrigadíssima querido,
um beijo e ótimo final de semana!

BAR DO BARDO disse...

eu curtia muito o faroeste quando em menino.

de brinquedo, no natal, forte apache.

boas lembranças...

e ainda tem mercedes e mário para a gente ler: que bom!

Marcos disse...

Pedrita:

A FSP fala de acusações contra um líder da greve na USP. Não acompanha mais detidamente o processo. Ele defende luta armada mas não consta que promoveu ações armadas, não é? A greve não é de um líder, é de um conjunto de trabalhadores que, eventualmente, segue outros líderes. A ação da polícia não deve ter sido contra o líder mas contra um conjunto de pessoas que abrangia trabalhadores e estudantes.
É preciso ler a Imprensa com cuidado. Entre o dito e o não-dito, muita coisa ocorre. Não podemos abdicar de um olhar crítico ou viraremos transmissores de ideologia (dos que defendem luta armada ou dos que defendem polícia armada num campus universitário).
Abraços:

Marcos Silva

Fatima disse...

Moacy,
já assisti os nºs 2,6e 12.
Meu marido já assistiu a todos, ele adora o estilo.
Não ando merecendo nem uma visitinha sua heim!
Oh maldade!rsrsrsr.
Bjs.
P.s.parei de colocar R no final do seu nome reparou(é a idade atrapalhando).

Sergio Andrade disse...

Winchester 73 é um bom filme, mas os melhores faroestes do Mann são "Um Certo Capitão Lockhart", "O Homem do Oeste" e "O Homem dos Olhos Frios".

Eliade Pimentel disse...

Olá, Moacy! enho em nome de Keila Sena, da Zoon Fiotografia, que esta produzindo a terceira edição do Goiamum Audiovisual e precisa falar com o senhor a respeito de sua (possível) participação no evento.
Grata, Eliade Pimentel (eliade_pimentel@hotmail.com - sena.keila@gmail.com)