quarta-feira, 17 de junho de 2009

Pelada no interior, em Açu - RN
Foto de
Jean Lopes


BALAIO PORRETA 1986
n° 2695
Natal, 17 de junho de 2009

Torcer por um time, em se tratando de futebol, exige paixões dionisíacas, amores transcendentais, sentimentos avassaladores, certezas inabaláveis. Exige igualmente que elejamos o tricolor Nelson Rodrigues o padroeiro de todos os torcedores fanáticos. Só assim poderemos entender, em toda a sua plenitude, o ótimo livro A cabeça do futebol (Brasília: Casa das Musas, 2009), organizado por Carlos Magno Araújo, Samarone Lima e Gustavo de Castro.
(Moacy Cirne)


ANJO
Inês Motta
[ in Velvet ]

O martelo
castiga as paredes do sino
e os meus ouvidos
cansados revelam:
o tempo fugiu
já não é noite
é meia-noite
caminho em degraus infinitos
de espiralados fractais.
os meus sapatos de cristal
fugiram como raios
são os faiscantes olhos verdes
nos totens dos cupins.
o vestido de baile
dança ao vento
em trapos diáfanos.
nos gomos inúteis
da abóbora temporã
jaz a minha carruagem
carcomida por vorazes ratos
outrora meus Pegasus.
vago em bruma densa
descalça
não careço de sapatos
ou de pés
sou anjo.


MÍNIMO
Henrique Pimenta
[ in Bar do Bardo ]

Acessos de calor e gelo fino,
a língua com sabor de sobremesa,
amor por um sentido no sem tino,
amor que é de serpente e de surpresa.

Amor, meu grande amor, meu genuíno,
um único, não mais, da natureza
do coice pelas drogas de refino,
tal qual uma assunção para a beleza.

Por meio desse belo displicente,
por meio do que é simples e divino,
divido minha vida facilmente

com tudo o que quiser o meu menino:
amor que permanece no que sente,
amor, meu grande amor, de pequenino.


'DIA DE BLOOM' EM NATAL

No Balaio n° 1563, de 20 de junho de 2004, já questionávamos a comemoração do Bloomsday em Natal, mesmo reconhecendo a importância de Ulisses no quadro da literatura mundial do século XX (um dos três ou quatro melhores romances dos últimos 100 anos). Continuamos questionando. E só o aceitaremos como tal depois que for instituído o Dia do Autor Potiguar, a ser prestigiado igualmente por acadêmicos, escritores e boêmios. A título de informação: provavelmente fui, em Natal, o primeiro a saudar na imprensa o Ulisses de Joyce/Houaiss, em 1966.

15 comentários:

Lívio Oliveira disse...

Olá, Moacy!

Bela postagem, ainda mais porque vejo Henrique Pimenta por estas bandas. Na minha opinião, Pimenta é um dos melhores poetas que têm aparecido na net.
Moacy, "roubei" seu comentário sobre o Bloomsday em Natal e o coloquei n'O TEOREMA DA FEIRA.
Abraço.

betina moraes disse...

moacy,

balaiando nas considerações a respeito dos torcedores (eu bota-fogo, imagina?)já, já vou comprar o livro. sofrer por futebol é comigo! tem jogo que eu nem assisto, para não correr o risco de ficar sem unha!

tenho saudades da dramaturgia do nelson rodrigues. penso no que ele estaria escrevendo, se fosse eterno.

a visão delicada da passagem do tempo no poema de Inês Motta é muito emocionante, bonito mesmo. e a construção do poema em si dá a impressão de acontecimentos uns sobre os outros, como é mesmo o Tempo...

Henrique Pimenta, que tem sonetos excelentes, nos mantém com uma produção diária de versos inspirados e alguns muito especiais como o "Mínimo". particularmente quando ele fala de amor ou de tempo deixa aparecer um coração sentimental que me faz fã!

ulysses é um grande herói!

antônio vieira também:
"...
...
Os nomes dos poetas populares
Deveriam estar na boca do povo
No contexto de uma sala de aula
Não estarem esses nomes me dá pena

A escola devia ensinar
Pro aluno não me achar um bobo
Sem saber que os nomes que eu louvo
São vates de muitas qualidades.
O aluno devia bater palma

Saber de cada um o nome todo
Se sentir satisfeito e orgulhoso
E falar deles para os de menor idade
Os nomes dos poetas populares."

e você moacy é um grande promotor de beleza!


um beijo!

Francisco Sobreira disse...

Moacy,
Muito boa a foto, mostrando uma pelada de futebol, que , parece, quase em extinção. E a presença do cavalo tem um toque de pitoresco. Olhe, estou com você a respeito desse dia em homenagem a "Ulisses". Um abraço.

Marcos disse...

Moacy:

Ótima a idéia do DIA DO AUTOR POTIGUAR.
Abraços:

Marcos Silva

Mirse disse...

Bom dia, Moacy!

Esse Jean é um fotógrafo e tanto.
De um momento tão comum e brasileiro, ele fotografou a extrema beleza do amor ao futebol em um terreno! Bárbaro!

Como fã do Nelson Rodrigues, sinto falta dele até hoje. É bom ver o nome Do inesquecível Nelson através de suas belas palavras.

Inês Motta, excelente poetisa nos trouxe uma pérola de poema

Henrique Pimenta, é no mínimo , o máximo sonetista da nossa contemporaneidade.

Ulisses é realmente um excelente livro! É sempre bom lembrar nomes de livros importantes como esse.

Belo Balaio o de hoje!

Betina, também sou botafoguense, sei o que passas.

Beijos, Moacy!

Mirse

Ines Motta disse...

Olá, Moacy.
Que surpresa, de novo, figurar aqui nesse Balaio, ao lado de Henrique Pimenta....E ainda por cima ser chamada de poetisa por Mirse.
Quem sabe eu acredito e tudo vira realidade. Ou sonho...
Obrigada!
beijos!!

Marisete Zanon disse...

Hahahahah!!! A foto é um disparate de riso!!! Fico com o poema do APimentado, ele é fora de série mesmo...rss...tem agradecimento lá na cafeteria e seu nome está lá, meu caro colega...apareça pra tomarmos um café!
um carinhoso esmaque pra ti guri!

Marisete Zanon

Cássio Amaral disse...

Moacy,

Meu amigo me diz endereço no meu email que vou te mandar meu livro Sonnen.

Um grande abraço de luz.

nina rizzi disse...

isso maqui é bom demais. e continuo "solidária só no câncer", que "tricolor só o fluminense, de resto é time de três cor".

esse pimenta é pimentoso, hm. um parzer conhecer don'inês, a viva.

e eu vou querer o dia do escrito cearense, do campineiro, mas, sobretudo, dos expatriados.

beijo, seu dotô.

Beti Timm disse...

Mestre, realmente, o futebol é uma paixão avalassaladora. Adoro essa paixão dos homens, no qual só a paixão pelas mulheres a vencem (acho).
Nada melhor do que ver um homem, gritando, esbravejando, no futebol! É tão viceral, que encanta...rs

Beijos carinhosos

Marco disse...

Caro mestre Moacy,
eu conheço este cavalo na pelada. Ele joga um bolão!
Os poemas são excelentes e seu pequeno texto sobre nós, os torcedores apaixonados, é primoroso! A ciência não nos explica, ninguém consegue explicar a paixão de um torcedor por seu time.
Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

BAR DO BARDO disse...

Olá, Moacy!

Prazer figurar com Ines.

Obrigado. Obrigado. Obrigado.

anin disse...

Pareio a paixão pelo futebol à paixão carnal: muito suor, muito grito e um desejo constante de se chegar ao gol!
Belos poemas.

líria porto disse...

lindos versos do henrique pimenta!! lindos!
é um prazer entrar dentro do balaio!
besos

Cosmunicando disse...

o mínimo do Henrique é o máximo!

belo post, Moa =)
beijo