terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Olinda (em primeiro plano) e Recife
Foto:
Alex Gurgel
[in
Grande Ponto ]


BALAIO PORRETA 1986
n° 2912
Rio, 26 de janeiro de 2010

Os amantes atuais reconstituem ... o ensinamento mais seguro e mais profundo do erotismo dos trovadores segundo o qual o pior dos crimes é um crime contra o amor, é fazer amor sem amor.
(Jacques SOLÉ. Os trovadores e o amor-paixão,

in Amor e sexualidade no Ocidente, 1984)


PARA UMA BIBLIOTECA PORRETA
( 23 / 43 )

Amor e sexualidade no Ocidente (Solé & outros, 1984)
O erotismo (Bataille, 1957)
Estatismo e anarquia (Bakunin, 1873)
As bases sociais da questão feminina (Kollontai, 1909)
Fausto (Goethe, 1808)
A luta corporal (Ferreira Gullar, 1954)
Poemas escolhidos (Gregório de Matos, ed. 1976)
Sonetos luxuriosos (Aretino, 1525)
Uns fesceninos (Oswaldo Lamartine de Faria, org. 1970)
Era uma vez Eros (Nei Leandro de Castro, 1993)


MUSA DE VERÃO
Nei Leandro de Castro
[ in Era uma vez Eros, 1993 ]

Quero uma musa
nada obtusa
Que tenha os peitos
perfeitos de menina moça
e acima dos quadris
aquelas duas pequenas poças.
Uma musa que saia
do mar de verão
como uma deusa
de anúncio de televisão.
Quero uma musa moderninha
que não faça questão
de ser só minha.
Que no gozo gema tão forte
que dê a impressão
dos estertores da morte.
Quero uma musa na medida
exata, na escala
do falo e da fala.


PARA UMA BIBLIOTECA PORRETA
( 24 / 43 )

Minima moralia (Adorno, 1944-47)
O Príncipe (Maquiavel, 1513)
Marxismo e luta de classes (Eric Sachs, 1987)
Cadernos da prisão (Gramsci, 1929-37 [1948])
A revolução traída (Trotski, 1936)
O homem revoltado (Camus, 1951)
Crítica da razão dialética (Sartre, 1960)
Morfologia do conto (Propp, 1928))
Cinema e verdade (Francisco Luiz de Almeida Salles, 1988)
Um filme é um filme (José Lino Grunewald, 2001)


Memória 1960
OS DEZ MELHORES FILMES EXIBIDOS NO RIO EM 1960
segundo
José Lino Grunewald
[ in Um filme é um filme, 2001 ]

1. Hiroshima meu amor (Resnais)
2. A doce vida (Fellini)
3. Abismo de um sonho (Fellini)
4. Marcha de heróis (Ford)
5. Homens em fúria (Wise)
6. Onde começa o inferno (Hawks)
7. Os incompreendidos (Truffaut)
8. Noite candente (Fine & Friedkin)
9. Sem saída (Holt)
10. Terra maravilhosa (Parrish)


O PÁSSARO IMPOSSÍVEL
Sônia Brandão

Cortaram-me as asas e a garganta.
Nada esperem de mim.

Sou um pássaro impossível.


Memória 1963
OS DEZ MELHORES FILMES
segundo
Stanley Kubrick
[ in Cinema, USA, 1963 ]

1. Os boas vidas (Fellini, 1953)
2. Morangos silvestres (Bergman, 1957)
3. Cidadão Kane (Welles, 1941)
4. O tesouro de Sierra Madre (Huston, 1948)
5. Luzes da cidade (Chaplin, 1931)
6. Henry V (Olivier, 1945)
7. A noite (Antonioni, 1961)
8. The bank Dick / O turbulento (Cline/Fields, 1940)
9. Pernas provocantes (Wellman, 1942)
10. Anjos do inferno (Hughes, 1930)

[ Informação enviada pelo escritor Marcius Cortez ]


OUTRA VARIAÇÃO, OUTRA
Nina Rizzi
[ in Putas Resolutas ]

em te sonhar fiquei tão santa
que agora pra me comer
só de joelhos.


FELINA
Lau Siqueira
[ cf. Balaio n° 1115, de 13 set 1998 ]

teu corpo
é linguagem pura
frágil refúgio
da minha loucura
metade prazer
metade tortura


POEMA
Chico Doido de Caicó
[ in 69 poemas de Chico Doido de Caicó, 2002 ]

Ai, eu ficava doidinho
Quando Maria Bezerra da Costa
Se danava a puxar os cabelos e a gritar
Eu vou morrer eu vou morrer eu vou morrer
Mal eu enfiava a vara nela.


EM DEFESA DA DEMOCRACIA,
DOS DIREITOS HUMANOS E DA VERDADE

As entidades e militantes dos Direitos Humanos e da Democracia de São Paulo-SP juntam-se ao Movimento Nacional de Direitos Humanos (MNDH), rede que reúne cerca de 400 organizações de direitos humanos de todo o Brasil, para manifestar publicamente seu REPÚDIO às muitas inverdades e posições contrárias ao III Programa Nacional de Direitos Humanos (PNDH 3), e seu APOIO INTEGRAL a este Programa, lançado pelo Governo Federal no dia 21 de dezembro de 2009.

Como o MNDH, entendemos que o PNDH 3, aprovado durante a 11ª Conferência Nacional de Direitos Humanos (2008), é um importante passo no sentido de o Estado brasileiro assumir a bandeira dos Direitos Humanos em sua universalidade, interdependência e indivisibilidade como política pública; expressa avanços na efetivação dos compromissos constitucionais e internacionais com direitos humanos; e resultou de amplo debate na sociedade e no Governo.

Por isto, nenhuma instância do Governo Federal pode alegar ter conhecido esse Programa somente depois do ato do seu lançamento público no dia 21 de dezembro e, menos ainda, afirmar que o assinou sem haver lido, sob pena de mentir no primeiro caso e, no segundo, de acrescentar à mentira um atestado de irresponsabilidade.

As reações contra o PNDH 3 estão cheias de conhecidas motivações conservadoras, além de outras que, pela sua própria natureza, são inconfessáveis em público pelos seus defensores. Estas resistências, claramente explicitadas ou não ao PNDH 3, provam que vários setores da sociedade brasileira ainda se recusam a tomar os direitos humanos como compromissos efetivos tanto do Estado, quanto da sociedade e de cada pessoa. É falso o antagonismo que se tenta propor ao dizer que o Programa atenta contra direitos fundamentais, visto que o que propõe tem guarida constitucional, além de assentar seus alicerces no que é básico para uma democracia, e que quer a vida como um valor social e político para todas as pessoas, até porque, a dignidade da pessoa humana é um dos princípios fundamentais de nossa Constituição e a promoção de uma sociedade livre, justa e solidária é o objetivo de nossa Carta Política.

[ Leia, no SuperVerme, o texto na íntegra]

18 comentários:

Alex Gurgel disse...

Amigo Moacy, sempre me honra ter uma foto estampando as páginas desse balaio invocado. Use e abuse das imagens...

Iara na Janela disse...

Nina e Lau, loucura de poemas! amei....

beijão!

Carito disse...

o poema de nina é pra não sair de cima! ô penitência arretada! chico doido, etc e lau... eros uma vez um balaio!

nina rizzi disse...

eita, porra! olha eu aqui em dose dupla: libertina e libertária, ê trêm! 'inda debixo de cortez, em cima de lau e debaixo de chico doido, assim eu vou gemer feito estertores de morte!

A fotografia, coisa mais linda. Pernambuco já foi minha opção primeira de pasárgada. num deu.

e agora com licença, que vou saindo toda ancha, a ler essas belezuras... :)

sandra camurça disse...

Demais, o Balaio de hoje, demais!
Beijos

líria porto disse...

nina lau soniabrandão olinda recife chicodoido - porretíssimo balaio!

besos

Mirse Maria disse...

Oi Moacy!

Linda a minha terra que não conheço.Se Alex não caprichou, e ela for linda mesmo, Me mando para lá.

Todas as razões do mundo para Jacques Solé.

No mesmo percurso, Nina, Lau e Chico Doido ARRASARAM!

Bela biblioteca e sugestão de leitura!

Beijos

Mirse

Assis Freitas disse...

Balaio quente. Essas poetas na companhia de Chico Doido, eita sô.

Sônia Brandão disse...

Obrigada por ter sapecado o meu poema junto a tanta gente porreta.

bjs

eumeu disse...

roeremos o cadáver vivo da burguesia

superverme
vermina
ver-me
nina
V

putas resolutas
elenizemo-nos
esporremo-nos nos lençóis
castos da burguesia

dade amorim disse...

Um arraso, Moacy, um arraso completo.
No geral, tá no clima da UFRJ dos meus tempos.

Abração.

teueumeu/meuproteu disse...

sol e cismos

gritar alto
como quem mede perpendicularmente
nina rizzi
em seu fortbeleuze
numa praia nordestina

nina
menina
rizzi
mina
resina
meensina
teresina

Paulo Jorge Dumaresq disse...

Putz, o Balaio de hoje está danado de bom. Adorei os poemas: Nei, Lau, Nina, Sônia e Chico Doido. Esse de Chico Doido é fantástico. Forte abraço.

Adriana Godoy disse...

Balaio cada vez mais porretíssimo. Nina demais, o Chico Doido e todos os outros. Muito bom estar aqui de volta.Beijo.

Sergio Andrade disse...

Muito interessante os "10 melhores filmes do Kubrick", mesmo!
Gostei de ver Fellini, Bergman, Huston e Antonioni na lista. Pernas Provocantes é uma delícia de comédia, mas nunca poderia imaginar que estaria numa lista de preferidos de alguém, ainda mais do Kubrick hehehe!
Nunca vi O Turbulento e Anjos do Inferno.

Um abraço.

teu eumeu disse...

passei pelo cabaré das putas resolutas
meus deus or estas não esperava
desde cabaré mineiro de carlos alberto prates que não via tanta sacanagem combinada com invenção

em homenagem a nina líria e demais putas estas homenagens:

duchampianíssima variação em torno do trema:

n:-na r:-zz:-
l:-r:-a porto
ana:-s n:-n

e rendendo-me ao puta talento
de nina líria e demais quengas

nina rizzi
meensina a fazê renda
na virília de líria
porto.

adeus putas geniais

teu eumeu

Debby disse...

Vir aqui e encontrar uma foto tirada pelo meu ex-colega de faculdade, Alex me faz sentir mais em casa por aqui :D
Erotismo pouco é bobagem nesse post!
Abraços

BAR DO BARDO disse...

Sônia... na veia.