terça-feira, 14 de julho de 2009


Foto:
Anca Cernoscki


BALAIO PORRETA 1986
n° 2722
Rio, 14 de julho de 2009

Muito saber não ensina sabedoria, pois teria ensinado a Hesíodo e Pitágoras, a Xenófanes e Hecateu.
(HERÁCLITO, in Fragmentos.Trad. Emmanuel Carneiro Leão, 1980)


AMADA
Jairo Lima
[ in Bar Papo Furado,
a ser publicado no Livro da Sétima - Danças ]

canto tua sombra nas águas verdeadas
e semeio ecos nos vales do teu silêncio

canto o teu sou, canto o teu agora
e, no entanto,
as vozes que fazem o meu canto
respiram sílabas caladas

versos em ruínas, voz dilacerada,
no lago do sonho
o teu sono se mata

lentamente a tua ausência desce sobre mim
como chuva entre as orquídeas
cresce
no vazio imenso
de um mar sem água
ou de inconstelado firmamento
a essência imperecível do nada

agora, toma desta carne feito canto
e com brancos, sal, seios e cantos
faz pra mim uma pessoa amada


OFERENDA
Paulo Celso Pucciarelli
[ in Germina Literatura ]

Para Júlia

Batizei o reino da infância com o nome das coisas:
água pedra chão vento estrela
Fiz garatujas azuis
Pintei de verde o canto dos grilos
Havia um arco-íris em mim
e eu carregava a tarde e as chuvas do quintal
Uma princesa sem nome prometeu-me o corpo
por causa de um segredo que selei nos lábios
Palavras sufocadas ficaram-me ao peito,
desastres que não pude evitar por mais que evitasse.
O resto do corpo é um brinquedo de inventos
Fruto que se abre em gomos, mel de carícias.
Dádivas que te entrego sem saber o nome.


OS FILMES EXCEPCIONAIS VISTOS EM 2009,
ATÉ O MOMENTO
Clique na imagem
para verouvir
o trêiler de
O homem de Londres
(Béla Tarr, 2007)
- e/ou clique aqui para ver um de seus planos -

A programação cinematográfica no circuito comercial, em 2009, até o momento, tem sido abaixo da média em termos qualitativos. O crítico e blogueiro Sérgio Andrade, por exemplo, acaba de afirmá-lo, com inteira razão. Há exceções, claro: A partida (Takita, 2008); Entre os muros da escola (Cantet, 2008). Gran Torino (Eastwood, 2008). E mais dois ou três, se muito. Decerto, vi alguns filmes excepcionais, todos em dvd:
O homem de Londres (Tarr, 2007)
Sócrates (Rossellini, 1970)
Blaise Pascal (Rossellini, 1971)
O Messias (Rossellini, 1976)
A mãe e a puta (Eustache, 1973)
O diabo, provavelmente (Bresson, 1977)
Antígona (Straub & Huillet, 1991).
Duas observações se impõem, a partir de minha particular leitura crítica: 1. Considerando que Santo Agostinho (1972) também é excelente, assim como excelente é Alemanha, ano zero (1947), e da maior relevância é o conhecidíssimo Roma, cidade aberta (1945), pelo menos para mim, Roberto Rossellini merece ser destacado como um dos três maiores diretores da história do cinema italiano - os outros dois seriam Antonioni e Visconti; 2. O húngaro Béla Tarr é o mais importante cineasta da atualidade. Ou assim me parece, pelo que já vi dele. Haja vista seus planos-sequências, seus tempos fantasmagóricos (como já foi observado), seu iluminamento e sua lentidão de corte existencial (cf. Antonioni), suas angulações eventualmente wellesianas e suas densas histórias em aberto (O homem de Londres, baseado em Simenon, chega ao requinte de ser um policial com tessitura antipolicialesca: seus 26 minutos iniciais, incluindo o plano-sequência inaugural de 11 minutos, são absolutamente antológicos como concepção dramática e narracional).


E VIVA A FRANÇA
NESTE 14 DE JULHO
Foto:
Pascal Renoux

14 comentários:

WELLINGTON GUIMARÃES disse...

moacy, essas fotos acabam com meus projetos de salvação.

Lívio Oliveira disse...

Realmente, Wellington, que fotos!

líria porto disse...

lindos versos, lindas fotos, lindo balaio! viva a frança!
besos

Francisco Sobreira disse...

Caro Moacy,
Não é a primeira vez que você fala desse diretor. E agora vendo esse plano de mais de 2 minutos, sem um único corte, fiquei ainda mais com vontade de conhecer algum filme dele. Embora me seja prematuro falar, conhecendo apenas esses pouco mais de 2 minutos, me pareceu que, de fato, no estilo narrativo ele lembra Welles. No mais, uma excelente postagem. E viva a França! E vivam as mulheres daa fotos! Um abraço.

Anônimo disse...

ótimas dicas, sempre muito bom!

Anônimo disse...

Ixi Moaci...esses filmes eu não encontro por aqui...Foz é bem atrasada pra esse gênero ainda, mas vale a dica que vc nos dá, assim posso baixar da internet.
esmaques!

Marisete Zanon

pituleira disse...

Moacy, belas fotos e otimos versos.Essa loira é do outro mundo.No mais tudo legal, O Balaio hoje já faz parte do meu show.

BAR DO BARDO disse...

A França sempre me lembra mulher... Eu amo a França!

ALLONS...

Dilberto L. Rosa disse...

E viva a França e estas fotos perfeitas de mulheres IDEM! Colocaria na lista ainda Bergmann e Fellini... Uma pena ainda não ter tido acesso a estes brincos ofertados, meu caro, mas, por aqui, pelo Maranhão, difícil encontrar filme que não seja do circuitão... "Gran Torino" é mesmo um sensível achado, gostei muito! Abração!

Anônimo disse...

oi, moacy!
"vozes que... respiram silabas caladas". grande momento do poeta (amigo) jairo.
um abraço,
edjane

Anônimo disse...

Viva a França e as francesas! E um balaio de coisas boas pra você, Moacy.
Bar de Ferreirinha

Marco disse...

Caro mestre Moacy,
De cara devo parabenizá-lo pela postagem de hoje, data nacional francesa, que está excepcional. A primeira foto é belíssima e casou direitinho com o belo poema.
O plano-sequencia do filme citado é explêndido. Não conhecia esta película. Mas tiro o meu chapéu para o cara.
Sobre a temporada cinematográfica até agora, bem, tenho as minhas discordâncias. Além dos filmes citados, tenho outros em alta conta (Os falsários, por exemplo), incluindo três documentários brasileiros que considerei como excelentes: Paulo Gracindo, Simonal e Arnaldo Baptista.
Quanto a foto da francesinha... U-lá-lá!
Carpe diem. Aproveite o dia e a vida.

Jota Effe Esse disse...

Faz pra mim uma pessoa amada, que eu te recompensarei com fértil imaginação, que é mais importante que o conhecimento, como dizia o autor da Teoria de Relatividade. Meu abraço.

Mirse disse...

Oi Moacy!

Aqui de BH e com um dia de atraso, venho lhe parabenizar pela beleza do Balaio de hoje.

Dois belos poemas, lindo filme e que imagens!!!!


Alèz et Voilà! Vive la France!
14 de julho - Dia da Queda da Bastilha!

Beijos, amigo!

Mirse