quinta-feira, 16 de julho de 2009


Os quatro evangelistas
(1625)
JACOB JORDAENS


BALAIO PORRETA 1986
n° 2724
Rio, 16 de julho de 2009

Como documentos históricos, os Evangelhos devem ser usados com cautela; mas o retrato que fazem de Jesus como amigo dos rejeitados, contestando a rígida interpretação e observação da lei judaica e desafiando a noção do templo de Jerusalém como algo indispensável, parece refletir os fatos.
(J.W. ROGERSON. O livro de ouro da Bíblia, 1999)


O LIVRO DOS LIVROS
(ST, 6)

Os milagres

Tananã de Caicó, mãe de Eronildes e Erotildes, ouviu de seu amigo Toinho Piraca, do sítio Mundo Novo, que por sua vez ouvira de sua prima Ana Lícia de Serra Negra, através de Machadinho Machadão de Jucurutu, que Jesus, o Senhor da Cruz, fizera reviver Lázaro de Parelhas, já pronto para ser enterrado e muito bem enterrado.

Jeanne de Acari, professora em Ceará-Mirim, em andanças por Jardim do Seridó, ouviu dizer por um amigo de Carnaúba dos Dantas, a partir de um papo com Jeremias de Equador, que o Senhor da Cruz andara por sobre as águas do Gargalheiras, em noite de luar e pescaria, para espanto de José, Josefa, Jônatas e Jacó, e mais gente.

Miguelzinho Cirilo de São José ouviu de Zébezerra de Currais Novos, que ouviu de Théo Alves, do sítio Tororó, que ouviu de Inês Motta de Caicó, que ouviu de João Quintino de São João do Sabugi, depois de duas lapadas de cana, que Jesus, diante de uma multidão faminta, transformou cinco pães em centenas de deliciosas sodas(¹).

E muitas coisas ouviram dizer: que cegos passaram a ver mulheres jovens e formosas, e que surdos passaram a ouvir Luiz Gonzaga e Elino Julião, e que preguiçosos passaram a trabalhar no mercado da cidade, e que homens e mulheres de bem passaram a frequentar - dentro da maior cordialidade - o Cinema Pax e o Bar de Ferreirinha.

E todos se impressionavam com as palavras do Senhor da Cruz:

"E o terror, para quem duvidar do Altíssimo, tornar-se-á denso como a neblina, de modo que ninguém poderá enxergar. Por causa disso, o erro se fortalecerá. De qualquer modo, meus irmãos, minhas irmãs, não levem muito a sério o erro; afinal, o Altíssimo será um guia tranquilo e poderoso e nele poderemos confiar, sempre e sempre"(²).

"E eu vos digo, como outros dirão depois de mim(³): a religião incita-nos ao conhecimento da verdade. O filósofo busca a Verdade. Portanto, a filosofia e a religião devem concordar(ª¹). E mais é preciso ser dito, aqui e agora: que os seridoenses amem a religião e a verdade como as boas mães e os bons pais amam seus filhos".

"No futuro, mais cedo ou mais tarde, alguém dirá: O inferno são os outros(ª²). Mas não nos preocupemos com o inferno, nem com os milagres a mim atribuídos: preocupemo-nos em afastar de nossos corações, estômagos e mentes a luxúria, a inveja, o ódio, a gula, a cobiça, o faniquito, a exploração do homem".

"E eu vos digo, como se estivesse recitando um provérbio traduzido por Antonio Pereira de Figueiredo, de terras longínquas: No coração do homem se forjam muitos pensamentos, mas a vontade do Senhor permanecerá. E eu digo: mais importantes do que os meus milagres são as minhas palavras. Procurem ouvi-las com atenção".

Próximo capítulo:
Parábolas & Metáforas

Notas:
(¹) Soda : Pão seco, escurecido, à base de farinha de trigo e melado de cana.
(²) Cf. Evangelho da Verdade, apócrifo.
(³) Há em Jesus Cristão da Cruz um inegável lado profético, que eventualmente se manifesta no Segundo Testamento.
(ª¹) Cf. Averróis, filósofo medieval, a partir de leituras epistemológicas do séc. XX da Era Comum.
(ª²) Decerto, o pensador francês Jean-Paul Sartre, que viveu no séc. XX da Era Comum, era um leitor d'O Livro dos Livros, a ponto de aproveitar, em suas peças teatrais (cf. particularmente, Entre quatro paredes), algumas das "máximas bíblicas" pronunciadas pelo Senhor das Alturas.

10 comentários:

Mirse disse...

Muito bom, Moacy!

Humor na medida certa.

Um fato histórico qque modificou o comportamento da humanidade, assim narrado, é sempre mais bonito.

beijos

Mirse

Ines Motta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ines Motta disse...

Que grande, a benevolência do Senhor das alturas!
Poderia jurar, entretanto, que Julinda Azevêdo de Seu Pedo Anjo, de Jardim do Seridó, me disse que ouviu dizer que viu Joaquim do Pezão com um saco nas costas, passando defronte ao CDS em busca do João XXIII e que Juju, enfeitado de correntes e burundangas empurrava sua carroça parando pra tocar corneta na casa do meu pai, Chico Motta, na rua da Palha, Bairro Paraíba, no Caicó.

*Uma dúvida:
Esses "preguiçosos que passaram a trabalhar no Mercado Público", é coisa recente?


Beijos, meu querido!

Mme. S. disse...

"Senhor da Cruz" é uma expressão tão bonita. Como seu olhar por sobre as coisas. Um cheiro e uma vontade enorme de lhe dar um abraço. S.

pituleira disse...

Moacy, até seu Clóvis do cine Pax adorou Milagres.

nina rizzi disse...

nossa, a tela é de uma realidade que chega a doer...

mas inda bem que chega o texto, amoleço :)

beijo.

Dilberto L. Rosa disse...

"Deus é pai" é muito bom, mesmo; Jesus é Filho; e esses seios (15/07) são bonitos pra daná... Abração, Rei do Seridó!

João Quintino disse...

Moacy, adorei as lapadas de cana. Quanto à "soda", aqui em São João do Sabugi chamamos "chapéu de couro". O Balaio é bom que só!

Marisete Zanon disse...

Transformação dos pães em soda...hahaha!!! Moaci, só vc mesmo...
esmaques
Marisete zanon

Adriana disse...

Moacy,
obrigada pelo meu poema no post anterior...estou virando tua fâ incondicional, amigo!