sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Cristo de São João da Cruz
(1951)
Salvador Dali


BALAIO PORRETA 1986
n° 2744
Natal, 7 de agosto de 2009

... em plena era atômica é possível ler sob uma nova luz este documento único, escrito nas idades do bronze e do ferro.
(André CHOURAOU. A Bíblia - Nomes [Êxodo], 1992)


O LIVRO DOS LIVROS
(ST, 11)

A morte do Senhor da Cruz

E apesar do clima pesado, ainda foi possível ouvir as palavras do Senhor da Cruz: "Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis, e abrir-se-vos-á. Porque todo o que pede, recebe; e o que busca, acha; e a quem bate, abrir-se-á. Ou qual de vós, porventura, é o homem que se seu filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou se lhe pedir um peixe, lhe dará uma serpente?(¹) Ou se lhe pedir uma mulher carinhosa e sensual lhe dará uma garrafa de cachaça vagabunda?" E o Senhor da Cruz completou: "Mesmo sem o emprego da violência, lutai contra os poderosos e os ímpios".

E o coronel-fazendeiro Pilatos Sarneiota Mayastecagiel, ao tomar conhecimento de mais um sermão do inimigo número 1 de sua classe, depois de longa discussão com seus capangas, jagungos e colegas de latifúndio, determinou que o Senhor da Cruz - um perigo para as suas instituições agrárias - fosse executado. Não seria por enforcamento. Não seria por afogamento. Não seria por apedrejamento. Não seria por crucificação(²). Seria por bala certeira de parabelum - bala matadora de bom matar.

E a tarde escureceu de repente. O céu ficou da cor de agonia anunciada. Sheyla Madá deu um grito de horror. E o calor aumentou. E Maria Maria chorou. E Inês Motta desmaiou. E a acauã desceu das alturas. E a Furiosa(³) parou de tocar. E o vento ventou. E a Taberna do Ferreirinha fechou. E o Poço da Bonita quase secou. E a Serra do Mulungu encheu-se de onças pintadas. E o Monsenhor Walfredo enlouqueceu. E Ana de Santana gritou. Uma nuvem grávida de espantos e delírios pairou sobre todo o Seridó.

E aconteceu. E aconteceu.

E aconteceu uma emboscada. Houve um primeiro tiro. O Senhor da Cruz caiu. Houve um segundo tirou. O Senhor da Cruz gemeu de dor: "Senhor, Senhor, por que me abandonaste?". Houve um terceiro tiro. E o Senhor da Cruz crispou-se. Houve um quarto tiro. Houve um quinto tiro. Houve um sexto tiro, no coração. E o Senhor da Cruz sucumbiu, perto do açude Recreio, em Caicó. Foram tiros de covardia, que abalaram o sertão. Foram tiros de jagunçaria, que ensanguentaram o nosso chão. Naquele momento, entre relâmpagos e trovoadas, morria o Senhor da Cruz: em verdade, em verdade, é preciso dizer que morria o homem e nascia a lenda.

Uma pequena multidão, emocionada, acompanhou no dia seguinte a cerimônia de adeus a Jesus da Cruz. Seu corpo foi sepultado nas ruínas da Casa Forte do Cuó(ª¹), nas proximidades do Rio Seridó, como desejava o Mestre.

E diante dos 12 discípulos e de Maria Maria e Sheyla Madá, inconsoláveis, disse Marcos, do Coral do Seridó, ao lado de Mateus, João e Lucas:

"E o véu do Templo se rasgou em duas partes, de alto a baixo.Verdadeiramente, este homem era um santo e um profeta(ª²). Sua glória atravessará os tempos e os templos; sua Palavra marcará os tempos e os temporais; sua bondade atingirá os tempos e os templários(ª³). De manhã, vereis a glória do Altíssimo, o IHVH dos antigos, quando Ele ouvirá vossas lamentações. E nós, quem somos nós?(ªª¹) Não passamos de pobres mortais. Adeus, Mestre! Adeus, Companheiro! Adeus, Senhor da Cruz! "

Próximo capítulo:
As epístolas paulinas

Notas:

(¹) Cf. Mt 7, 7-10, Ant P Fig.
(²) Há relatos anônimos, considerados apócrifos, que levantam a seguinte hipótese: Jesus só não foi crucificado porque essa não era uma prática no Seridó e uma morte com tal requinte poderia transformá-lo em mártir e herói, o que não seria interessante para os donos do sertão.
(³) Furiosa: Banda musical nas cidades do interior nordestino.
(ª¹) Casa Forte do Cuó: Construção que serviu de trampolim para a origem do Povoado de Queicuó.
(ª²) Cf. Mc 15, 38-39, Ant p Fig.
(ª³) Possível referência aos templários medievais, guerreiros que assassinavam em nome do Senhor da Cruz, tendo por objetivo a reconquista da Jerusalém do mundo oriental.
(ªª¹) Cf. Ex 16, 7, And Ch. Note-se, ainda, que o termo simbólico-judaico IHVE pela primeira vez aparece n'O Livro dos Livros. Trata-se de uma inclusão metafísico-aristotólelico-mágico-sartreana, segundo a teóloga Eliene Dantas, de São José da Bonita.

11 comentários:

Mirse disse...

Oi Moacy!

Parabéns pelo Fluzão!!!!

Linda a imagem de DALI!

Essa morte do Senhor da Cruz, ( qual o neme dele, mesmo?) Foi melhor e mais bonita!

Aviso: Seu blog, tal qual o meu, não está atualizando. Na minha página consta o blog de ontem. Sem problemas para mim, que venho aqui de qualquer forma , mas.....



Beijão!


Mirse

BAR DO BARDO disse...

Hosana!

Tahiane disse...

Salvador Dalí sempre me encantou... foi o quedespertou meu interesse pelo surrealismo... assim eu descobri os trabalhos dele no cinema, em parceria com Luiz buñuel... muito bons

muito bom, como sempre

=)

Theo G. Alves disse...

rapaz, que capítulo tenso! essa passagem do livro dos livros merece filme. sugiro direçãode glauber rocha, depois de levantado pelo Senhor.

abraço!

Dora disse...

Moacy. A parte de que mais gostei foi: " ou se lhe pedir uma mulaher carinhosa e sensual lhe dará uma garrafa de cachaç vagabunda"? rsrs
Ah! E o nome do coronel-fazendeiro também é hilário: Pilatos Sarneiota Mayastecagiel.
Esse texto do Livro dos Livros é exemplar para a reparação do equívoco da crucificação, pois.
Muito bem narrada a passagem. Uma imaginação que se derrama...
(Esqueci-me da Furiosa! rsr Essa é de cidade de interior...Conheço bem!)
Abraço, Moacy.
Dora

Mirse disse...

Oi Moacy!

Não sei como consegui entrar aqui.

Até ha pouco estava com meu blog e meus acessos bloqueados.

Bem, Marcelo Novaes não tem acesso aos seis blogs dele, devido às postagens que fez.

Se quiser e acho que deve exclua este comentário.

Estou sá avisando a pedido.

Abraços

Mirse

Jens disse...

Oi Moacy.
O sertão chora a perda do Salvador.

b disse...

Mas havia um certo portal...
Através do qual o Senhor da Cruz...
E de lá, reveste.
E reverte.
Vai até fazer o sertão virar mar e o mar virar sertão.
Que o diga Antônio Conselheiro, conselheiro atemporal.

pituleira disse...

Esse Balaio é danado de BOM.

Fatima disse...

Moacy,
vc não existe!!!!!
Bjs.

Eliene Dantas disse...

Teologicamente decifrando: Hum, hum, hum...

Bj e bom fim de semana jovem sertanejo.